Pular para o conteúdo principal

OURINHOS A CAMINHO DO CENTENÁRIO: A PRAÇA MELO PEIXOTO NOS SEUS PRIMEIROS ANOS


Por ocasião da inauguração da Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus (1921), a atual Praça Melo Peixoto, nada mais era que um descampado, como podemos ver pela foto abaixo:
 

Quem foi Melo Peixoto?
João Batista de Melo Peixoto, (1856-1915), natural de Guaranhus, Pernambuco, formou-se em direito pela Faculdade de Direito do Recife. Iniciou sua carreira jurídica no estado natal, transferindo-se depois para o Sul. Sob o regime republicano, foi nomeado Secretário da Justiça em 1895. Elegeu-se senador estadual em 1900, tendo exercido também outras secretarias de estado.
Desconhece-se o ato formal que deu seu nome a uma praça em Ourinhos. 
Em 1927, o largo que ficava em frente a Matriz já tinha a denominação de Praça Melo Peixoto. Logo após a Revolução de 1930, a praça recebeu outra denominação, homenageando João Pessoa, um dos líderes desse movimento. Após a Revolução de 1932, a denominação foi mudada para Praça da Bandeira, retornando ao nome original logo em seguida.
A inauguração de um coreto na praça em 1927, levou a administração municipal a cuidar do seu paisagismo.
A foto abaixo, muito provavelmente de 1929, nos mostra a existência de algumas árvores no local, inclusive uma paineira que ainda existe, creio (Rua São Paulo):



Conforme registro pela imprensa local, creio que o primeiro administrador municipal a dar à Praça um aspecto mais condizente com a sua condição foi o médico drº Theodureto Ferreira Gomes. Era um clínico muito competente e estimado. 
Com o Partido Republicano desalojado do poder após a Revolução de 1930, São Paulo viveu um período de instabilidade política que acabaria desaguando na Revolução de 1932.  A cada mudança no governo do estado, mudavam-se também os prefeitos municipais. 
Em 11 de março de 1931, foi nomeado prefeito municipal, o médico Theodureto Ferreira Gomes.




Pela leitura do jornal local, "A Voz do Povo", constatamos que administração Theodureto foi bastante operante.
O novo prefeito cuidou, entre outras coisas,  da criação de uma banda municipal que daria vida à praça ao realizar concertos no coreto.  O responsável pela organização da banda foi o maestro Américo de Carvalho. 
Igualmente cuidou o prefeito  do arruamento da praça e da formação de canteiros. 



Hoje, das 19 ás 20,30
horas haverá no Jardim, um concerto pela Banda Mu­nicipal, que obedecerá ao seguinte programma :
1ª. PARTE
Santa Cruz — dobrado;
Longe dos olhos— valsa;
Canja á carioca — samba;
Garibaldi in Caprera — symphonia
2ª PARTE
Beija-Flor — dobrado;
Cavatina da Opera Attila;
La Cumparsita — tango;
Sueno Chino — fox-trot;
Republica ou Morte — marcha

Luz no jardim
A Praça João Pessoa to­ma actualmente a physionomia colorida de uma ci­dade moderna. Os magestosos prédios que se levan­tam em roda, cercam o lo­gradouro publico nos do­mingos e dias festivos, co­mo atalaias que vigiam o povo que se diverte. 

Este foi o aspecto que a Praça Melo Peixoto passou a ter e que foi mantido até a remodelação de 1937, obra do prefeito Benedito Martins de Camargo:









Comentários

Anônimo disse…
As autoridades municipais deverão mudar o sistema de iluminação da cidade por uma maior proximidade entre os postes e lâmpadas mais intensas. Digo isto por ter amigos que por aí moraram na década de 1970 e se queixaram muito da má iluminação da cidade que continua até os dias de hoje. De minha parte, que fui morador nessa cidade desde a década de 1940, quando meus pais foram a São Paulo para que eu nascesse e em Ourinhos crescesse e morasse até meados de 1960 quando segui para São Paulo para meus estudos superiores e por São Paulo ficasse. Sugiro, por essa ser a "minha cidade natal" que, além de uma melhor iluminação nas ruas, se embutisse os fios elétricos sob das calçadas, dando melhor estética e segurança aos moradores. Isto faria, também, que essa cidade fosse uma das preferidas dos deslocadores das nossas grandes cidades para o interior, em vista da maior beleza e segurança, segurança esta, que seria motivo de cartão postal para todo o País. Agradeço a consideração. Alfredo de Almeida Bessa Junior.
Obrigado Alfredo por suas considerações. A iluminação em Ourinhos melhorou deveras na última década. Também sou favorável à colocação sob as calçadas, pois efetivamente a fiação exposta é horrível. Abraço. José Carlos
Anônimo disse…
João Pessoa NUNCA foi líder da revolução de 1932

Meu caro anônimo, a sua leitura do texto incorreta. Está claro nele que João Pessoa foi um dos líderes da Revolução de 1930. Por favor, leia novamente.
Obrigado pela visita.

Postagens mais visitadas deste blog

O CINQUENTENÁRIO DA TURMA DE DEBUTANTES DE 1966 DO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS

A edição de 3 de setembro de 1966 do jornal O Progresso de Ourinhos saiu com a capa em cores, sendo praticamente dedicada a reportagens sobre as debutantes de 1966 do Grêmio Recreativo de Ourinhos. Na capa, a manchete foi:


Alice Chiarato, Ana Cristina Paula Lima, Aparecida de Oliveira, Cleide Prioli Gaudêncio, Cleonice das Graças Teixeira, Déa Maria dos Reis, Eloisa de Azevedo, Guacyra Maria Ferrari, Mariângela Baccili Zanoto, Mariângela Cury, Maria Ângela Pinheiro, Maria Dilza de Freitas Faria, Maria Silvia Bueno de Campos, Sílvia Nicolosi Correia, Silza Saccheli Santos







Nas páginas seguintes, as debutantes de 1966 foram entrevistadas sobre algumas de suas preferências e aspirações. Cada uma das debutantes tiveram sua foto publicada no topo da entrevista





O ator  preferido das adolescentes foi, de longe,  Rock Hudson, seguido por Alain Delon; já quanto ao cantor a preferência foi por Agnaldo Rayol.
Rock Hudson
À pergunta sobre a vocação foram citadas: engenharia química, psicologia, música, …

LIBERTO RESTA (1914-1984), O CHEFE DO ESCRITÓRIO DA SANBRA

Nessa foto de autoria de meu pai,vemos Liberto e Ditinho acompanhados por Arlindo (trabalhava na seção pessoal da Sanbra) no acordeão e Robertinho (trabalhava na Coletoria Estadual), por ocasião de uma homenagem a Ourinhos no programa televisivo de Homero Silva, no final dos anos 1960.

Nesta foto vemos o casal Liberto e Ynira, a filha Rosa Maria, Ivone Duarte de Souza, esposa do gerente da Sanbra José Fernandes de Souza e a filha Cristina por volta de finais dos anos 1950.

Os dois anos e meio em que trabalhei na Sanbra foram marcantes para mim Muitos dos empregados da fábrica e do escritório tornaram-se um paradigma para minha vida profissional ao longo de 50 anos. Um deles foi Liberto Resta. Ingressei com 15 anos no escritório, na condição de aprendiz. Liberto era o chefe do escritório.
Foi o responsável pla formação da primeira equipe do escritório da Sabra em Ourinhos.
Na foto abaixo vemos Liberto juntamente com alguns empregados do escritório e da fábrica, no ínicio dos anos 1950.
Aga…

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…