O RESTAURANTE IPÊ


Em 1964, no mês de setembro, Ourinhos via inaugurado um empreendimento que fez sucesso ao longo dos anos seguintes,  e que marcou os jovens da minha geração.
Esse empreendimento foi o Restaurante Ipê, localizado no último quarteirão da Rua 9 de Julho, à esquerda de quem ia em direção ao Correio. Os responsáveis pelo empreendimento, ao que parece foram Delfino Tossi e Arnaldo Abuhamad, filho de um dos donos do famoso Bar Central, localizado na Praça Melo Peixoto.
Em 1966, a sociedade foi dissolvida, retirando-se Delfino que, no ano seguinte, inaugurava o novo restaurante da Rodoviária de Ourinhos, localizada na Rua São Paulo.
A edição de 9-7-1967 do jornal "O Progresso de Ourinhos", noticiava:

Estivemos em visita à rodoviária local. Quem viu
aquilo antes e vê agora ... Tudo novo, limpinho feito
com gosto, com carinho. Um lugar convidativo
"Milhões" foram gastos e o sr Delfino Tossi (doutor no
assunto) conseguiu, como num passe  de magica dotar
 Ourinhos de mais um decentíssimo bar restaurante
coisa rara aliás, em se  tratando de estações
rodoviárias. Uma beleza.


IPÊ, recebeu no dia da posse do ROTARY, 250 pessoas das quais 110 eram visitantes, 19 clubes vizinhos estiveram presentes, e o Rotary está de parabéns. Foi a maior reunião jantar que assistimos até hoje, muita gente, muita movimentação e muita beleza. 



Não sei até quando o Restaurante Ipê subsistiu. Eu aproveitei-o no transcorrer do ano de 1965, o último que passei em Ourinhos, costumava frequentá-lo nos finais de semana,  na medida das possibilidades financeiras de um adolescente.
Era um bar e restaurante de muito bom gosto arquitetônico. Possuía um mezanino.
A propaganda abaixo,  inserida na  edição de  3 de setembro  de 1964 do jornal Diário da Sorocabana,  mostra a bela fachada  moderna  do Restaurante Ipê:



Num de seus aniversários, meu amigo tardio, Roberto Pellegrino lá comemorou um de seus aniversários juntamente com amigos e amigas mais próximos:


Nesta foto, vemos à esquerda , o ferroviário, garçom e desportista ourinhense Salvador Munhoz de Castro, Marlene Alberine, Armandinho D'Andrea, Beth Fenley, Euclides Rossignoli, Silvio Sangermano.



Nesta, partindo da esquerda: Armandinho, Sílvio, Roberto Pellegrino, Gracinha Galvão (Bessa), Luizito (Luiz Cordoni Júnior), o filho do José Braz da farmácia, Georgeta Gonçalves e Ronaldo Mori. Pode-se ver o mezanino.





O brinde.

A pesquisa deve-se ao Acervo Tertuliana e as fotos, de autoria desconhecida,  são do acervo de Roberto Pellegrino .

Comentários

Flavio Ferreira disse…
Muito bacana a história do Ype. O quadro com o ipe amerelo florido era de autoria do pintor Bráulio, entao casado com Yara Branco.
Nando Saraiva disse…
Bom dia,José Carlos.
Espero ajudar nos comentários das fotos;
foto 1- SALVADOR MUNHOZ DE CASTRO, ferroviário, garçom e desportista ourinhense, não reconheci, Armandinho D'Andrea, não reconheci, Euclides Rossignoli, Silvio Sangermano.

Nando Saraiva

Nando Saraiva disse…
José Carlos
Eu acho que vc confundiu a Marisa Brandimarte com a Georgeta Gonçalves, filha vereador João Flausino Gonçalves.
Nando Saraiva
Obrigado Nando pelas informações. Foram feitas as devidas correções e acréscimos.
Abraço.
José Carlos
germaneo disse…
No jornal impresso,não fazia referencia ao Salvador Munhoz de Castro....por aqui devidamente corrigido....
Anônimo disse…
Flávio Devienne Ferreira comentou:

Nunca tinha ouvido falar dessa familia, dos Teixeira sim. Ela tem cara de quem estudava em SP.
Na Maria Antonia ou na PUC, ou o Sedes, na epoca.
Tem nome de personagem. Dessas moças que depois viraram guerrilheiras.


A outra moça, cabelo e vestido bem anos 60, parece artista de cinema.
não aparece o nome dessa moça.
adorei ver o garçom - parece ator de filme italiano. lembro me dele com o arnaldo e arlete,
e a norma, q dirigiram o restaurante nos anos 70, um segundo escritorio do meu pai.

aquela mesa proximoao balcao era a mesa cativa dele e alguns de seus amigos,
seu plinio de barros, vagner romero e edmundo almeida e tantos outros que
passaram por ali. lembro muito de irmos la ficar com meu pai - e conhecer artistas e celebridades que estavam por Ouros, Mazzaroppi, Marilia Pera, Juca Chaves,

parabéns pela matéria . Ainda tenho uma pergunta pra populacao ourinhense:

ONDE FOI PARAR O QUADRO DO IPE AMARELO EM FLOR DO PINTOR BRAULIO, que ficava
na entrada do restaurante, ate o ultimo dia esteve la!

Na frente do restaurante, uma arvore de ipê q nunca chegou a crescer.

(eu sei porque calhou de eu estar em ouros na época uns tempos quando o restaurante finalmente fechou - o quadro estava lá. )