GALILEU ANDOLFO (1879-1960) O MAESTRO DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS


No Jardim Paulista, há uma rua denominada Galileu Andolfo, embora a grafia de seu nome no localizador por CEP seja:

Rua Adolfo Galileu, Jardim Paulista, Ourinhos - SP - CEP 19906455.


Hoje a grande maioria dos que residem ou trabalham nessa rua, talvez não saibam quem foi Galileu Andolfo.



Galileu Andolfo, nascido em 22 de  setembro de 1879,  era natural de Pozzonovo, Pádova, Itália. Sendo o filho mais velho, adotou a profissão do pai, alfaiate,  como era de hábito entre aqueles que eram artesãos, porém, a sua grande vocação era a música. Aconselhado pelo cunhado Heráclito Sândano, que estava radicado em Ourinhos, veio para o Brasil em 1917 com a esposa Gema Sândano e dois filhos, Aristides e Fernanda.
O seu estabelecimento em Ourinhos praticamente coincidiu com a criação da Paróquia do Senhor Bom Jesus, em 1919. Desse modo, o jovem músico italiano era a pessoa ideal para ser a responsável pela música litúrgica na Igreja do Senhor Bom Jesus da Paróquia de Ourinhos, já em condições de celebração de missas, em 1923.  E assim foi por mais de quarenta anos.
Na Avenida Jacinto Sá edificou sua casa,  onde residiu até a sua morte. Uma casa que tinha o mais lindo canteiro de flores da cidade, como recordam seus vizinhos e outros moradores da Barra Funda.
Na Igreja Matriz, localizada na Praça Melo Peixoto, organizou o coral que atuava em várias cerimônias religiosas. O maestro era o organista que tocava nos casamentos, cerimônias, casamentos e missas fúnebres.
Eu, um garoto de sete anos, presente na missa de sétimo dia de meu avô, José das Neves Júnior, em janeiro de 1955, subi os degraus que levavam ao "côro", e me postei ao lado do pequeno órgão vendo aquele senhor com pequenos dedos executando uma música que ficou gravada nos meus ouvidos. Era um trecho do "Réquiem" , de Giuseppe Verdi, o grande compositor italiano. Daí até ao início da minha adolescência, tornei-me um frequentador assíduo do coro em casamentos para poder  vê-lo tocar acompanhando os dois maiores cantores da cidade: Thomas Lopes e Carolina Mela Ribeiro da Silva, a dona Cali; isso na "Igreja Velha"e na Igreja Nova". 
Também professor piano, Galileu passou a lecionar em casa das famílias mais abastadas, ensinando meninos e meninas a tocar o instrumento; no Cine Cassino, acompanhava as  projeções de filmes mudos.

Foto de autoria desconhecida.

Famílias Rosa  e Andolfo

 O Antonio é o quarto da esquerda para a direita da última fila. O primeiro é o Humberto Rosa, Maestro Galileu, Hugo Rosa, Antonio, Augusto, Ernesto Rosa, Joaqim Rosa e o meu avo Alexandre Rosa.

Por ocasião de sua morte em 14 de junho de 1960, foi homenageado pela Câmara Municipal de Ourinhos em sessão especial, na qual discursaram os vereadores Salvador Fernandes e Alfredo de Almeida Bessa. Este último assim encerrou a sua saudação:
"Galileu nasceu, viveu e morreu de acordo com o primado de sua bondade. Se foi pequeno física e monetariamente,  não deixou de ser grande, exuberante, de bondade, de afetividade (...).
Este foi o Galileu da Itália,o Galileu de Ourinhos."

Fontes: "Diário da Sorocabana" e depoimentos de seu filho Ulisses e da neta Irma Canizela , em 2001.
Artigo meu na "Folha de Ourinhos", do dia 23 de setembro de 2001, reescrito nesta ocasião.


Comentários

Rony Furtado disse…
Realmente a rua ao lado do Colégio Técnico leva o nome de Adolfo Galileu. Não sabia que era Galileu Andolfo. A partir de agora vou chamar só pelo nome correto. Obrigado :)
Agostinho Carvalho disse…

Agostinho Carvalho Como a Ana Lucia eu também fui vizinho do saudoso Galileu.Levei muita corrida dele, pois no jardim havia uma planta que pondo no fogo estalava,ele ficava muito bravo,Mas foi uma otima pessoa,bem como todo sua familia,com seu filho Aristides,Dona Rosa,seus filhos Armandol,Celina,AdelquiDemocrito,Irma,Domitila.Saudades.
Nyelse Ribeiro de Carvalho disse…

Nyelse Ribeiro de Carvalho Muitas lembranças da família: a querida d.Rosa (comadre de minha mãe), a parreira com uvas deliciosas sobre o poço de água fresca, as roseiras...<3 ah e a 1ª vez que comi rã foi na casa dela.
Ronaldo Canizella disse…

Ronaldo Canizella Conheci meu bisavô já bem velhinho. Ele faleceu quando eu tinha 5 anos. Mas lembro dele sempre de terno preto e brincava com as crianças de "bolim bolacha", escondendo um dedal numa das mãos. Nós apreciamos música mas ninguém da família seguiu carreira. Da geração atual, minha filha Luciana estuda Canto Popular no Conservatório de Tatuí.
Ana Lucia Gonçalves Chiaradia Abud disse…

Ana Lucia Goncalves Chiaradia Abud O pouci que sei de piano, aprendi com o maestro.... que a gente simplesmente chamava por Seu Galileu. Moravana esquina da Jacintocom a Goiás, era nosso vizinho. Em frente á sua casa tinha o jardim mais lindo que já vi...
Rosangela Mobrizi Gabrigna disse…

Rosangela Mobrizi Gabrigna A minha casa era exatamente na fren te da casa dele , todas as roseiras florindo ,belas lembranças.amizades que passam por gerações
Arnaldo Damasceno disse…
Arnaldo Damasceno é bom viver o passado o Maestro Galileu, bisavô da minha espôsa Rose Mari Sanchs Damasceno e eu convivi com êle por intermédio da minha família(família Rosa)