Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2013

UMA TARDE NO BAR E SORVETERIA CINELÂNDIA.

Nos anos 1950, existia o Bar e Sorveteria Cinelândia  em frente ao Grupão (Grupo Escolar Jacinto Ferreira de Sá). Um ponto estratégico, pois que garoto(a) não gosta de um sorvete? Além das crianças, frequentavam  esse local as famílias em tardes de domingo e os espectadores do Cine Ourinhos, quase em frente.Os proprietários do bar eram os pais do meu colega de escola e amigo de infância e adolescência, José Agostinho Gabriotti. A primeira  foto nos mostra José Fernandes de Souza, a esposa Ivone Duarte e os filhos Cristina e José Artur saboreando um delicioso sorvete de casquinha em frente ao bar. Branquinha, a cachorra da família, está louquinha para saborear a delícia gelada. A foto deve ter sido feita por Sakai, dono do estúdio (Foto Vitória) que ficava ao lado bar. Foto que tem a cara dos anos 1950.


O segundo instantâneo nos mostra Mauro Gabriotti, já falecido, ao lado de sua  mãe na Sorveteria. Observem o detalhe do mostrador de tipos de sorvete, muito característico da época.

Sem dúvid…

RELEMBRANDO O FUTEBOL OURINHENSE

Este trabalho é de autoria do profº Carlos Lopes Baia.

Foto do FEO - federação dos estudantes de Ourinhos - que iniciou o
campeonato estudantil de 1952 em sua primeira fase, em Ourinhos (contra Palmital e Piraju) agora incluindo o nome do diretor do Colegio Estadual Horacio Soares, o sr. Mario Orneto de Mejoni.


CAMPANHA DA S.E. PALMEIRAS NO CAMPEONATO AMADOR DE OURINHOS EM 1961:
1º TURNO – A.A. OURO BRANCO 2 X 2 S.E. PALMEIRAS C.A. FERROVIÁRIO  2 X 2 S.E. PALMEIRAS C.A. BOTAFOGO        2 X 1 S.E. PALMEIRAS E.C. VILA ODILON    1 X 5 S.E. PALMEIRAS C.A. OURINHENSE    0 X 0 S.E. PALMEIRAS E.C. VILA EMILIA     0 X 3 S.E. PALMEIRAS E.C. GAZETA              0 X 3 S.E. PALMEIRAS
2º TURNO : S.E. PALMEIRAS        5 X 0  A.A.OURO BRANCO S.E. PALMEIRAS        1 X 1  C.A. FERROVIÁRIO S.E. PALMEIRAS        2 X 1  C.A. BOTAFOGO S.E. PALMEIRAS        4 X 0  E.C. VILA ODILON S.E. PALMEIRAS        4 X 0  C.A. OURINHENSE S.E. PALMEIRAS        2 X 1  E.C. VILA EMILIA S.E. PALMEIRAS        1 X 0  E.C. GAZETA
NOTA: apenas 8 eq…

OURINHOS EM QUATRO QUADROS - II

Esta segunda tomada privilegia em primeiríssimo plano a Praça Melo Peixoto. Vista do alto ela nos mostra a beleza de suas formas, fruto da reforma levada a cabo pela gestão Paschoalick.

Os dois quarteirões fronteiriços com a praça nos mostram o primeiro edifício de Ourinhos, obra do arquiteto ourinhense formado pela FAU, Toshio Tone, e as novas construções que vinham em seguida, entre as quais se destacava a nova livraria de José da Cruz Thomé com residência na parte superior. Na esquina com rua São Paulo, vê-se o prédio que abrigava uma das mais antigas casas comerciais de Ourinhos, que fora do cel. Vicente Amaral, e pertencia na ocasião à sociedade Matheus & Sarmento. Ainda num dos lados da praça se destaca o belo sobrado da família Cury. Outro aspecto com destaque é o pátio da  nova estação ferroviária . Mais ao longe, um ângulo da Avenida Jacinto Sá, na qual se destacam o prédio da Ivoram, da família Ferrari e a loja dos Migliari. Foto por Francisco de Almeida Lopes

OURINHOS EM QUATRO QUADROS (ANOS 1970) - I

(Clique sobre a imagem)

Nos últimos dias de 2012, pesquisando entre os negativos deixados por meu pai, acabei encontrando uma raridade: fotos que ele fizera a partir do topo do prédio Brasul, onde hoje se encontra o Banco Itaú, na época (anos 1970), o mais alto da cidade. Focalizou quatro ângulos da cidade que estarei apresentando aqui semanalmente. Neste primeiro, visualizamos em primeiro plano duas artérias importantes da cidade: a Rua Paraná e a Antônio Carlos Mori. Na primeira, ficou registrada a presença, em seus últimos anos, da casa de comércio dos Irmãos Mori, o sobrado construído por um dos primeiros barbeiros de Ourinhos, Rafael Conte, e a Casa dos Fogões, de Alfredo e Isolina Devienne. No centro desse quarteirão é possível se ver a serraria dos Irmãos Mori. Num trecho da Cardoso Ribeiro, é destaque o sobrado da família Fantinati, a casa onde moravam os Bastos( Dona Ivete), o prédio da bicicletaria e, na esquina, o barzinho da família japonesa (Hilda, Maria e  irmãos). Na An…