ENTREVISTA A JOÃO VICTOR PONTES

Esta entrevista foi solicitada pelo jovem João Victor Pontes, de 13 anos de idade, aluno do ensino fundamental do Colégio Objetivo/Santo Antônio. A foto é uma edição para destacar a Igreja Velha. É de uma cerimônia realizada em 1938.
Quanto tempo demorou a construção da Igreja Matriz?
O templo começou a ser erguido na segunda metade dos anos 1940. No início dos anos 1950, já estava levantado e coberto. A comissão diretora da construção foi constituída em 1943, sob a presidência honorária do Bispo de Botucatu (Diocese a que a Paróquia de Ourinhos estava subordinada) e presidência do padre Eduardo Murante, vigário de Ourinhos. O lançamento da pedra fundamental foi em Julho de 1944, com a celebração de uma missa campal pelo bispo.
No início dos anos 1950, já estava consagrado o templo e se realizavam cerimônias e missas simultanealmente na "Igreja Velha" da Praça Melo Peixoto e na "Nova".
A derrubada da "Igreja Velha" deve ter sido em 1956 ou 1957, creio.
Quem foi o idealizador?
 Foi o Padre Eduardo Murante. O construtor foi Ezelino Zório; o mestre de obras Tomás Lopes
Qual foi a importância dela para os ourinhenses na época?
 Os paroquianos  ficaram muito felizes porque, afinal, o velho templo já não comportava o número de fiéis, devido ao  crescimento populacional. Não havia ainda outras paróquias.  Afinal era um templo monumental.
Desde sua inauguração até hoje, a igreja passou por reformas, ampliações ou manteve o projeto original?
 As torres e o revestimento externo somente foram concluídos nos anos 1960 (início), já sob o Padre Domingos Trivi, que substituiu o Padre Eduardo. Nessa ocasião já haviam sido instalados os três belos altares de mármore. Sob a  influência  do Concílio Vaticano II, as imagens foram quase todas retiradas e igualmente os três altares! Acredito ter sido durante o vicariato do Padre Arnaldo Beltrami. Os bancos que lá existem são os mesmos até hoje, igualmente o piso. A pintura interna e a  externa  são  bem mais recentes. Com a elevação da paróquia a sede de bispado muita coisa mudou no seu interior, sob a influência do bispo, é claro. Os belos vitrais são os originais.
Qual é sua opinião a respeito da demolição da antiga igreja e da construção da nova?
Como a maioria dos católicos que a conheceram, eu lamento. Ela devia ter sido mantida, até por ter sido o primeiro templo e era um patrimônio histórico. Veja você, o belo púlpito em madeira sobreviveu à demolição e encontra-se hoje no Museu local. Acho que ele deveria estar na Catedral, muito embora já não se utilizem púlpitos hoje em dia. Foi obra do marcineiro Augusto Fernandes Alonso.

Comentários

Nancy Nicolosi Soares comentou

Talvez você não saiba mas eu idealizei um desfile de modas com chá como era hábito para comprarmos os bancos da nova igreja.

Foi um sucesso e a renda que tivemos deu para comprar vinte bancos,estes estão lá.Trabalhou comigo para isso,Maria Lígia Carvalho

e Maria José Rodrigues Alves(nós três ainda solteiras),dona Maria Auxiliadora(professora).Tenho um certo orgulho disso...

Abraços,Nancyi