Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2016

OS PRIMÓRDIOS DA CONSTRUÇÃO DO NOVO PRÉDIO DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO HORÁCIO SOARES

Edificado pelo construtor Henrique Tocalino, no início dos anos 1940, a fim de abrigar o Ginásio de Ourinhos - instituição particular com subvenção da prefeitura, o velho prédio já não dava conta da demanda escolar para os cursos ginasial  e secundário, em finais de 1958.



(Eram apenas quatro salas de aula e algumas outras precárias no galpão ao fundo)


Nesse ano de 1958, lançaram-se à busca de uma solução para esse estado de coisas, um órgão de imprensa ("Diário da Sorocabana") e o Grêmio Estudantil Rui Barbosa, do Instituto de Educação Horácio Soares.
Essa importante agremiação estudantil passaria a contar com nova direção a partir do dia 21-4-1958, data de sua posse.


Diário da Sorocabana, 1º-4-1958



Assim noticiou na edição de 17-4-1958, o jornal "Diário da Sorocabana":
"Têm trabalhado ativamente os estudantes no decorrer da semana para levar à frente um movimento em prol da construção de novo prédio para o Instituto de Educação "Horácio Soares". Encontram…

O PRIMEIRO NÚMERO DA "TRIBUNA ESCOLAR" (1-11-1958)

Era uma publicação de natureza exclusivamente educacional, com circulação quinzenal,  de propriedade da Indústria e Comércio Silvano Chiaradia Ltda.  A redação e oficinas localizavam-se na Rua 9 de Julho, 482 (ao lado do Cine Ourinhos), ou seja onde Silvano Chiaradia tinha a sua loja "A Cidade de Ourinhos" e tipografia.  O diretor gerente do jornal  era o marido da professora Dalila (Grupo Escolar Jacinto Ferreira de Sá), Diomar Antonio de Souza, e tinha como  diretor responsável  o professor Norival Vieira da Silva. Os  redatores eram o professor Rafael Orsi Filho, inspetor escolar da 35ª Zona, de Ourinhos, e meu primo José Luiz Devienne.
José Luiz Devienne (1956)


Uma das matérias do primeiro número foi PESQUISA SOCIOLÓGICA EM VILA NOVA - OURINHOS , que continha este quadro:



Outra matéria desse número, fez-me relembrar  um programa de rádio de que éramos fãs em nossa casa, transmitido  pela ZYS7 - Rádio Clube de Ourinhos, a  HORA DO ESTUDANTE e que ia ao ar às segundas feiras, à…

1959 - UMA FOTO APÓS O DESFILE DE SETE DE SETEMBRO

Esta foto foi do primeiro desfile dos alunos que ingressaram no Instituto de Educação Horácio Soares, após terem sido submetidos ao exame de admissão que se constituía  de  provas orais e escritas! A prova oral de matemática era realizada na lousa, com problemas passados pela professora titular Maria Teresa Caetano de Carvalho. Tenho na memória até hoje uma cena que eu e meu amigo Luiz Gonzaga Tone presenciamos naquele dia de 1958. Estávamos caminhando pelo páteo aguardando a chamada para o exame de matemática, quando passamos pela porta aberta da sala do exame. Lá estava à lousa padecendo com a resolução de um "carretão" Elisabete Capato, tendo ao lado uma professora não muito paciente arguindo-a com certa irritação.
Enfrentamos exames orais (com banca) e escritos até a terceira série do ginásio. Na quarta série já estávamos submetidos à égide da nova legislação de ensino, a Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. No regime antigo, tanto o exame escrito e o exame oral eram rea…

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…