22.9.15

1948 - UM SEMINÁRIO E UM COLÉGIO PARA OURINHOS

O ano de  1948 iniciava-se promissor. No dia 1º de janeiro era constituída a primeira legislatura da Câmara Municipal e tomava posse o primeiro prefeito eleito pelo voto direto: Cândido Barbosa Filho.
Dois dias depois, o semanário "A Voz do Povo" publicava:
 
"SEMINÁRIO JOSEFINO NOSSA SENHORA DE GUADALUPE - OURINHOS

Os Padres Josefinos têm o grato prazer de convidar o bom povo de Ourinhos para assistir á solene Benção da Pedra Fundamental

do Seminário NOSSA SENHORA DE GUADALUPE, que vai se realizar no dia 6 de Janeiro, ás 4 e meia horas da tarde.

A cerimônia será abrilhantada pelas honrosas presenças de

ilustres personalidades:

Exmo. Snr. D. Antonio José dos Santos, DD. Bispo de Assis;
Exmo Snr. D. Geraldo de Proença Sigoud, DD Bispo de Jacarézinho e Exmo. Monsenhor José Melhado Campos, nosso digno Vigário Capitular.
Paraninfarão a Benção da Pedra Fundamental do Seminário Josefino os Exmos. Snrs:
Prof. Cândido Barbosa Filho, Prefeito Municipal de Ourinhos e exma. Sra.
Dr. Antonio da Rocha Paes. DD. Juiz de Direito da Comarca e Exma. Sra.
Cel. Antonio Almeida Leite e Exma. Sra.
Cario Farina e Exma. Sra
Antonio Silva, Prefeito Municipal de Quatá e Exma. Sra.
Nicola Carona e Exma. Sra.
Mansueto Lunardi e Exma. Sra.
Oswaldo Lunardi e Exma. Sra.
Pedro Primo Orzesi, Prefeito Municipal de Manduri e Exma. Sra.
Antonio Arbex e Exma. Sra.
 P R O G R A M A
DIA 6 DE JANEIRO DE 1 9 4 8

Às 15 horas — na Matriz, hora de Adoração pelas Vocações
Sacerdotais no Brasil, pregada pelo Exmo. Mons. José Melhado, Vigário Capitular e Reitor do Seminário de Botucatú. É feito particular convite ás Irmandades.
Às 16,30 horas
— no lugar da Construção, após vários e breves discursos, finalizando a solenidade as Autoridades religiosas procederão á Benção da Pedra Fundamental.
Os Padres Josefinos cordialmente agradecem a todos que os honrarem com sua presença."

A paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe foi criada por provisão do Bispo de Botucatu, Dom Henrique Goland Trindade, em 12 de dezembro de 1957. A sua instalação deu-se em 27 de abril de 1958.



A igreja em construção.







O interior da igreja.




O prédio do Seminário em construção.  Foto de autoria desconhecida.


Os primeiros padres Josefinos do Seminário. Foto de autoria desconhecida.  O segundo, sentado,  da esquerda para a direita é o Pe. Bernardino Baccolo. O último à direita, em pé,  é o Padre Duílio Liburdi.

No dia 6 de janeiro, "Dia de Reis", a cidade recebia dois presentes: eram lançadas as pedras fundamentais de duas instituições religiosas: a do Seminário Josefino  e do Colégio Santo Antônio.


A benção da pedra fundamental do Colégio Santo Antônio ocorreu  no quarteirão de propriedade das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, na Rua Arlindo Luz, às 10h30. Falaram na ocasião o Dr. Antônio da Rocha Paes e o padre Eduardo Murante, vigário local.

Foto de autoria desconhecida. Nela vemos o quarteirão onde estava sendo edificado o prédio do colégio, na Rua Arlindo Luz.






Às 16h30, "nos altos da Vila Perino", teve lugar a benção da pedra fundamental do Seminário Josefino, de propriedade da Congregação dos Oblatos de São José.

Em meio a "uma grande multidão", a pedido dos Josefinos,  o srº Antônio Luiz Ferreira deu início à cerimônia, anunciando que a benção seria efetuada por Don Geraldo de Proença Sigoud, bispo de Jacarezinho. Após a benção falaram o juiz de direito Dr. Antonio da Rocha Paes, Padre Eduardo Murante, Antônio Silva e D. Geraldo Proença de Sigaud.

Procedida a leitura da ata, foi a mesma assinada pelas autoridades presentes sendo  uma cópia colocada no local da pedra fundamental juntamente com outras relíquias.
Todos os atos foram filmados pelo srº Osvaldo Lunardi.
Existirá ainda uma cópia desse filme?

Agradeço a Hélio Herra a cessão de algumas fotos.






















































2 comentários:

Noel disse...

José Carlos, bom dia ! Obrigado ! Mais uma vez você nos brinda com agradáveis lembranças que nos remete à infância e adolescência felizes. Uma particularidade da cidade de Ourinhos, daquela época, era o rico sincretismo acessível a todos nós desde pequeno. Ao mesmo tempo em que recebia orientação religiosa na família com valores protestantes, ainda podia assistir manifestações de umbandista quando voltava do futebol no Campo do Operário; ou das congadas na Gruta Baiana e também frequentar o campo de futebol do seminário e mais adiante suas concorridas quermesses. Por sinal, essas quermesses marcaram o final da minha adolescência e início da puberdade - foi ali que fui despertado para a relação amorosa A primeira namorada, através do "correio elegante" e os primeiros beijos na boca. Doces lembranças ! Forte abraço, do Noel.

José Carlos Neves Lopes disse...

Noé, obrigado pela presença. Suas lembranças ourinhenses são sempre bem vindas.