Pular para o conteúdo principal

IRMÃ VIVALDA – CIDADÃ OURINHENSE


Com a venda do prédio do antigo Colégio Santo Antonio para a Fundação Educacional Miguel Mofarreji – FEMM chega ao fim a presença e atuação da das Irmãnzinhas da Imaculada Conceição em Ourinhos. De se lamentar a decisão da responsável pela congregação em não permitir a continuidade da remanescente do grupo que atuou em Ourinhos - Irmã Vivalda.

Em 1946, Cândido Barbosa Filho, que seria eleito prefeito no ano seguinte, foi a São Paulo para tratar com superiora da ordem religiosa da construção de um colégio em Ourinhos, em terreno doado por Horácio Soares, que havia loteado parte de sua fazenda.

Instaladas inicialmente num barracão que ficava na Rua São Paulo, as irmãs pioneiras já iniciavam, em 1947, o atendimento de alunos (as) matriculados no Jardim de Infância. A matrícula custava vinte cruzeiros e mensalidade trinta. Podiam se matricular crianças de 3 a 7 anos de idade. O horário de aulas era das 12 às 16 horas.

As obras de construção do prédio tiveram início em 1947.

Nos anos 1950 e 1960 o atendimento educacional compreendia o ensino fundamental e o ensino médio em regime de internato e externato, além da existência de um excelente conservatório musical.

Eu ingressei no Jardim de Infância do Colégio Santo Antônio em 1953. No ano seguinte fiz o Pré-Primário. Minhas professoras foram respectivamente: Irmã Virgínia e Irmã Esmeralda, ambas já falecidas. Irmã Esmeral ainda cheguei a visitar em São Paulo, nos anos 1960.

Com o passar dos anos e o encerramento das atividades educacionais, poucas Irmãs ficaram em Ourinhos, entre elas as últimas foram a Irmã Celestina, já falecida, e a Irmã Vivalda.

Nascida em Nova Trento (SC), em 1926, Josefina Maria Dell’Antonio fez sua profissão religiosa em 1952, vindo logo em seguida para Ourinhos a fim de lecionar francês.

Era a mais bela de todas, com um rosto que fazia lembrar a atriz italiana Silvana Mangano. Está na memória de todos os ourinhenses a imagem dela dirigindo a caminhonete verde que o Colégio possuía.

Domingo passado, por ocasião da celebração da Missa de 7º Dia de minha mãe, nos encontramos na Catedral do Senhor Bom Jesus. Apesar de triste com o fato de deixar Ourinhos está feliz e orgulhosa com a concessão do título de Cidadã Honorária Ourinhense, graças à iniciativa do vereador drº Salim Mattar. Ourinhos muito deve às batalhadoras irmãs que elevaram o nome da cidade no campo educacional.

Parabéns Irmã Vivalda, a senhora merece esse título.

Na foto, por Francisco de Almeida Lopes, vemos à esquerda Irmã Vivalda, recém chegada em Ourinhos, no desfile de 7 de Setembro de 1954, acompanhando o pelotão de alunos do curso Pré-Primário, que tinha à frente o garoto José Carlos e logo atrás portando o Pavilhão Nacional a garota Maria Vitória Silvestrini Brizola.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O CINQUENTENÁRIO DA TURMA DE DEBUTANTES DE 1966 DO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS

A edição de 3 de setembro de 1966 do jornal O Progresso de Ourinhos saiu com a capa em cores, sendo praticamente dedicada a reportagens sobre as debutantes de 1966 do Grêmio Recreativo de Ourinhos. Na capa, a manchete foi:


Alice Chiarato, Ana Cristina Paula Lima, Aparecida de Oliveira, Cleide Prioli Gaudêncio, Cleonice das Graças Teixeira, Déa Maria dos Reis, Eloisa de Azevedo, Guacyra Maria Ferrari, Mariângela Baccili Zanoto, Mariângela Cury, Maria Ângela Pinheiro, Maria Dilza de Freitas Faria, Maria Silvia Bueno de Campos, Sílvia Nicolosi Correia, Silza Saccheli Santos







Nas páginas seguintes, as debutantes de 1966 foram entrevistadas sobre algumas de suas preferências e aspirações. Cada uma das debutantes tiveram sua foto publicada no topo da entrevista





O ator  preferido das adolescentes foi, de longe,  Rock Hudson, seguido por Alain Delon; já quanto ao cantor a preferência foi por Agnaldo Rayol.
Rock Hudson
À pergunta sobre a vocação foram citadas: engenharia química, psicologia, música, …

LIBERTO RESTA (1914-1984), O CHEFE DO ESCRITÓRIO DA SANBRA

Nessa foto de autoria de meu pai,vemos Liberto e Ditinho acompanhados por Arlindo (trabalhava na seção pessoal da Sanbra) no acordeão e Robertinho (trabalhava na Coletoria Estadual), por ocasião de uma homenagem a Ourinhos no programa televisivo de Homero Silva, no final dos anos 1960.

Nesta foto vemos o casal Liberto e Ynira, a filha Rosa Maria, Ivone Duarte de Souza, esposa do gerente da Sanbra José Fernandes de Souza e a filha Cristina por volta de finais dos anos 1950.

Os dois anos e meio em que trabalhei na Sanbra foram marcantes para mim Muitos dos empregados da fábrica e do escritório tornaram-se um paradigma para minha vida profissional ao longo de 50 anos. Um deles foi Liberto Resta. Ingressei com 15 anos no escritório, na condição de aprendiz. Liberto era o chefe do escritório.
Foi o responsável pla formação da primeira equipe do escritório da Sabra em Ourinhos.
Na foto abaixo vemos Liberto juntamente com alguns empregados do escritório e da fábrica, no ínicio dos anos 1950.
Aga…

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…