Pular para o conteúdo principal

OS PRIMÓRDIOS DA CONSTRUÇÃO DO NOVO PRÉDIO DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO HORÁCIO SOARES

Edificado pelo construtor Henrique Tocalino, no início dos anos 1940, a fim de abrigar o Ginásio de Ourinhos - instituição particular com subvenção da prefeitura, o velho prédio já não dava conta da demanda escolar para os cursos ginasial  e secundário, em finais de 1958.



(Eram apenas quatro salas de aula e algumas outras precárias no galpão ao fundo)


Nesse ano de 1958, lançaram-se à busca de uma solução para esse estado de coisas, um órgão de imprensa ("Diário da Sorocabana") e o Grêmio Estudantil Rui Barbosa, do Instituto de Educação Horácio Soares.

Essa importante agremiação estudantil passaria a contar com nova direção a partir do dia 21-4-1958, data de sua posse.



Diário da Sorocabana, 1º-4-1958



Assim noticiou na edição de 17-4-1958, o jornal "Diário da Sorocabana":
"Têm trabalhado ativamente os estudantes no decorrer da semana para levar à frente um movimento em prol da construção de novo prédio para o Instituto de Educação "Horácio Soares". Encontramos apoio até agora em todas as instituições  procuradas e têm sido bem sucedidos. Receberam já a oferta de vários particulares dispostos a ajudarem todos os sentidos. A viagem à Salto Grande no dia 20 contará com a presença do maior número possível de estudantes
PROGRAMA E CONDUÇÃO
Os organizadores do movimento, apesar de seus esforços não conseguiram ainda saber sôbre o programa do do Governador Jânio Quadros, não podendo estabelecer ainda  o horário que a comitiva deverá obedecer. Possivelmente os jovens sairão da cidade no período da manhã. Duas empresas de ônibus colocaram à disposição dos estudantes seus veículos para o próximo domingo.(...). "

O diretor responsável do jornal Diário da Sorocabana, Salvador Fernandes e o livreiro José da Cruz Thomé, membro da UDN,  foram recebidos em palácio pelo governador Jânio Quadros no dia 16-4-1958, a quem entregaram uma série de reivindicações do município de Ourinhos, entre as quais a construção de um novo prédio para o IEHS.
Nesse mesmo dia, o jornal "O Estado de São Paulo" publicava:

Jânio, Thomé e Salvador Fernandes

O governador entregou  ao jornalista, um documento de próprio punho, comprometendo-se a atender as reivindicações encaminhadas pelo povo de Ourinhos:

"Muito agradeço o apoio do "Diário da Sorocabana,  que você dirige. Acredite que, para mim, será um prazer o atendimento das reivindicações desse município de Ourinhos, e dessa região, através de sua folha. E, vou prová-lo."

Não obstante as notícias publicadas, os estudantes mantiveram sua disposição de se encontrar com o governador em Salto Grande, o que conseguiram realizar:

Marinho Branco, José Carlos Marão, Carlos Ostronoff, Agenor Rossignoli, Lauro Zimmermann Filho, Alfredo Cubas da Silva
Alguns meses depois, com a oficialização dos procedimentos para a edificação de um novo prédio para o IEHS, os estudantes comemoraram:



"TEREMOS PRÉDIO PRÓPRIO PORQUE TEMOS O DRº JÂNIO NO GOVERNO".

Assim deu-se a construção do novo prédio do IEHS, inaugurado na gestão do novo governador, Carlos Alberto de Carvalho Pinto em  22-4-1961.  Ela foi possível graças  à ação dos estudantes do IEHS liderados pelo "GERB" e ao Diário da Sorocabana, na pessoa de seu diretor Salvador Fernandes com a participação de José da Cruz Thomé. O prefeito à época, José Maria Paschoalick, por razões pessoais e políticas, omitiu-se.


Meus agradecimentos ao jornalista José Carlos Marão, um dos protagonistas da ação aqui relembrada, pelas informações prestadas.

Comentários

Marão disse…
Perfeito, José Carlos. Muito boa a recuperação da memória deste evento tão importante ´para a cidade.

Obrigado amigo. Um evento de tal importância para a história da educação na cidade teria que ficar registrado. Conseguimos fazê-lo.

Jefferson Del Rios Vieira Neves disse…
“Caro Primo,

Fui a Salto Grande nessa delegação de estudantes do IEHS. Viagem temerária de rapazes entusiastas na carroceria de caminhões cedidos ao Grêmio Estudantil Rui Barbosa (GERB). Viajei no mesmo veículo junto com o Carlos Ostronoff, que presidia o Grêmio. No ano seguinte (1959), fui eleito para uma das diretorias desta entidade na gestão do Antonio Mantovani Filho, recentemente falecido em Curitiba. Carlos formou-se em Engenharia de Minas pela Escola Politécnica da USP e fez brilhante carreira em Goiás em uma empresa francesa. Reside em Anápolis. Continuamos em contato. Abraço Jefferson Del Rios Vieira Neves”

Postagens mais visitadas deste blog

O CINQUENTENÁRIO DA TURMA DE DEBUTANTES DE 1966 DO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS

A edição de 3 de setembro de 1966 do jornal O Progresso de Ourinhos saiu com a capa em cores, sendo praticamente dedicada a reportagens sobre as debutantes de 1966 do Grêmio Recreativo de Ourinhos. Na capa, a manchete foi:


Alice Chiarato, Ana Cristina Paula Lima, Aparecida de Oliveira, Cleide Prioli Gaudêncio, Cleonice das Graças Teixeira, Déa Maria dos Reis, Eloisa de Azevedo, Guacyra Maria Ferrari, Mariângela Baccili Zanoto, Mariângela Cury, Maria Ângela Pinheiro, Maria Dilza de Freitas Faria, Maria Silvia Bueno de Campos, Sílvia Nicolosi Correia, Silza Saccheli Santos







Nas páginas seguintes, as debutantes de 1966 foram entrevistadas sobre algumas de suas preferências e aspirações. Cada uma das debutantes tiveram sua foto publicada no topo da entrevista





O ator  preferido das adolescentes foi, de longe,  Rock Hudson, seguido por Alain Delon; já quanto ao cantor a preferência foi por Agnaldo Rayol.
Rock Hudson
À pergunta sobre a vocação foram citadas: engenharia química, psicologia, música, …

LIBERTO RESTA (1914-1984), O CHEFE DO ESCRITÓRIO DA SANBRA

Nessa foto de autoria de meu pai,vemos Liberto e Ditinho acompanhados por Arlindo (trabalhava na seção pessoal da Sanbra) no acordeão e Robertinho (trabalhava na Coletoria Estadual), por ocasião de uma homenagem a Ourinhos no programa televisivo de Homero Silva, no final dos anos 1960.

Nesta foto vemos o casal Liberto e Ynira, a filha Rosa Maria, Ivone Duarte de Souza, esposa do gerente da Sanbra José Fernandes de Souza e a filha Cristina por volta de finais dos anos 1950.

Os dois anos e meio em que trabalhei na Sanbra foram marcantes para mim Muitos dos empregados da fábrica e do escritório tornaram-se um paradigma para minha vida profissional ao longo de 50 anos. Um deles foi Liberto Resta. Ingressei com 15 anos no escritório, na condição de aprendiz. Liberto era o chefe do escritório.
Foi o responsável pla formação da primeira equipe do escritório da Sabra em Ourinhos.
Na foto abaixo vemos Liberto juntamente com alguns empregados do escritório e da fábrica, no ínicio dos anos 1950.
Aga…

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…