24.12.12

O NATAL DE 1957


Passávamos o Natal invariavelmente em casa de meus avós. Assim foi desde 1947, meu primeiro Natal, até 1964, o último de minha avó.

Família muito grande, afinal eram doze os filhos, nem sempre foi possível a reunião de todos. Somente em duas ocasiões isso foi possível, em 1948 e em 1956. Todas elas registradas em fotos por meu pai.

Os filhos homens já casados quase sempre passavam o Natal na casa dos sogros. Um número grande deles já fora de Ourinhos, o que nem' sempre possibilitava sua presença nessa ocasião.

Meu tio Juca, foi o que mais esteve presente nos Natais em Ourinhos. Ele passava o Natal com a mãe em Ourinhos e o Ano Novo com os sogros na Casa Verde, São Paulo. Uma prática democrática, sem dúvida.

Esta bela foto ilustra um momento natalino em casa de meus avós, na Rua 9 de Julho nº 102.

Após o almoço, um grupo se reuniu no quintal para degustar uvas, numa das poucas ocasiões em que o autor da maioria das fotos aqui postadas ao longo de 12 anos pode se fazer presente, como sempre fazendo pose como era seu hábito ("em fotos devemos posar").

Estamos dispostos em círculo iniciado pela esquerda por meu primo, o jornalista, crítico de teatro e escritor Jefferson, minha tia Nim, meu tio Manolo, minha avó, Lourdes Reclusa, chefe das telefonistas que lá morava na ocasião, eu, o primo Francisco Eduardo (Duá) e meu pai Francisco de Almeida Lopes segurando um cacho de uvas, fruta natalina por excelência.

É com esse feliz clima familiar registrado em foto que desejo saudar todos (os)(as) leitores (as) desta coluna e do blog, agradecendo a sua fidelidade ao longo dos anos que se passaram.

A todos (as) um Feliz Natal e um Novo Ano com a realização de tudo aquilo que almejarem.


Nenhum comentário: