OURINHOS: RELEMBRANDO OS ANOS 1940



]





Augusto Fernandes Alonso, um mestre na marcenaria. Alguns sobrados dos anos 1930 e 1940 ainda têm escadas de sua lavra.  O belo púlpito da antiga Igreja Matriz, que se encontra no Museu,  é obra sua. Homem culto, sogro do profº Norival Vieira da Silva, lembro-me dele sentado à porta de sua casa na Avenida Altino Arantes, ao anoitecer.


No início dos  anos 1940, Ourinhos ainda não tinha uma Santa Casa e a campanha pela sua edificação ganhava força.
O Ginásio era uma instituição de ensino privada com subvenção da prefeitura. 



NECROLÓGIO


POETAS



O Externato, era de propriedade de Constantino Molina. Alguns tios, uma tia e minha mãe lá fizeram o ginásio comercial.   



Comentários

Cristina Souza escreveu:
Meu querido amigo José Carlos Neves Lopes, cujo pai foi um ótimo fotografo em Ourinhos, através de seu blog vai postando fotos e recortes de velhos jornais da cidade. Assim a história vai sendo contada e preservada. Nos anos 40, onde havia um único cinama local a programação dos filmes era mudada a cada dia e gerações de amantes do cinema foram se formando ao longo dos anos.
Beijos
Cristina