Pular para o conteúdo principal

OURINHOS NO ALVORECER DOS ANOS 1930

No alvorecer dos anos 1930, o Município de Ourinhos segundo artigo de J.B. Guerreiro, contava com cerca de 15.000 habitantes, dos quais por volta de 3.500 moravam na cidade. 


Surpresa das surpresas, com essa população pequena a cidade tinha três clubes de futebol: O mais antigo creio,  Esporte Clube Operário, os recém criados Aurora Futebol Clube e Clube Atlético Ourinhense

Para dirigir o "Operário" haviam sido eleitos em assembléia geral de 1931:

Presidente: Hermenegildo Zanotto
Vice-Presidente: Chede Jorge
1. Secretario : Luiz Zanotto
2. Secretario : Altamiro Pinheiro
1. Thezoureiro : Humberto Detogni
2. Thezoureiro: Antonio Carlos Mori
Director Geral ! Lazaro dos Santos
Orador Official: Prof. Joaquim Pedroso Filho
Conselho Fiscal : Manoel Teixeira, João Du­arte Medeiros e Oswaldo Pareto Torres
Director Esportivo : Américo de Carvalho
1. Capitão : Leontino Ferreira
2. Capitão : José Rezende Gomes

A diretoria do "Aurora", eleita em 1931,  era composta por: 

Presidente: Sebastião Jorge Mo­raes;
Vice-presidente; Moacyr Teixeira;
 1 .o Secretario: Oswaldo Vieira
2.o Secretario: Jorge Ribeiro;
Thesoureiro: Ataliba Nascimento;
Director-esportivo Humberto Mori;
 Commissão de syndicancia: José Beltrami, Pe­dro Martins e Alfredo Gonçalves

E o novo clube, fundado em julho de 1931, Clube Atlético Ourinhense , conforme notícia publicada na edição de 5-7-1931 de "A Voz do Povo":

NOVO CLUBE
Por deliberação de diver­sas pessôas desta localida­de, procedeu-se a uma reu­nião afim de fundar um no­vo Clube para a pratica do futebol.
Nessa reunião foi escolhido o nome do Clube, o qual passará a chamar-se “CLUBE ATHLETICO OURINHENSE“.
Igualmente realisou-se a eleição da Directoria do novel Clube a qual está assim constituída: 
 Presidente: sr. Ítalo Ferrari
Vice-Presi­dente: Carlos Devienne
1.0 Secretario: sr. José Borges de Faria
2.o Secretarie: João Lauro de Campos
3.o Secretario: Evilasio Vianna
 l.o Thesoureiro: Donato Sassi
2.o Thesoureiro: sr. João Crivellari
3.o Thesoureiro; Antonio Nicomedes Peixe
l.o Director Geral sr. Edison Leonis
2.o Director Geral: Antonio Ferraz
l.o Director Esportivo; sr. Aristides Vianna
2.o Director Es­portivo; sr. Pedro Carrara 
Conselho Fiscal; srs. Julio Móri, Marcos Trench, Adriano Braz e Francisco  Vara
Commissão de Syndicancia: srs. Joaquim Benatto, Alberto Motta e Antonio Saladini 

A anotação feita por meu pai nesta foto do seu acervo a indicava como a primeira diretoria do CAO. A presença de algumas pessoas que não constam da indicação acima deixa-me em dúvida.


Primeira fileira: em pé João Batista Crivelari, sentados Mário Mori, Miguel Cury, Júlio Mori, Ítalo Ferrari - Antonio Saladini, Antônio Dias Ferraz; atrás em pé: Evilasio Viana - Antonio Carlos Mori, Benedito Monteiro, Edison Leonis, Carlos Deviene e Vasco Fernandes Grillo. 


Nas páginas do semanário "A Voz do Povo" encontramos em 1931 alguns fatos interessantes e engraçados:

Casamento
Senhor viuvo, respeitável, intelligente, com 35 annos de idade, deseja casar-se com senhorita ou senhora viuva,
cuja idade esteja entre  20 e 35 annos.
O pretendente pede ás que se quizerem candidatar a tal
casamento, enviarem suas photographias ou escreverem
ao «Senhor Viuvo», aos cui­dados da redacção d” A Voz
do Povo ”

O viúvo terá sido feliz na busca?





Cuidado com a vaca
No dia 17, na VILLA NOVA, em frente á residencia do sr. Manoel Pires, uma vacca brava investiu contra a sra. d. Deolinda Cruz, esposa do sr. Joaquim Cruz, produzindo-lhe ferimentos de pouca gravidade.
A victima foi medicada na "Casa de Saude", pelo dr. Hermelino Leão.


O Dr. Prefeito Municipal tratando do embellezamento urbano, mandou plantar diversas mudas de arvores, nas principaes ruas e ave­nidas.
Acontece, porem, que em dias desta semana, foram encontradas diversas mudas quebradas.
São por certo, espíritos malfeitores que  vêm prati­cando tão reprováveis ac­ções.
Ao povo compete zelar pelo desenvolvimenlo des­sas plantas, que irão mais tarde enfeitar nossa cidade.
Urge providencias enér­gicas para que taes actos não se repitam.




Comentários

Marão disse…
Curioso que o nome do Antonio Carlos Mori (Nico) aparece na fundação do Operário e na foto do Ourinhense... Pelo que me lembro, os Mori eram Ourinhenses roxos.

Postagens mais visitadas deste blog

O CINQUENTENÁRIO DA TURMA DE DEBUTANTES DE 1966 DO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS

A edição de 3 de setembro de 1966 do jornal O Progresso de Ourinhos saiu com a capa em cores, sendo praticamente dedicada a reportagens sobre as debutantes de 1966 do Grêmio Recreativo de Ourinhos. Na capa, a manchete foi:


Alice Chiarato, Ana Cristina Paula Lima, Aparecida de Oliveira, Cleide Prioli Gaudêncio, Cleonice das Graças Teixeira, Déa Maria dos Reis, Eloisa de Azevedo, Guacyra Maria Ferrari, Mariângela Baccili Zanoto, Mariângela Cury, Maria Ângela Pinheiro, Maria Dilza de Freitas Faria, Maria Silvia Bueno de Campos, Sílvia Nicolosi Correia, Silza Saccheli Santos







Nas páginas seguintes, as debutantes de 1966 foram entrevistadas sobre algumas de suas preferências e aspirações. Cada uma das debutantes tiveram sua foto publicada no topo da entrevista





O ator  preferido das adolescentes foi, de longe,  Rock Hudson, seguido por Alain Delon; já quanto ao cantor a preferência foi por Agnaldo Rayol.
Rock Hudson
À pergunta sobre a vocação foram citadas: engenharia química, psicologia, música, …

LIBERTO RESTA (1914-1984), O CHEFE DO ESCRITÓRIO DA SANBRA

Nessa foto de autoria de meu pai,vemos Liberto e Ditinho acompanhados por Arlindo (trabalhava na seção pessoal da Sanbra) no acordeão e Robertinho (trabalhava na Coletoria Estadual), por ocasião de uma homenagem a Ourinhos no programa televisivo de Homero Silva, no final dos anos 1960.

Nesta foto vemos o casal Liberto e Ynira, a filha Rosa Maria, Ivone Duarte de Souza, esposa do gerente da Sanbra José Fernandes de Souza e a filha Cristina por volta de finais dos anos 1950.

Os dois anos e meio em que trabalhei na Sanbra foram marcantes para mim Muitos dos empregados da fábrica e do escritório tornaram-se um paradigma para minha vida profissional ao longo de 50 anos. Um deles foi Liberto Resta. Ingressei com 15 anos no escritório, na condição de aprendiz. Liberto era o chefe do escritório.
Foi o responsável pla formação da primeira equipe do escritório da Sabra em Ourinhos.
Na foto abaixo vemos Liberto juntamente com alguns empregados do escritório e da fábrica, no ínicio dos anos 1950.
Aga…

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…