11.7.15

OURINHOS E A REVOLUÇÃO DE 1932

Ourinhos foi palco de ações militares por ocasião da "Revolução de 1932".
Ao que tudo indica, formaram-se na região dois batalhões : "Teopompo" em Ourinhos e "Ibrahim Nobre" em Salto Grande, do qual fez parte o jornalista Miguel Farah.











Na foto abaixo vemos o Batalhão "Teopompo" posando em frente ao coreto da Praça Melo Peixoto, No centro da foto vemos o Padre Vitor Moreno, vigário local. Nela também identifico o capitão Carlos Amaral e ao lado da Bandeira Brasileira  Laudelina do Amaral, esposa de José Felipe do Amaral, que foi prefeito de Ourinhos. 


Na área do atual Clube Diacui,  formaram-se trincheiras das tropas paulistas para dar combate às tropas legalistas vindas do Sul, acantonadas do outro lado do Rio Paranapanema.
A luta estendeu-se, em território paulista, até 2 de outubro de 1932.
Com a derrota de São Paulo, tropas legalistas entraram em território paulista por Ourinhos e Chavantes, em direção à capital paulista.
A foto abaixa foi publicada num suplemento do "Jornal da Divisa", de 9 de julho de 1982, organizado pelo jornalista Benedito Pimentel por ocasião do cinquentenário da revolução.
Ela foi tirada na entrada da ponte ferroviária  metálica sobre o Rio Paranapanema, no dia 7-10-1932. Pela data, após o término da luta, os soldados que ali são vistos devem ser soldados legalistas.

Rua Paraná, ao lado do Banco Comercial e da residência do gerente.

Um comentário:

João Neto disse...

Professor Aníbal afirmava que não houve confronto na divisa Ourinhos/Marques dos Reis, apenas soldados entrincheirados, dizia ele... Vendo as imagens, tantos anos depois, cabe-me dizer que ele estava equivocado! Grande parte da história registrada em imagens! Parabéns!