Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2016

OURINHOS A CAMINHO DO CENTENÁRIO: O PRIMEIRO GINÁSIO DE OURINHOS

Propaganda da escola.
Alunos do Ginásio de Ourinhos - Autoria desconhecida
Num esforço de identificação  cito: Agachados 1-Hélio Migliari, 2-Joaquim Teixeira, 4-Oswaldo Devienne, 7-Jandir Fernandes, 9-Clodoaldo Ferreira, 10-Farid Abujamra, 11-Sigueo Kanda, 12-Antonio Vieira da Silva Primeira Fileira 4-Mário Santos Soares, 8-Nelson Cury, 10-Herculano Neves,  Segunda Fileira 1-Alípio Braz, 10-Selma Abucham, 14-José Luiz Médici Terceira Fileira 2-Suely Alves da Silva , 7-Alice Teixeira Estão aí também: Inês Souza Leal , Elza Torres Galvão, as irmãs Anair Ferreira e Nilda Ferreira, Lavinia de Azevedo, Lucia Prado, Lourdes de Freitas Oliveira

A "Sociedade Expansão Cultural de Ourinhos" , constituída em 1938, foi a responsável, juntamente com a prefeitura municipal, pela criação do primeiro ginásio em  Ourinhos, portanto uma iniciativa público-privada. A direção da escola foi entregue ao professor José Augusto de Oliveira, que já havia organizados e dirigido ginásios em outras cidades paulist…

OURINHOS A CAMINHO DO CENTENÁRIO: A FILARMÔNICA MUNICIPAL "LIRA CARLOS GOMES" (1942)

Foto por Frederico Hahn.
No século passado, toda cidade, por menor que fosse, envidava esforços para constituir uma banda municipal.  As praças tinham coreto, o qual entre outras finalidades, tinha a de abrigar uma  banda. Numa época em que poucos tinham rádio em casa, dirigir-se à praça para assistir a concertos de banda era um programa que agradava a muitos.  Ourinhos, desde a inauguração do coreto da Praça Melo Peixoto, em 1927, passou a ter uma banda municipal. É certo que volta e meia ela acabava se extinguindo, mas renascia depois de algum tempo. A banda criada em 1937, extinguiu-se, vindo a renascer no início da década seguinte, graças a ação do prefeito Horácio Soares. A inauguração deu-se na gestão do prefeito seguinte,  drº Hermelino Agnes de Leão". Em 3 de janeiro de 1942, o jornal "A Voz do Povo" noticiava a inauguração de uma nova banda
"Dar-se-á amanhã, ás 19 horas, a inauguração solene da nossa Filarmônica Municipal «Lira Carlos Gomes», organisada e dirigi…

OURINHOS A CAMINHO DO CENTENÁRIO: A FACE SUL DA CIDADE E A FAZENDA MÚRCIA

Esta é mais uma das fotos que meu pai, Francisco de Almeida Lopes, fez da cidade a partir do topo da Igreja Matriz nos anos 1950 (primeira metade, acredito). Ela é muito importante pelo registro de  vários aspectos do passado ourinhense. A paisagem que a foto descortina  acha-se hoje completamente alterada. Em primeiro plano vemos um trecho da  da Rua Rio de Janeiro, compreendido entre as Ruas Cardoso Ribeiro e Souza Soutello. Nele se acham 12 casas, 6 do lado esquerdo e 6 do lado direito, que foram construídas em área da Fazenda Múrcia. Elas constituíam o segundo lote de residências que a "Caixa" da Companhia Ferroviária  São Paulo-Paraná ergueu e financiou a empregados seus. O primeiro lote, foi aquele compreendido entre a Avenida Altino Arantes e a atual Expedicionário, na altura da Rua Monsenhor Córdova.



(Rua Monsenhor Córdova)

As duas primeiras casas na Avenida Altino Arantes: a do contador Benedito Monteiro e a do chefe de movimento Carlos Devienne (na varanda, minha tia B…

OURINHOS A CAMINHO DO CENTENÁRIO: O EXTERNATO RUI BARBOSA

O prédio do Externato Rui Barbosa, que  ficava na Avenida Altino Arantes,  é o que tem uma placa grande na varanda. Nesse local hoje está instalada uma agência da Caixa Econômica Federal.

O Externato Rui Barbosa, fundado em 1928, foi a primeira escola particular a oferecer uma modalidade de  curso ginasial em Ourinhos. Seu proprietário era Constantino Molina,  professor espanhol muito preparado, colaborador de "A Voz do Povo", onde escreveu muitos artigos sobre diversos assuntos ao longo dos anos 1930, tendo ainda publicado uma alentada narrativa sobre a Revolução de 1932 na região de Ourinhos.




Os alunos dessa modalidade de curso ginasial eram preparados na escola e, ao final do ano, iam até São Paulo prestar exames em escolas autorizadas pelo governo federal.  Em 1937, um grupo de alunos submeteu-se a  exames na Faculdade Comercial Brasil, em São Paulo. A nota mais alta entre as alunas foi 8, obtida por Rosa Fragão, Ivone Pierotti e Amélia das Neves Lopes. A mais alta entre os …