31.5.12

RELEMBRANDO... A ESCOLA TÉCNICA DE COMÉRCIO DE OURINHOS , A "ESCOLA DO JORGINHO"

Quando faleceu o profº Jorge Herkrath, comentei com minha mãe o desejo que eu tinha de escrever um artigo a  respeito do "Jorginho" pela importância que teve na história da educação da cidade, já que foi professor do antigo Ginásio de Ourinhos e dono de escola. Meus avós foram vizinhos da família Herkrath, de modo que tivemos uma certa proximidade. 
Como era de hábito, minha mãe,  repórter auxiliar que foi em várias ocasiões, lançou-se a campo para obter informações. Com o que obteve escrevi o artigo.
Hoje, remexendo em várias pastas de documentos e fotos do meu acervo,  deparei-me com esse artigo do jornal "Correio de Notícias", de 25-12-1957, que Amélia  conseguira  para mim. Ele foi escrito pelo "foca" de apenas 16 anos, José Carlos Marão, a pedido do profº Norival Vieira da Silva. Já demonstrava o jovem Marão   o talento que o levaria longe na profissão que abraçaria .
Esse jornal (Correio de Notícias)  teve, infelizmente, sua coleção desaparecida. Certa ocasião, conversando a respeito com meu amigo recém falecido, Carlos Cassetari, pedi-lhe que buscasse informações a respeito, Obteve algumas, porém, contraditórias. 
Creio que esse órgão de imprensa foi o sucessor de "A Voz do Povo", que deixou de circular em 1951.
Os  membros do conselho administrativo eram: Reinaldo Alves de Souza, Armando D'Andréa e Antonio Luiz da Costa.
O diretor responsável : Cândido Barbosa Filho; o professor Norival Vieira da Silva era um dos redatores.
Tinha então Ourinhos nessa época três jornais de peso: o Correio de Notícias que deixaria de circular logo em seguida: a jovem "Folha de Ourinhos", de Miguel Farah, fundada em 21/4/1956 e o jovem "Diário da Sorocabana", cuja fundação foi articulada pelo  então Deputado Federal udenista Silvestre Ferraz Egreja, de Ipauçu. Ferraz Egreja e Abreu Sodré trouxeram um talentoso jornalista para comandar o Diário da Sorocabana - Salvador Fernandes. Terá sobrevivido a coleção do "Diário"? O jornal foi um dos melhores que Ourinhos já teve. Com a palavra as filhas e os netos de Salvador Fernandes.  
O artigo de José Carlos Marão contém muitas  informações sobre a Escola Técnica de Comércío de Ourinhos, constituindo hoje um documento importante para a história da Educação na cidade.


Clique sobre o artigo para poder lê-lo 






Um comentário:

José Carlos Marão disse...

José Carlos Marão escreveu:
Fantástico. O José Carlos Neves Lopes faz um verdadeiro trabalho de arqueologia, pesquisando e descobrindo essas velhas peças da História de Ourinhos. É emocionante ver, nesta web do século 21, o meu primeiro trabalho assinado. Bom, “modestamente”, acho que melhorei bastante nos anos seguintes. Esse texto não tem nada a ver com aqueles que publiquei, poucos anos depois, em O Cruzeiro e em Realidade. Eu ainda não conhecia as técnicas do lead e outras mais. Mas vale para ver como um menino de 16 anos podia ser pretensioso... Apenas me perguntei: se um rapaz de 16 anos me mostrasse um texto assim, na década de 60 ou 70, eu o contrataria? Acho que sim, pois mostra coordenação lógica, clareza e cumpre o objetivo, apesar do estilo escolar. E apesar de um erro de português logo na primeira frase: não se diz “há dez anos atrás”. O certo, sabemos, é “há dez anos” ou “Dez anos atrás”. O importante é que resgata uma parte importante da história da cidade. E fica a emoção de ver um trabalho quase infantil ser republicado. Obrigado ao xará José Carlos.