JOSÉ GABRIEL MARÃO

Marão foi pessoa muito querida em Ourinhos, simpático, boa prosa. Era muito amigo do primo de meu pai, Alfredo Devienne. Nessa foto, postada originariamente no blog do Wilson Monteiro, Marão é o terceiro à direita da mesa (entre Ibrahim e Salem), onde também vemos apontando o rosto, o radialista da Rádio Clube de Ourinhos, Osvaldo Lazzarini, (dono de uma bela voz), Silvano Chiaradia, o vereador Ibrahim Abujamra do cartório, o drº Salem Abujamra, inspetor federal de ensino, Reinaldo Brandimarte, o filho do deputado Silvestre Ferraz Igreja, Mário,  e o velho Racanello. À esquerda, olhando para o fotógrafo, Edu Azevedo e o cunhado Samadello.

  
A foto foi tirada no Restaurante Ypê, famoso nos anos 1960. Local decorado com muito bom gosto, comida excelente, enfim um espaço concorrido na cidade que traz boas lembranças para os que com ele conviveram.


Foto de autoria desconhecida.


Pedi ao jornalista José Carlos Marão que escrevesse algumas linhas sobre o pai:


"Meu pai, José Gabriel Marão, foi transferido para Ourinhos em 1946. Era funcionário de uma firma francesa, beneficiadora de algodão, chamada Coimbra, filial de outra, chamada Dreifus. Tinha antes passado pelas filiais de Itapetininga e Avaré.


Quando a Coimbra resolveu fechar suas atividades em Ourinhos, seria transferido para São Paulo, mas não aceitou. Preferiu ficar em Ourinhos. Comprou o bar que era do Alfredo Devienne, na primeira sede do Grêmio Recreativo de Ourinhos (rua São Paulo), e passou a trabalhar também por conta própria no mesmo ramo que atuava, a compra de algodão e cereais junto aos produtores para beneficiamento e posterior venda. Sua vida era totalmente dedicada aos filhos. Abriu mão de muitas coisas, sempre colocando os filhos em primeiro lugar: o Gabriel, o Elias e eu.


Teve um empreendimento pioneiro em Ourinhos. No tempo em que só se lavava roupa a mão, teve uma lavanderia com máquina de lavar roupa, a primeira da cidade. E uma turbina secadora que, quando ligada, parecia que ia levantar voo. Quando a lavanderia deixou de funcionar, esses equipamentos (em termos de hoje, primitivos), foram vendidos para o Seminário Josefino.


Depois, com a inauguração da nova sede do Grêmio Recreativo de Ourinhos e a inauguração da piscina do Ourinhense, ficou apenas com a concessão dos serviços de bar e jogo desses dois clubes."

Comentários

Tito Abujamra disse…
"Meu pai, Ibraim Abujamra na foto tomando cerveja com o que ele mais gostava , rodeado de amigos ourinhenses. Parabéns!"