IRMÃ VIVALDA – CIDADÃ OURINHENSE


Com a venda do prédio do antigo Colégio Santo Antonio para a Fundação Educacional Miguel Mofarreji – FEMM chega ao fim a presença e atuação da das Irmãnzinhas da Imaculada Conceição em Ourinhos. De se lamentar a decisão da responsável pela congregação em não permitir a continuidade da remanescente do grupo que atuou em Ourinhos - Irmã Vivalda.

Em 1946, Cândido Barbosa Filho, que seria eleito prefeito no ano seguinte, foi a São Paulo para tratar com superiora da ordem religiosa da construção de um colégio em Ourinhos, em terreno doado por Horácio Soares, que havia loteado parte de sua fazenda.

Instaladas inicialmente num barracão que ficava na Rua São Paulo, as irmãs pioneiras já iniciavam, em 1947, o atendimento de alunos (as) matriculados no Jardim de Infância. A matrícula custava vinte cruzeiros e mensalidade trinta. Podiam se matricular crianças de 3 a 7 anos de idade. O horário de aulas era das 12 às 16 horas.

As obras de construção do prédio tiveram início em 1947.

Nos anos 1950 e 1960 o atendimento educacional compreendia o ensino fundamental e o ensino médio em regime de internato e externato, além da existência de um excelente conservatório musical.

Eu ingressei no Jardim de Infância do Colégio Santo Antônio em 1953. No ano seguinte fiz o Pré-Primário. Minhas professoras foram respectivamente: Irmã Virgínia e Irmã Esmeralda, ambas já falecidas. Irmã Esmeral ainda cheguei a visitar em São Paulo, nos anos 1960.

Com o passar dos anos e o encerramento das atividades educacionais, poucas Irmãs ficaram em Ourinhos, entre elas as últimas foram a Irmã Celestina, já falecida, e a Irmã Vivalda.

Nascida em Nova Trento (SC), em 1926, Josefina Maria Dell’Antonio fez sua profissão religiosa em 1952, vindo logo em seguida para Ourinhos a fim de lecionar francês.

Era a mais bela de todas, com um rosto que fazia lembrar a atriz italiana Silvana Mangano. Está na memória de todos os ourinhenses a imagem dela dirigindo a caminhonete verde que o Colégio possuía.

Domingo passado, por ocasião da celebração da Missa de 7º Dia de minha mãe, nos encontramos na Catedral do Senhor Bom Jesus. Apesar de triste com o fato de deixar Ourinhos está feliz e orgulhosa com a concessão do título de Cidadã Honorária Ourinhense, graças à iniciativa do vereador drº Salim Mattar. Ourinhos muito deve às batalhadoras irmãs que elevaram o nome da cidade no campo educacional.

Parabéns Irmã Vivalda, a senhora merece esse título.

Na foto, por Francisco de Almeida Lopes, vemos à esquerda Irmã Vivalda, recém chegada em Ourinhos, no desfile de 7 de Setembro de 1954, acompanhando o pelotão de alunos do curso Pré-Primário, que tinha à frente o garoto José Carlos e logo atrás portando o Pavilhão Nacional a garota Maria Vitória Silvestrini Brizola.


Comentários