Pular para o conteúdo principal

A PRAÇA PREFEITO CAMARGO, UMA HOMENAGEM A BENEDITO MARTINS DE CAMARGO

A Praça Prefeito Camargo foi criada em 1948 para homenagear o prefeito Benedito Martins de Camargo (1934-1937), falecido em 1939.Como o prefeito Camargo foi vizinho de cerca de meu avô, fui criado ouvindo referências a esse ilustre morador de Ourinhos.
As novas gerações que passam diariamente por essa praça central, já nem se lembram de sua denominação, hoje é mais comum referir-se a ela como a "praça da Catedral".



Essa praça ficou muitos e muitos anos abandonada pela municipalidade, embora ali estivesse localizada a Igreja Matriz, que somente foi concluída interna e externamente nos anos 1960. 
O único "adorno" que lhe deram foi nos anos 1960 com o plantio de várias mudas de flamboyant em seu entorno. Trata-se de espécime originária da ilha de Madagascar, cujas raízes externas assumem formas diversas,e que,  anualmente, nos oferece belos cachos de  flores vermelhas.
Até o início dos anos 1960, a praça era ocupada por nós, garotos que moravam nas suas proximidades para brincadeiras e jogos diversos, principalmente o jogo de bets e de bolhinha de vidro (gude). Também a Congregação Mariana ocupou uma parte do seu entorno para construir um barracão onde funcionava sábado à noite o denominado "cineminha do padre".
Com a conclusão da parte externa da Igreja Matriz e edificação de suas torres, a Praça Prefeito Camargo recebeu um trabalho paisagístico,e nossas brincadeiras e o "cineminha"tiveram fim. Bem,  nessa altura já éramos adolescentes e tínhamos outros centros de atenção.



Foto por José Carlos Neves Lopes


A praça chegou a ter por muitos anos um jardineiro da prefeitura que cuidava dos seus canteiros, o saudoso senhor Nelson, que depois de aposentado tornou-se jardineiro de muitas famílias da redondeza, inclusive a minha.
Feita essa apresentação, transcrevo aqui parte da notícia publicada em 31 de julho de 1948 sobre o ato de emplacamento da"praça da
Nova Matriz"


Dona Alzira com a filha Maria Helena ao colo, Padre Vitor Moreno, vigário de Ourinhos, o bispo de Botucatu, Dom Carlos Duarte Costa e Benedito Martins de Camargo, na varanda da casa na Rua 9 de Julho, onde hoje se encontra o Colégio Anglo. Foto de autoria desconhecida.

Praça Prefeito Camargo
De grande prova de apreço e de reconhecimento, foi a homenagem póstuma, que Ourinhos, por sua Municipalidade, prestou, segunda-feira p. passada, ás 17 horas, á memória do seu saudoso e sempre reverenciado amigo, Prefeito Benedito Martins de Camargo, dando a uma das praças desta cidade o nome de Praça Prefeito Camargo. Ao ato da imposição da nova placa, compareceram o Snr. Prefeito Municipal, membros da Camara Municipal, autoridades, representantes da imprensa, a viuva do homenageado, d. Alzira Portela de Camargo, destacadas personalidades políticas e sociais de Ourinhos. A placa, dando a nova denominação á praça da Nova Matriz, estava coberta pela Bandeira Nacional, cabendo á viuva do saudoso homenageado, d. Alzira Portela de Camargo, desvenda-la, o que foi feito por entre salva de palmas dos presentes. O nosso digno e acatado Prefeito Municipal, Prof. Cândido Barbosa Filho, deu por inaugurada a nova denominação da referida praça, delegando a palavra ao Dr. Salem Abujamra, para, em nome da Prefeitura e do povo de Ourinhos, saudar d. Alzira Portela de Camargo, rendendo na sua pessoa, uma homenagem ao seu extinto esposo, cujo nome vinha de ser dado a uma das praças mais centrais de Ourinhos. O dr. Salem Abujamra, com a palavra, desincumbiu-se magnificamente da missão, relembrando, com eloquencia, o que foi a vida de Benedito Martins de Camargo para esta cidade, que ele amou muito e a ela se dedicou de coração. O discurso do dr. Salem Abujamra agradou sobremaneira, recebendo o orador, ao findar, fartos aplausos. Agradecendo, em nome da sra. d. Alzira Portela de Camargo e da familia Martins Camargo, respondeu o Snr. vereador Joaquim Lino de Camargo Junior, mostrando-se sensibilizado com aquela homenagem á memória de seu irmão, que de perto tocava a todos eles, da familia. Findo o seu discurso, muito aplaudido, foram batidas varias chapas do ato. Para assisti-lo vieram de S. Paulo, acompanhando d. Alzira Portela Camargo, os Srs. Deocleciano P. Camargo, José Luiz Camargo, Paulo Brasilio Camargo, Carlos Alberto Mendes e sua esposa, d. Lidia Camargo Mendes, que regressaram á capital no mesmo dia. 
Prefeito Benedito Martins de Camargo. Foto de autoria desconhecida.


Desse modo, Ourinhos prestou, em 1948,uma justa homenagem a Benedito Martins de Camargo, que hoje tem seu nome perpetuado numa das mais importantes praças da cidade.

A DEMOLIÇÃO DA "IGREJA VELHA"
Sempre que é postada uma foto da "Igreja Velha", os (as) mais velhos (as) lamentam a sua derrubada, apesar de que seria difícil para a Cúria manter duas igrejas numa mesma paróquia, além do fato de a "Igreja Nova", ainda necessitar de muitos recursos para o seu término, o que somente ocorreu em meados dos anos 1960.
Descobri outro dia o projeto de lei nº 15, de 1949, que jogou mais luzes sobre o que ocorreu. A "Igreja Nova foi edificada num terreno que pertencia à Prefeitura e, que, em 1949, recebeu a denominação de Praça Prefeito Camargo. Para legalizar a situação, houve na verdade uma troca entre a Diocese de Botucatu e a Prefeitura, a primeira doou o terreno da Igreja Velha para a Prefeitura, e esta recebeu em troca o terreno onde se edificou a "Nova" .

A Prefeitura, então, teve que demolir a igreja antiga e deve ter doado aquele terreno para a Telefônica ou o vendido a esta.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O CINQUENTENÁRIO DA TURMA DE DEBUTANTES DE 1966 DO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS

A edição de 3 de setembro de 1966 do jornal O Progresso de Ourinhos saiu com a capa em cores, sendo praticamente dedicada a reportagens sobre as debutantes de 1966 do Grêmio Recreativo de Ourinhos. Na capa, a manchete foi:


Alice Chiarato, Ana Cristina Paula Lima, Aparecida de Oliveira, Cleide Prioli Gaudêncio, Cleonice das Graças Teixeira, Déa Maria dos Reis, Eloisa de Azevedo, Guacyra Maria Ferrari, Mariângela Baccili Zanoto, Mariângela Cury, Maria Ângela Pinheiro, Maria Dilza de Freitas Faria, Maria Silvia Bueno de Campos, Sílvia Nicolosi Correia, Silza Saccheli Santos







Nas páginas seguintes, as debutantes de 1966 foram entrevistadas sobre algumas de suas preferências e aspirações. Cada uma das debutantes tiveram sua foto publicada no topo da entrevista





O ator  preferido das adolescentes foi, de longe,  Rock Hudson, seguido por Alain Delon; já quanto ao cantor a preferência foi por Agnaldo Rayol.
Rock Hudson
À pergunta sobre a vocação foram citadas: engenharia química, psicologia, música, …

LIBERTO RESTA (1914-1984), O CHEFE DO ESCRITÓRIO DA SANBRA

Nessa foto de autoria de meu pai,vemos Liberto e Ditinho acompanhados por Arlindo (trabalhava na seção pessoal da Sanbra) no acordeão e Robertinho (trabalhava na Coletoria Estadual), por ocasião de uma homenagem a Ourinhos no programa televisivo de Homero Silva, no final dos anos 1960.

Nesta foto vemos o casal Liberto e Ynira, a filha Rosa Maria, Ivone Duarte de Souza, esposa do gerente da Sanbra José Fernandes de Souza e a filha Cristina por volta de finais dos anos 1950.

Os dois anos e meio em que trabalhei na Sanbra foram marcantes para mim Muitos dos empregados da fábrica e do escritório tornaram-se um paradigma para minha vida profissional ao longo de 50 anos. Um deles foi Liberto Resta. Ingressei com 15 anos no escritório, na condição de aprendiz. Liberto era o chefe do escritório.
Foi o responsável pla formação da primeira equipe do escritório da Sabra em Ourinhos.
Na foto abaixo vemos Liberto juntamente com alguns empregados do escritório e da fábrica, no ínicio dos anos 1950.
Aga…

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…