Pular para o conteúdo principal

A RUA 9 DE JULHO ENTRE A ARLINDO LUZ E A PARANÁ


Este trecho da Rua 9 de Julho, antiga Minas Gerais, tornou-se local de passagem obrigatória dos desfiles de 7 de setembro, a partir da metade dos anos 1940.
Ali havia dois estabelecimentos bancários, um deles a Caixa Econômica Federal (do lado esquerdo da foto), o prédio de três andares de Frederico Hahn, fotógrafo alemão estabelecido na cidade desde o início dos anos 1930 ( lado direito quase na esquina com Arlindo Luz. Lá ele tinha o seu estúdio fotográfico (Foto Vitória) e a sua residência.
Do  lado direito da foto, vemos a residência do industrial Ítalo Ferrari, recém-construída no novo estilo da lavra de Henrique Tocalino,  de final dos anos 1940. Em seguida, havia um terreno vazio, provavelmente de propriedade de Arquipo Matachana, onde o filho Alberto construiu a "Casa Alberto", especializado em roupas e calçados.
Não foi possível identificar a escola que desfilava naquele instante.






Do mesmo local, o andar superior do prédio da esquina com rua Paraná, é esta foto  que contém uma data: 7-9-1950. Nela se veem novamente o sobrado de Frederico e a residência dos Ferrari. No local da Caixa Econômica Federal, está hasteado o pavilhão nacional. No terreno baldio, em cujos muros vemos propaganda política do candidato da UDN para presidente da república, o Brigadeiro Eduardo Gomes, estava instalado um parque de diversões.







Comentários

Anônimo disse…
A casa vizinha ao lado direito do Frederico Hans, foi a primeira casa em que meus pais moraram em Ourinhos após sua formatura em 1936. Eu e Joaquim Luiz nascemos enquanto meus pais moravam ali, até 1942. Dalí fomos para a Rua do Expedicionário, 450(?). Em 1950 mudamos para a Av. Altino Arantes, 141 (?) e, finalmente, de lá fomos para a Rua Euclides da Cunha, 690, onde, em 1978, faleceu minha mãe e, em em 1982, meu pai.
Alfredo de Almeida Bessa Junior.
Alvaro. disse…
Olá José Carlos,td bem com vc,espero que esteja bem,não vi mais os seus emails que me encantava quando abro nos domingos,um abraço.
PEREIRINHA disse…
Dona Lilia; gostaria de pedir a snhora um favor, para que consulte nos arquivos da RADIO club de Ourinhos e nos jornais da epoca que vai de 1957 a 1968 aonde tive com meu irmao uma das duplas mais famosas dessa epoca que era Pereira e Pereirinha e tive programa na radio clube por 10 anos e trabalhamos nas 2 eleiçoes que domingos camerlingo callo foi eleito prefeito de ourinhos. na epoca. Dona Lilia tenho muitos acontecimentos na area artistica sertaneja da cidade de ourinhos e da radio clube desde la de 1956 quando ela foi reinaugurada em 1956 com transmiddores novos que meu primo, livino ribeiro de camargo instalou, e em 1960 quando a radio cub pegou fo eu estava la e ajudei a apagar.tenho nomes de varias duplas da epoca. SE senhora quiser saner tudo com detalhes faço parte dessa historia e gostaria d lhe diser. tel.971758546,OU NO FC.ANESIO @ YAHOO.COM .BR OU TEL RES.36038320, PEREIRINHA. POR FAVOR ME RESPONDA OK TENHO VARIAS HISTORIAS DA VIDA DE OURINHOS DE 1957 A 1968 QUE NAO CONSTA NOS ARQUIVOS DE HISTORIAS DE OURINHOS E REGIAO POI EU SOU NATURAL DE IRAPE DIST.DE XAVANTES .Com minha dupla Pereira e Pereirinha ganhei 18 trofeus e fomos contratados para varios swous comicio nas eleiçoes de janio, adhemar. jucelino ai na praça da matriz co 70 80 mil pessoas, e estranho as fotos tiradas pelos jornais da epoca ai de ourinhos, nao constar em nenhuam lugar da historias de ourinhos e varios acontecimentos tambem acontecidos nao constar nenhum registro..por exemplo os jornalistas, erineu verones que saiu da radio club e veio para radio cacique de santos, o carvalho, cido Leitte, Ze maria o jose antonio sanches o japones, os tecnicos de som Moadir e Moacir. a lucia da discoteca, o prof. Jairo Prof. de eletronica e outros que nao da tempo de diser. . Fico no GUARDO. Se uiser entre no yotub em Pereirinha solos de viola caipira que vera solos de violas . meu do tiao carreiro, bambico. Eu e meu irmao saimos dai a convitr de tiao carreiro e pardinho, para radio nacional, radio piratininga no programa Lari larai do augusto toscano em 1967. eu faço parte dessa historia que nao consta em nenhum registro da historia de ourinhos. GRATO E SUCESSO. [EM AGUARDO A SUA RESPOSTA.]

Postagens mais visitadas deste blog

O CINQUENTENÁRIO DA TURMA DE DEBUTANTES DE 1966 DO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS

A edição de 3 de setembro de 1966 do jornal O Progresso de Ourinhos saiu com a capa em cores, sendo praticamente dedicada a reportagens sobre as debutantes de 1966 do Grêmio Recreativo de Ourinhos. Na capa, a manchete foi:


Alice Chiarato, Ana Cristina Paula Lima, Aparecida de Oliveira, Cleide Prioli Gaudêncio, Cleonice das Graças Teixeira, Déa Maria dos Reis, Eloisa de Azevedo, Guacyra Maria Ferrari, Mariângela Baccili Zanoto, Mariângela Cury, Maria Ângela Pinheiro, Maria Dilza de Freitas Faria, Maria Silvia Bueno de Campos, Sílvia Nicolosi Correia, Silza Saccheli Santos







Nas páginas seguintes, as debutantes de 1966 foram entrevistadas sobre algumas de suas preferências e aspirações. Cada uma das debutantes tiveram sua foto publicada no topo da entrevista





O ator  preferido das adolescentes foi, de longe,  Rock Hudson, seguido por Alain Delon; já quanto ao cantor a preferência foi por Agnaldo Rayol.
Rock Hudson
À pergunta sobre a vocação foram citadas: engenharia química, psicologia, música, …

LIBERTO RESTA (1914-1984), O CHEFE DO ESCRITÓRIO DA SANBRA

Nessa foto de autoria de meu pai,vemos Liberto e Ditinho acompanhados por Arlindo (trabalhava na seção pessoal da Sanbra) no acordeão e Robertinho (trabalhava na Coletoria Estadual), por ocasião de uma homenagem a Ourinhos no programa televisivo de Homero Silva, no final dos anos 1960.

Nesta foto vemos o casal Liberto e Ynira, a filha Rosa Maria, Ivone Duarte de Souza, esposa do gerente da Sanbra José Fernandes de Souza e a filha Cristina por volta de finais dos anos 1950.

Os dois anos e meio em que trabalhei na Sanbra foram marcantes para mim Muitos dos empregados da fábrica e do escritório tornaram-se um paradigma para minha vida profissional ao longo de 50 anos. Um deles foi Liberto Resta. Ingressei com 15 anos no escritório, na condição de aprendiz. Liberto era o chefe do escritório.
Foi o responsável pla formação da primeira equipe do escritório da Sabra em Ourinhos.
Na foto abaixo vemos Liberto juntamente com alguns empregados do escritório e da fábrica, no ínicio dos anos 1950.
Aga…

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…