13.8.16

A ELEIÇÃO MUNICIPAL DE 1963 EM OURINHOS


Em outubro próximo haverá eleições municipais. 
Refletindo sobre esse assunto, resolvi pesquisar na imprensa local sobre a   eleição municipal de 1963, a que deu a   Domingos Camerlingo Caló, o seu segundo mandato de prefeito. Ele havia sido prefeito no período de 1952 a 1955, sendo sucedido por José Maria Paschoalick (1956-1959) e  Antônio Luiz Ferreira (1960-1963).
Nas eleição municipal de 1963, concorreram à prefeitura duas forte lideranças locais: Domingos Camerlingo Caló e José Maria Paschoalick.


Vivia o país,  nessa ocasião, um clima radicalizado pelas posições políticas assumidas tanto  à esquerda como  à direita. É evidente que esse posicionamento repercutia também no âmbito dos municípios brasileiros.
Podemos dizer que,  em Ourinhos,  tínhamos à direita  os partidos PSP, PRP, UDN e  à esquerda o PTB. Camerlingo era do PRP e Paschoalick do PTB. 
Os três partidos mais fortes na cidade a essa altura eram o PSP (ademarista), o PRP ,  a UDN e o PTB.  Ourinhos tinha   9634 eleitores, dos quais 5028 votaram em Domingos Camerlingo Caló, ou seja, pouco mais de 50 %; embora  eu não tenha encontrado a totalização dos votos brancos e nulos, percebe-se que foi uma eleição disputadíssima.




Um aspecto interessante na eleição de 1963 foi o grande número de jovens na faixa dos  20 e 30 anos que concorreram. Para citar apenas os que conheci: Dirceu Bento da Silva, Irineu Ferrazoli, Luciano Correia da Silva, Arlindo Bicheri, Celso Cruz,Irineu Veronezi, José Luiz Devienne, José Carlos Monteiro, Orison Fernandes Alonso, Hélio Miguel Leal, Jorge de Barros Carvalho, Harugi Seno, Geraldo Bernardini, Ary Francisco Negrão, 
Os vereadores eleitos foram: 

Esta foto, de autoria desconhecida, com certeza foi tirada na cerimônia de diplomação dos vereadores eleitos:


Da direita para a esquerda identifico: o dentista Lauro Zimmerman, Irineu Ferrazoli ,o dentista Ortésio Pereira da Silva, Clóvis Ferraz, tesoureiro da prefeitura, Edu Azevedo, Demerval Ferreira, o prefeito Antonio Luiz Ferreira (em pé), no centro.




Sobrado na Rua São Paulo, onde, no andar superior onde  funcionou o GRO até os anos 1940 e, depois, a Câmara Municipal de Ourinhos.


O jornal "Diário da Sorocabana", que apoiava abertamente a UDN, publicou uma longa entrevista fornecida por escrito pelo candidato professor José Maria Paschoalick, da qual selecionei alguns trechos:



No ano seguinte, com o golpe militar, o professor José Maria Paschoalick chegou a ser preso e foi  aposentado compulsoriamente. 



Nenhum comentário: