OURINHOS NO LIMIAR DOS ANOS 1960.


CLIQUE SOBRE A FOTO PARA VÊ-LA BEM GRANDE


Desconheço a autoria da foto, Editei-a para  melhor fazer determinados destaques e poder  apreciar a cidade dos meus anos de adolescente  - os anos sessenta.Iniciando pela esquerda, a Rua São Paulo, onde se pode apreciar a enormidade do Hotel Internacional, visto dos fundos, um dos mais antigos da cidade, na época ainda em mãos da família Beltrami. À sua direita a suja rodoviária. Em frente ao Hotel, na esquina, o "Mapeuva", lembram-se, onde saboreei a primeira vitamina. Em seguida, para a esquerda, no meio do quarteirão, a Companhia Telefônica Brasileira.
Subindo, vê-se o fundo dos sobrados do Frederico Hahn e do Alberto Matachana.Igualmente o fundo da enorme casa da família Ferrari. À direita, a Cia de Automóveis de Raul Silva. Em frente à Casa Alberto o sobrado da Caixa Econômica Federal, onde ficava o consultório do drº Ospar, dentista muito bom. Na extremidade esquerda, vê-se o sobrado do Banco Mercantil, com a residência do gerente na parte superior - Rolando Vendramini.
Subindo a Arlindo Luz o quarteirão dos Mori com a serraria ao fundo. O enorme terreno vago onde foi construído o novo cinema, a Igreja Matriz sendo revestida externamente.
Na extremidade esquerda a Padaria Oriente, já nessa altura de outro proprietário.
Na Cardoso Ribeiro, o sobrado do Fantinatti, a casa da dona Ivete, a bicicletaria e bar dos japoneses. Mais à esquerda, a casa do "Ditinho da Polícia" e o prédio da antiga Prefeitura.
Hoje paro por aqui.


Comentários