Pular para o conteúdo principal

HOMENAGEM AOS FERROVIÁRIOS


Com a encampação da Companhia Ferroviária São Paulo Paraná, em 1944, o Governo Federal criou a Rede de Viação Paraná-Santa Catarina - RVPSC, resultante de várias  ferrovias que existiam desde o final do século XIX, nos estados do Paraná e Santa Catarina. Essa ferrovia, com a Lei Federal 3.115, de 16/3/1957 passou a integrar a Rede Ferroviária Federal. Com a privatização das ferrovias, em 1997, o trecho da RVPSC passou a integrar a América Latina Logística.
A RVPSC tinha um belo emblema.
 

Num determinado momento dos anos 1960, meu pai reuniu esse grupo de ferroviários de Ourinhos (pessoal de linha, que "dava duro" na manutenção da malha) para uma foto tendo ao fundo vagões da RVPSC.
Infelizmente, não tenho os nomes dos que nela estão. Talvez o Museu Histórico Pedagógico de Ourinhos possa com o tempo identificá-los.
A identificação já se iniciou com a mensagem que recebi do ourinhense Sérgio Bueno, o qual reconheceu " ANTONIO ROIZ MARTINS, casado com uma irmã de meu pai de nome APARECIDA BUENO ROIZ, ambos já falecidos. Na foto ele aparece em pé, de camisa clara, sendo o quarto da direita para a esquerda, com a cabeça coincidindo com o final do vagão que está atrás dele. Meu tio, ANTONIO ROIZ MARTINS, era irmão de JOSÉ RUIZ MARTINS (é Ruiz mesmo), também já falecido, que era conhecido pela alcunha de Zéquinha, jogador de futebol em sua juventude, tendo jogado, inclusive, no Coritiba Futebol Clube"
Outra identificação foi feita por Benedito Brianese, que escreveu: aqueles senhores que estão em pé, encostados nos vagões, contando da esquerda para a direita, o segundo, trata-se do Sr. Santino Brianese, revisor, por sinal, era o meu PAI.
Foto por Francisco de Almeida Lopes    

Comentários

Sergio Bueno disse…
Boa tarde José Carlos.
Em primeiro lugar quero lhe parabenizar pelas excelentes matérias que você tem veiculado no Jornal Folha de Ourinhos na Coluna intitulada "Recordando...", a qual leio todas as semanas. É um trabalho de informação muito valioso, pois documenta com fotos e textos, estes de muito boa qualidade, a história de Ourinhos.
Sou ourinhense. Lendo a matéria desta semana, no jornal do dia 28 de agosto de 2011, página 09, deparei-me com uma foto de autoria de seu pai, na qual registrou um grupo de ferroviários de Ourinhos, ligados ao trabalho pesado de manutenção da malha viária.
Na coluna você informa que não tem os nomes dos fotografados. Como eu tinha um tio que trabalhava na ferrovia por aquela época e justamente no tipo de trabalho que você indicou, olhei atentamente para a foto e nela o encontrei. Trata-se de ANTONIO ROIZ MARTINS, casado com uma irmã de meu pai de nome APARECIDA BUENO ROIZ, ambos já falecidos. Na foto ele aparece em pé, de camisa clara, sendo o quarto da direita para a esquerda, com a cabeça coincidindo com o final do vagão que está atrás dele.
Meu tio, ANTONIO ROIZ MARTINS, era irmão de JOSÉ RUIZ MARTINS (é Ruiz mesmo), também já falecido, que era conhecido pela alcunha de Zéquinha, jogador de futebol em sua juventude, tendo jogado, inclusive, no Coritiba Futebol Clube.
Espero que esta minha participação contribua para a montagem completa da foto em questão.
Abraços e boa sorte!
Sergio Bueno, Ourinhos, SP, Brasil
O mundo dela disse…
Olá josé Carlos, tdo bem?
Meu nome é Richerly e eu estou realizando um trabalho sobre a catedral de Ourinhos. Sou estudante de História e meu TCC será sobre a igreja ourinhense. Gostaria de saber se o senhor poderia me achar de alguma forma a encontrar documentos como fotos e pessoas que possam me falar sobre a época da construção da Catedral.
desde já, muito obrigada.
Atenciosamente, Richerly Casini
Contate-me pelo e/mail neveslopes7gmail.com. Estou em ferias quando retornar te escrevo.
Jose Carlos

Postagens mais visitadas deste blog

O CINQUENTENÁRIO DA TURMA DE DEBUTANTES DE 1966 DO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS

A edição de 3 de setembro de 1966 do jornal O Progresso de Ourinhos saiu com a capa em cores, sendo praticamente dedicada a reportagens sobre as debutantes de 1966 do Grêmio Recreativo de Ourinhos. Na capa, a manchete foi:


Alice Chiarato, Ana Cristina Paula Lima, Aparecida de Oliveira, Cleide Prioli Gaudêncio, Cleonice das Graças Teixeira, Déa Maria dos Reis, Eloisa de Azevedo, Guacyra Maria Ferrari, Mariângela Baccili Zanoto, Mariângela Cury, Maria Ângela Pinheiro, Maria Dilza de Freitas Faria, Maria Silvia Bueno de Campos, Sílvia Nicolosi Correia, Silza Saccheli Santos







Nas páginas seguintes, as debutantes de 1966 foram entrevistadas sobre algumas de suas preferências e aspirações. Cada uma das debutantes tiveram sua foto publicada no topo da entrevista





O ator  preferido das adolescentes foi, de longe,  Rock Hudson, seguido por Alain Delon; já quanto ao cantor a preferência foi por Agnaldo Rayol.
Rock Hudson
À pergunta sobre a vocação foram citadas: engenharia química, psicologia, música, …

LIBERTO RESTA (1914-1984), O CHEFE DO ESCRITÓRIO DA SANBRA

Nessa foto de autoria de meu pai,vemos Liberto e Ditinho acompanhados por Arlindo (trabalhava na seção pessoal da Sanbra) no acordeão e Robertinho (trabalhava na Coletoria Estadual), por ocasião de uma homenagem a Ourinhos no programa televisivo de Homero Silva, no final dos anos 1960.

Nesta foto vemos o casal Liberto e Ynira, a filha Rosa Maria, Ivone Duarte de Souza, esposa do gerente da Sanbra José Fernandes de Souza e a filha Cristina por volta de finais dos anos 1950.

Os dois anos e meio em que trabalhei na Sanbra foram marcantes para mim Muitos dos empregados da fábrica e do escritório tornaram-se um paradigma para minha vida profissional ao longo de 50 anos. Um deles foi Liberto Resta. Ingressei com 15 anos no escritório, na condição de aprendiz. Liberto era o chefe do escritório.
Foi o responsável pla formação da primeira equipe do escritório da Sabra em Ourinhos.
Na foto abaixo vemos Liberto juntamente com alguns empregados do escritório e da fábrica, no ínicio dos anos 1950.
Aga…

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…