Pular para o conteúdo principal

A POSSE DO PRIMEIRO PREFEITO ELEITO PELO VOTO DIRETO: CÂNDIDO BARBOSA FILHO




Na foto, de autoria desconhecida, vê-se a leitura da ata pelo oficial maior João de Almeida Prado, ao centro o prefeito empossado Cândido Barbosa Filho. Atrás Reinaldo Azevedo, Padre Eduardo Murante,  Padre Pedro, Armando D'Andrea, Benedito Monteiro e Telésforo Tupiná.
Foto cedida  por Hélio Herrera

O ano de 1947 aproximava-se de seu final. Os  novos partidos políticos nacionais tinham agora de fazer suas alianças locais para a escolha de seus candidatos às prefeituras municipais. 
No Estado de São Paulo, uma  agremiação política - o Partido Social Progressista - conseguira eleger o primeiro governador eleito pelo voto direto -  Ademar Pereira de Barros, que fora por muitos o interventor em São Paulo.
Já organizado em Ourinhos com nomes de peso, o PSP anunciou o seu candidato o professor Cândido Barbosa Filho. Morador de Ourinhos há muitos anos, "Barbozinha" assim chamado devido a sua pequena estatura, não tivera destaque nos meios políticos nos anos 1930 e primeira metade dos 1940, mas estivera frente de iniciativas importantes que lhe deram destaque e fora Coletor Estadual. Foi ele o escolhido como candidato do PSP:

"PARTIDO SOCIAL PROGRESSISTA
Diretório Municipal Ourinhos
Deliberação da Convenção Municipal
A convenção municipal do Partido Social Progressista de Ourinhos, realizada em 2 de Outubro de 1947, resolveu escolher os seguintes candidatos à eleição municipal do dia 9 de Novembro de 1947:
Para Prefeito Municipal: Cândido Barbosa Filho.
Para Vereadores: Horácio Soares; Moacyr de Mello Sá; Raul Silva; Germano Zulzke; Álvaro Franco de Camargo Aranha; João Marciano de Melo; e Júlio Zaki Abucham.
Ourinhos, 4 de Outubro de 1947.
Pedro Féres Presidente
Júlio Zaki Abucham - 1º Secretário"
À exceção de Horácio Soares, que fora prefeito durante o Estado Novo, os demais eram novatos na política local. Tinham a seu favor o fato de serem s empresários destacados na cidade.
Embora o apoio do governador do estado fosse de peso, seria necessário uma aliança com algum dos novos partidos criados, e a escolha, por incrível que pareça, deu-se com a  UDN - União Democrática Nacional, partido que congregara os adversários do Estado Novo.
Os outros partidos tiveram como candidatos: o Partido Social Democrático - PSD, em aliança com  o Partido de Representação Popular - PRP, o contador Antônio Luiz Ferreira; o Partido Trabalhista Brasileiro - PTB, o engenheiro José Esteves Mano Filho e pelo Partido Trabalhista Nacional, Tito Prado.
Venceu a eleição realizada no dia 9 de novembro de 1947, o professor Cândido Barbosa Filho (924 votos); em segundo lugar ficou Antônio Luiz Ferreira com 719 votos (seria eleito prefeito em 1959), Tito Prado obteve  434 votos e Mano Filho 131.
Os três vereadores mais votados foram Joaquim Lino de Camargo Filho 140 votos,  Domingos Camerlingo Caló 138 e João Bento Vieira da Silva, 137 .
Compuseram a Câmara de Vereadores:  (PSP-UDN) Joaquim Lino de Camargo Filho, João Bento Vieira da Silva, Altamiro Pinheiro, Horácio Soares, Telésforo Tupiná, Moacir de Melo Sá, Benedito Monteiro, Raul Silva,  (PSD-PRP) Domingos Camerlingo Caló, Alberico Albano, Alberto Braz, PTN Francisco Cristoni e João Batista Lopes.    
Assim, em 1º de janeiro de 1948, teve lugar a instalação da Câmara Municipal e a posse dos vereadores e prefeito eleitos em 9 de novembro de 1947:

INSTALAÇÃO DA MESA
Precisamente ás 22,10 horas, chegou á Prefeitura Municipal o Exmo. Snr. Dr. Antonio da Rocha Paes, Juiz Eleitoral da 82.ª zona.
Notamos a presença de S Revmas. Padre Eduardo Murante , vigário da paroquia; Padre Pedro, Capelão da Santa Casa local; Snr. Adail  Faria da Cunha, Prefeito em comissão; Dr Arlindo Viveiros de Figueiredo, DD. Promotor de Justiça; Pedro Mattar, presidente do Diretorio do P.S.P. local; Snr. Reinaldo de Azevedo, diretor deste semanario e Delegado de Policia em exercido e ainda de mais de uma centena de pessoas, das quais não pudemos anotar nomes.
O Dr. Juiz Eleitoral, tomando assento á mesa convidou para secretaria-la os Snrs. Altamiro Pinheiro e Alberto Braz. Fazendo uso da palavra, S. Excia. produziu brilhante e patriótica alocução tendo sido as sua ultimas palavras abafadas por estrondosa salva de palmas Logo em seguida procedeu-se a elei­ção da mesa, tendo sido eleitos para presidente o Snr. Horacio Soares e para l.o e 2.o secretários, respectivamente, os Snrs. Telésforo Tupiná e Alvaro Franco de Camargo Aranha. Na presidência da mesa o Snr. Horacio Soares convocou uma reunião extraordinária para nela ser empossado o Snr. CândidoBarbosa Filho no cargo de Prefeito Municipal, sessão essa que se realizou logo em seguida, tendo o chefe do Executivo Municipal feito o juramento de praxe precisamente as 24 horas. Logo após procedeu-sea eleição do Vice Presidente da Casa, tendo a escolha recaído na pessoa do Snr. Joaquim Lino de Camargo Junior. Discursando, o sr. Horacio Soares agradeceu aos seus pares a sua escolha para o cargo de Presidente da Camara, tendo sido muito aplaudido. Encerrada que foi a sessão e assinada a ata da primeira reunião da Camara Municipal de Ourinhos, o Vereador Alberto Braz pede a palavra peIa ordem para hipotecar ao Prefeito empossado, em nome da minoria, a sua solidariedade. Afirmou S.S. os propositos da sua bancada de colaborar para o completo exito de sua administração.
Em bonita peça oratoria o sr. Cândido Barbosa Filho dirige palavras de agradecimentos aos presentes, ressaltando a necessidade de uma administração apolitica, para o bem estar do município."
Fonte: A VOZ DO POVO, 3 DE JANEIRO DE 1948, em www.tertulianadocs.com.br

 Desse modo, no alvorecer de 1948, Ourinhos tinha uma nova administração que se mostraria fecunda em realizações importantes há muito almejadas.

Comentários

Anônimo disse…
Olá, parabéns pelo blog, muito bom. Gostaria de saber onde você consegue estas ótimas informações, muito boas. Desde já, obrigado.

Postagens mais visitadas deste blog

O CINQUENTENÁRIO DA TURMA DE DEBUTANTES DE 1966 DO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS

A edição de 3 de setembro de 1966 do jornal O Progresso de Ourinhos saiu com a capa em cores, sendo praticamente dedicada a reportagens sobre as debutantes de 1966 do Grêmio Recreativo de Ourinhos. Na capa, a manchete foi:


Alice Chiarato, Ana Cristina Paula Lima, Aparecida de Oliveira, Cleide Prioli Gaudêncio, Cleonice das Graças Teixeira, Déa Maria dos Reis, Eloisa de Azevedo, Guacyra Maria Ferrari, Mariângela Baccili Zanoto, Mariângela Cury, Maria Ângela Pinheiro, Maria Dilza de Freitas Faria, Maria Silvia Bueno de Campos, Sílvia Nicolosi Correia, Silza Saccheli Santos







Nas páginas seguintes, as debutantes de 1966 foram entrevistadas sobre algumas de suas preferências e aspirações. Cada uma das debutantes tiveram sua foto publicada no topo da entrevista





O ator  preferido das adolescentes foi, de longe,  Rock Hudson, seguido por Alain Delon; já quanto ao cantor a preferência foi por Agnaldo Rayol.
Rock Hudson
À pergunta sobre a vocação foram citadas: engenharia química, psicologia, música, …

LIBERTO RESTA (1914-1984), O CHEFE DO ESCRITÓRIO DA SANBRA

Nessa foto de autoria de meu pai,vemos Liberto e Ditinho acompanhados por Arlindo (trabalhava na seção pessoal da Sanbra) no acordeão e Robertinho (trabalhava na Coletoria Estadual), por ocasião de uma homenagem a Ourinhos no programa televisivo de Homero Silva, no final dos anos 1960.

Nesta foto vemos o casal Liberto e Ynira, a filha Rosa Maria, Ivone Duarte de Souza, esposa do gerente da Sanbra José Fernandes de Souza e a filha Cristina por volta de finais dos anos 1950.

Os dois anos e meio em que trabalhei na Sanbra foram marcantes para mim Muitos dos empregados da fábrica e do escritório tornaram-se um paradigma para minha vida profissional ao longo de 50 anos. Um deles foi Liberto Resta. Ingressei com 15 anos no escritório, na condição de aprendiz. Liberto era o chefe do escritório.
Foi o responsável pla formação da primeira equipe do escritório da Sabra em Ourinhos.
Na foto abaixo vemos Liberto juntamente com alguns empregados do escritório e da fábrica, no ínicio dos anos 1950.
Aga…

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…