17.12.11

Dalton José de Souza - 20/03/1947 - 17/12/2011

Meu companheiro de bancos escolares, Claudio Roberto Vigna, escreveu:

"É com o coração apertado, o sentimento de impotência e já com saudades que lhes escrevo.


Amigo desde os idos anos 50/60, generoso, de sorriso lindo, alma pura, amigo ímpar, querido

por muitos, ... deixa saudades. Tímido como era, contrastava com o jeito extrovertido de 
Dna. Dalila, sua mãe. Viveram por um bom tempo na R. Expedicionário e seu pai tinha uma 
papelaria ao lado do velho Cine Pedutti.



Fanático por futebol, palmeirense roxo e bom de bola, era contemporâneo de amantes desta arte,

como Denylton, Celso Sutter, Cal, Mário Vascon, João Carlos (Melancia), Robson Preto, Robson Branco,
Ivanil e tantos outros, que no “Graminha” faziam suas peladas quase que diárias.


Mudou-se de Ourinhos para Itapetininga em 63 e de lá para São Paulo. Trabalhou como administrador financeiro
na área médica por muitos anos e atualmente vivia em Vinhedo com a família. Terezinha, uma grande mulher, e seus
filhos o acompanharam nesta labuta contra um câncer nestes últimos anos.



Ao lado dos seus, nos deixou nesta madrugada.
O velório será ao lado do cemitério de Vinhedo e o enterro às 16:00h.
Que tenha a paz merecida."
 Cláudio R. Vigna

Dalton foi meu companheiro de bancos escolares, somos do mesmo ano, 1947. Recordo-me dele e de seus irmãos e pais com saudades.
Saudades e o descanso merecido.

José Carlos Neves Lopes


Nenhum comentário: