24.9.16

OS PRIMÓRDIOS DA CONSTRUÇÃO DO NOVO PRÉDIO DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO HORÁCIO SOARES

Edificado pelo construtor Henrique Tocalino, no início dos anos 1940, a fim de abrigar o Ginásio de Ourinhos - instituição particular com subvenção da prefeitura, o velho prédio já não dava conta da demanda escolar para os cursos ginasial  e secundário, em finais de 1958.



(Eram apenas quatro salas de aula e algumas outras precárias no galpão ao fundo)


Nesse ano de 1958, lançaram-se à busca de uma solução para esse estado de coisas, um órgão de imprensa ("Diário da Sorocabana") e o Grêmio Estudantil Rui Barbosa, do Instituto de Educação Horácio Soares.

Essa importante agremiação estudantil passaria a contar com nova direção a partir do dia 21-4-1958, data de sua posse.



Diário da Sorocabana, 1º-4-1958



Assim noticiou na edição de 17-4-1958, o jornal "Diário da Sorocabana":
"Têm trabalhado ativamente os estudantes no decorrer da semana para levar à frente um movimento em prol da construção de novo prédio para o Instituto de Educação "Horácio Soares". Encontramos apoio até agora em todas as instituições  procuradas e têm sido bem sucedidos. Receberam já a oferta de vários particulares dispostos a ajudarem todos os sentidos. A viagem à Salto Grande no dia 20 contará com a presença do maior número possível de estudantes
PROGRAMA E CONDUÇÃO
Os organizadores do movimento, apesar de seus esforços não conseguiram ainda saber sôbre o programa do do Governador Jânio Quadros, não podendo estabelecer ainda  o horário que a comitiva deverá obedecer. Possivelmente os jovens sairão da cidade no período da manhã. Duas empresas de ônibus colocaram à disposição dos estudantes seus veículos para o próximo domingo.(...). "

O diretor responsável do jornal Diário da Sorocabana, Salvador Fernandes e o livreiro José da Cruz Thomé, membro da UDN,  foram recebidos em palácio pelo governador Jânio Quadros no dia 16-4-1958, a quem entregaram uma série de reivindicações do município de Ourinhos, entre as quais a construção de um novo prédio para o IEHS.
Nesse mesmo dia, o jornal "O Estado de São Paulo" publicava:

Jânio, Thomé e Salvador Fernandes

O governador entregou  ao jornalista, um documento de próprio punho, comprometendo-se a atender as reivindicações encaminhadas pelo povo de Ourinhos:

"Muito agradeço o apoio do "Diário da Sorocabana,  que você dirige. Acredite que, para mim, será um prazer o atendimento das reivindicações desse município de Ourinhos, e dessa região, através de sua folha. E, vou prová-lo."

Não obstante as notícias publicadas, os estudantes mantiveram sua disposição de se encontrar com o governador em Salto Grande, o que conseguiram realizar:

Marinho Branco, José Carlos Marão, Carlos Ostronoff, Agenor Rossignoli, Lauro Zimmermann Filho, Alfredo Cubas da Silva
Alguns meses depois, com a oficialização dos procedimentos para a edificação de um novo prédio para o IEHS, os estudantes comemoraram:



"TEREMOS PRÉDIO PRÓPRIO PORQUE TEMOS O DRº JÂNIO NO GOVERNO".

Assim deu-se a construção do novo prédio do IEHS, inaugurado na gestão do novo governador, Carlos Alberto de Carvalho Pinto em  22-4-1961.  Ela foi possível graças  à ação dos estudantes do IEHS liderados pelo "GERB" e ao Diário da Sorocabana, na pessoa de seu diretor Salvador Fernandes com a participação de José da Cruz Thomé. O prefeito à época, José Maria Paschoalick, por razões pessoais e políticas, omitiu-se.


Meus agradecimentos ao jornalista José Carlos Marão, um dos protagonistas da ação aqui relembrada, pelas informações prestadas.

3 comentários:

Marão disse...

Perfeito, José Carlos. Muito boa a recuperação da memória deste evento tão importante ´para a cidade.

José Carlos Neves Lopes disse...


Obrigado amigo. Um evento de tal importância para a história da educação na cidade teria que ficar registrado. Conseguimos fazê-lo.

Jefferson Del Rios Vieira Neves disse...

“Caro Primo,

Fui a Salto Grande nessa delegação de estudantes do IEHS. Viagem temerária de rapazes entusiastas na carroceria de caminhões cedidos ao Grêmio Estudantil Rui Barbosa (GERB). Viajei no mesmo veículo junto com o Carlos Ostronoff, que presidia o Grêmio. No ano seguinte (1959), fui eleito para uma das diretorias desta entidade na gestão do Antonio Mantovani Filho, recentemente falecido em Curitiba. Carlos formou-se em Engenharia de Minas pela Escola Politécnica da USP e fez brilhante carreira em Goiás em uma empresa francesa. Reside em Anápolis. Continuamos em contato. Abraço Jefferson Del Rios Vieira Neves”