Pular para o conteúdo principal

A DROGASIL, ÁLVARO DE QUEIROZ MARQUES E HENRIQUE TOCALINO

Álvaro de Queiroz Marques, nascido em 11 de julho de 1900, era o mais de velho de uma família de 13 irmãos,  entre os quais quatro foram  farmacêuticos. Formou-se em 1924 pela Faculdade de Farmácia e Odontologia de Pindamonhangaba..
Estabelecido em Ourinhos, logo após a formatura, Álvaro teve participação ativa na vida empresarial,   partidária e social da cidade. 


Nesta edição de uma foto da inauguração da Clínica Ovídio Portugal (1938), Álvaro é o primeiro à esquerda (primeira fila). O terceiro é José das Neves Júnior.  Os três últimos são Mário Branco, Moacyr de Mello Sá e Narciso Nicolosi filho (Zico) . A última senhora, sentada, é dona Chiquinha Mano Filho, esposa de José Esteves Mano filho, que foi prefeito. 
A foto original é de autoria de Frederico Hahn.

Em 1934, vamos encontrá-lo fazendo parte do diretório local do Partido Republicano Paulista, como membro do conselho consultivo. Na primeira eleição para vereador (1936) após a promulgação da Constituição Paulista de 1935, foi eleito pelo PRP com 32 votos.
Em 1941, integrou a comissão organizadora da Santa Casa de Misericórdia.
Álvaro era sócio da Drogaria Amarante, uma das cinco tradicionais drogarias que vieram constituir a Drogasil (Sul América, Amarante, Ypiranga, Orion e Morse), como uma sociedade de quotas de participação limitada.
Em 1936, a Drogasil construiu um prédio em Ourinhos, ao lado do Hotel Comercial. Álvaro tornou-se o seu gerente.


Foto por Francisco de Almeida Lopes

A Voz do Povo, 4-4-1936
Prédios novos

A cidade, como indice de seu visivel progresso, atravessa uma phase de grande actividade no ramo de construcções. Em quasi todas as ruas notam-se alicerces, andaimes, escava­ções e prédios em construcção. Dentre estas, sem du­vida, avulta o bello predio da Drogasil, na avenida Altino Arantes, junto ao Hotel Commercial. Essa construcção, feita pelo com­petente profissional snr. Tocalino, é uma das mais bonitas e confortáveis da cidade. Seu aspecto externo é de uma belleza rara. 
Suas linhas architectonicas, vasadas em estylo moderno, são da maxima elegancia. 
E’ um predio que enfeita a cidade.

Nossos parabéns a Dro­gasil e ao illustre amigo sr. Tocalino.

Na segunda metade dos anos 1940, Álvaro adquiriu uma farmácia no bairro de Higienópolis, em São Paulo,  para onde mudou-se, convidando um de seus irmãos, Paulo, que tinha um laboratório em Ourinhos,  para ser seu sócio. Nasceu assim a Farmácia Buenos Aires.


Em São Paulo, Álvaro fez parte do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos e foi um dos primeiros conselheiros do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo.
Seu irmão Paulo continua no ramo,   mantendo o laboratório de manipulação Buenos Ayres.

HENRIQUE TOCALINO

Foto de autoria desconhecida.

Henrique Tocalino (1874-1962), nascido em Buenos Aires, veio para  a região próxima a Ourinhos em 1914, mais precisamente para a Fazenda da Água do Bugre, em Cambará, onde construiu a sede da fazenda, o terreiro de café e as casas dos colonos. A casa sede foi construída com material importado: telhas e lajotas francesas, calhas de cobre, etc. Em seguida, fixou moradia em Ourinhos, .onde tornou-se um dos mais importantes construtores.  São de sua lavra os prédios do primeiro ginásio de Ourinhos e da Santa Casa de Misericórdia, a Clínica do drº Ovídio Portugal de Souza, ainda existente na Expedicionário, a residência do drº Hermelino de Leão, na Altino Arantes, já derrubada.


Prédio do Ginásio, anos 1940.

Na segunda metade dos anos 1930 e início da década seguinte, construiu a maior parte das casas financiadas para empregados da Companhia Ferroviária São Paulo-Paraná. Muitas delas ainda existem,  com fachadas totalmente renovadas, no quadrilátero Cardoso Ribeiro, Expedicionário, Monsenhor Córdova e Altino Arantes e também na Rio de Janeiro, Souza Soutello e Cardoso Ribeiro. 
As estações  da Companhia Ferroviária São Paulo-Paraná até Rolândia foram obra sua.
Sua última obra foi a sede da Fazenda das Furnas.
Henrique Tocalino foi casado com Emília Terçariol. O casal teve os filhos: Alzira, Henriqueta, Adalgisa, Leonilda, Bráulio, Mariquinha, Arlindo e Fausto.





Comentários

Nancy Nicolosi Soares disse…
Gostei de ver as fotos, pois têm meu pai e meu avô, contar o histórico
do farmacêutico, eu o conheci bem, obrigada,um abraço. Nancy.
Paulo de Queiroz Marques disse…
Paulo de Queiroz Marques escreveu:
Paulo Queiroz escreveu:
Querida e amADA \CRISTINA
PARA MIM FOI DE BELS LEBRANÇAS E S AUDDES
Reenviei para meus d sobrhod netos do Alval
Encacntados obrigsdo
Paulo de Queiroz Marques disse…
Paulo de Queiroz Marques escreveu:
Paulo Queiroz escreveu:
Querida e amADA \CRISTINA
PARA MIM FOI DE BELS LEBRANÇAS E S AUDDES
Reenviei para meus d sobrhod netos do Alval
Encacntados obrigsdo

Postagens mais visitadas deste blog

O CINQUENTENÁRIO DA TURMA DE DEBUTANTES DE 1966 DO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS

A edição de 3 de setembro de 1966 do jornal O Progresso de Ourinhos saiu com a capa em cores, sendo praticamente dedicada a reportagens sobre as debutantes de 1966 do Grêmio Recreativo de Ourinhos. Na capa, a manchete foi:


Alice Chiarato, Ana Cristina Paula Lima, Aparecida de Oliveira, Cleide Prioli Gaudêncio, Cleonice das Graças Teixeira, Déa Maria dos Reis, Eloisa de Azevedo, Guacyra Maria Ferrari, Mariângela Baccili Zanoto, Mariângela Cury, Maria Ângela Pinheiro, Maria Dilza de Freitas Faria, Maria Silvia Bueno de Campos, Sílvia Nicolosi Correia, Silza Saccheli Santos







Nas páginas seguintes, as debutantes de 1966 foram entrevistadas sobre algumas de suas preferências e aspirações. Cada uma das debutantes tiveram sua foto publicada no topo da entrevista





O ator  preferido das adolescentes foi, de longe,  Rock Hudson, seguido por Alain Delon; já quanto ao cantor a preferência foi por Agnaldo Rayol.
Rock Hudson
À pergunta sobre a vocação foram citadas: engenharia química, psicologia, música, …

LIBERTO RESTA (1914-1984), O CHEFE DO ESCRITÓRIO DA SANBRA

Nessa foto de autoria de meu pai,vemos Liberto e Ditinho acompanhados por Arlindo (trabalhava na seção pessoal da Sanbra) no acordeão e Robertinho (trabalhava na Coletoria Estadual), por ocasião de uma homenagem a Ourinhos no programa televisivo de Homero Silva, no final dos anos 1960.

Nesta foto vemos o casal Liberto e Ynira, a filha Rosa Maria, Ivone Duarte de Souza, esposa do gerente da Sanbra José Fernandes de Souza e a filha Cristina por volta de finais dos anos 1950.

Os dois anos e meio em que trabalhei na Sanbra foram marcantes para mim Muitos dos empregados da fábrica e do escritório tornaram-se um paradigma para minha vida profissional ao longo de 50 anos. Um deles foi Liberto Resta. Ingressei com 15 anos no escritório, na condição de aprendiz. Liberto era o chefe do escritório.
Foi o responsável pla formação da primeira equipe do escritório da Sabra em Ourinhos.
Na foto abaixo vemos Liberto juntamente com alguns empregados do escritório e da fábrica, no ínicio dos anos 1950.
Aga…

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…