25.1.13

RELEMBRANDO O FUTEBOL OURINHENSE


Este trabalho é de autoria do profº Carlos Lopes Baia.


Foto do FEO - federação dos estudantes de Ourinhos - que iniciou o

campeonato estudantil de 1952 em sua primeira fase, em Ourinhos
(contra Palmital e Piraju) agora incluindo o nome do diretor do
Colegio Estadual Horacio Soares, o sr. Mario Orneto de Mejoni.



CAMPANHA DA S.E. PALMEIRAS NO CAMPEONATO AMADOR DE OURINHOS EM 1961:

1º TURNO –
A.A. OURO BRANCO 2 X 2 S.E. PALMEIRAS
C.A. FERROVIÁRIO  2 X 2 S.E. PALMEIRAS
C.A. BOTAFOGO        2 X 1 S.E. PALMEIRAS
E.C. VILA ODILON    1 X 5 S.E. PALMEIRAS
C.A. OURINHENSE    0 X 0 S.E. PALMEIRAS
E.C. VILA EMILIA     0 X 3 S.E. PALMEIRAS
E.C. GAZETA              0 X 3 S.E. PALMEIRAS

2º TURNO :
S.E. PALMEIRAS        5 X 0  A.A.OURO BRANCO
S.E. PALMEIRAS        1 X 1  C.A. FERROVIÁRIO
S.E. PALMEIRAS        2 X 1  C.A. BOTAFOGO
S.E. PALMEIRAS        4 X 0  E.C. VILA ODILON
S.E. PALMEIRAS        4 X 0  C.A. OURINHENSE
S.E. PALMEIRAS        2 X 1  E.C. VILA EMILIA
S.E. PALMEIRAS        1 X 0  E.C. GAZETA

NOTA: apenas 8 equipes disputaram o campeonato.
O Palmeiras foi o campeão e a Ouro Branco o vice.


                 A UNE E O BRASIL EM 1952
 

            Com o fim da segunda guerra mundial em 1945 e a vitória dos aliados, Getulio Vargas foi forçado  a convocar eleições livres para presidente. Eurico Gaspar Dutra, um militar, foi eleito. A influencia dos Estados Unidos se fazia sentir em tudo, política, eco-nomia, sociedade.
            Em 1950 foi a vez de Getúlio Dornelles Vargas ser levado ao poder através do voto popular. Getúlio sentiu que o Brasil já não era o mesmo. Os militares eram simpatizantes da política norte-americana e esse era um problema de difícil solução.
            Em seu governo Getúlio lançou a campanha “o petróleo é nosso” defendendo o direito de empresas nacionais explorarem o precioso liquido. Diversas campanhas surgiram apoiando o presidente. Para os militares essas campanhas eram movimentos sub-versivos com conotações políticas e socialistas.
            Esse era o clima no Brasil em 1952 quando era presidente da União Nacional dos Estudantes Secundaristas do Brasil o estudante Luis Carlos Goelver. Em São Paulo já se destacava Gianfrancesco Guarnieri presidente da AMES e que se ligara a UNE. Com o objetivo de integrar todos os estudantes secundaristas do Brasil em torno da UNE e da campanha “o petróleo é nosso” em 1952 foi realizado um campeonato de futebol envolvendo os estudantes dos principais estados do Brasil : São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro (Distrito Federal), Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul. O campeonato tinha o apoio da CBF. Cada entidade estadual deveria organizar as competições a nível estadual.
            Em São Paulo a competição ficou por conta da União Paulista dos Estudantes Secundaristas (UPES). Cada cidade que possuía escolas secundaristas organizava a sua Federação de Estudantes Secundaristas. Ourinhos participou com a equipe da FEO – Federação dos Estudantes de Ourinhos (GERB e escola de comercio).
            O Estado foi dividido em regiões e as equipes de cada região disputavam parti-das eliminatórias numa primeira fase. Ourinhos disputou com Palmital e Piraju. Em seguida foi realizada a 2ª fase em Itu.  Finalmente, as federações municipais campeãs se reuniram em Limeira para disputar o titulo de campeão paulista : Grêmio Rui Barbosa de Ourinhos,  Grêmio Estudantil Paula Sousa e Mello de Itu, Centro Cívico e Literário Rodrigues de Abreu, de Bauru,  Federação dos Estudantes de Limeira, Federação Estu-dantina Piracicabana,  Centro Estudantil Sancarlense e Centro dos Estudantes de Santos.
            Os resultados foram: São Carlos 1x0 Bauru; Ourinhos  2x1 Limeira; Piracicaba 1x0 Santos; São Carlos  3x1 Itu  e Ourinhos 3 (pênaltis) x 2 (pênaltis) Piracicaba. Na final, Ourinhos derrotou São Carlos nos pênaltis por 3x2 sagrando-se campeão paulista. Os pênaltis foram cobrados por Julio Antonio Mori, o Morinho.
            Os jogos foram apitados por Gilberto M. de Proft e Luis Miraglia, juizes da Fe-deração Paulista de Futebol.
            A grande final para a apuração do campeão brasileiro foi realizada na capital – São Paulo – sendo utilizado o estádio do Canindé então pertencente ao São Paulo F.C.
Apenas três federações estaduais compareceram: Ourinhos, representando o estado de São Paulo, Curitiba representando o estado do Paraná, e o Rio de Janeiro representando o Distrito Federal.
            São Paulo, representado por Ourinhos, venceu o Distrito Federal (8x0) e na partida contra o Paraná vencia por 2x0 quando aos 28 minutos ainda do primeiro tempo, o juiz expulsou um jogador paranaense. A equipe abandonou o gramado e o time paulista levantou o titulo de campeão brasileiro do futebol estudantil do ano de 1952.
            A equipe ourinhense jogou com Chan chan,  Pampa e Antoninho, Geraldo, Morinho e Jorge; Bode, teco, Ranilson, Fuad e José Luis Crivelari. Marcaram os gols Teco e Bode. Os jogadores receberam inúmeras homenagens incluindo-se um banquete oferecido pelo SESC
            O titulo nunca foi reconhecido em razão dos tumultos sociais da época.

FONTE : A GAZETA ESPORTIVA – Recortes de Ranilson Viana e Norival V.da Silva
 . 

NOTA: Ourinhos foi sede da primeira etapa. Em Itu, Ituanos e ourinhenses disputaram a final tendo o jogo terminado empatado em seu tempo normal. Na decisão por penalts Sergio Golim substituiu chan-chan no gol e na oitava cobrança acabou por defender um penalts dando a Ourinhos o direito de prosseguir na competição. A ameaça de paraliza-ção do campeonato levou os dirigentes a permitirem o avanço das duas equipes. 


Um comentário:

Nancy Nicolosi disse...

Essa turma eu conheci todos,inclusive o diretor do Instituto de Educação,no tempo que estudei lá!!
Nancy Nicolosi