26.5.13

A ESCOLA ARTESANAL DE OURINHOS


 


(Foto por Francisco de Almeida Lopes, anos 1970)


No final dos anos 1940, mais precisamente em 29 de janeiro de 1949, o projeto de lei municipal de autoria do vereador Benedito Monteiro, da União Democrática Nacional - UDN,  dava o primeiro passo para a concretização de uma iniciativa importante , qual seja a criação de uma escola profissionalizante em Ourinhos.
Para tanto, era previsto no projeto de lei a construção de um edifício para abrigar a nova escola, localizada na Vila Nova. 
Haveria dois cursos: o masculino e o feminino.  
Ao que parece, a escola começou a funcionar em 1950, tendo como primeiro diretor, o professor Aparecido Gonçalves Lemos, que havia comprado do professor Constantino Molina, o Externato Rui Barbosa, localizado na Avenida Altino Arantes. 
Um dos primeiros professores da nova escola municipal foi o professor Homero Taveiros Ramos, que foi inquilino de meu pai por muitos anos na casa de sua propriedade na  Rua Souza Soutello, mestre muito estimado por seus alunos.
No primeiros anos da década de 1950, a escola municipal profissionalizante de Ourinhos foi integrada ao Departamento do Ensino Profissional da Secretaria de Estado da Educação,  que implantara  um projeto de criação e escolas artesanais durante a  gestão do então governador Jânio Quadros . 
O Decreto Estadual nº 25.206, de 10 de dezembro de 1955, que dispunha sobre a  lotação de cargos de Mestre em Escolas Artesanais subordinadas ao Departamento do Ensino Profissional, dotava a Escola de Artesanal de Ourinhos com os seguintes cargos: dois (2) à disciplina de Ajustagem Mecânica, um (1) à de Corte e Costura e um (1) à da Educação Doméstica.
Em 1959, por iniciativa do então Deputado Estadual Domingos Camerlingo Caló (Lei 1450-59), a Escola Artesanal de Ourinhos recebeu o patronímico de "Josefa Navarro Lemos"., professora recentemente falecida,  que foi  esposa   do professor Aparecido Gonçalves Lemos, mãe do meu amigo de infância, Osmar.
Duas das mais competentes empregadas do escritório da Sanbra, as quais conheci, foram alunas dessa escola: Cleide e Setuko Sekino.
Com a municipalização do ensino, a escola integrou-se à rede de escolas de ensino fundamental de Ourinhos, conservando o mesmo patronímico.



Fica assim registrada nesta  "Memória de Ourinhos", a  importante iniciativa da primeira legislatura da Câmara Municipal de Ourinhos, após o fim do Estado Novo

A foto , cuja autoria desconheço, mostra a Escola Artesanal recém construída.
Ela foi publicada inicialmente em "Fotos Antigas de Ourinhos", de Wilson Monteiro,  que foi aluno da antiga Escola Artesanal nos anos 1950.

2 comentários:

Marão disse...

A dona Josefa foi minha primeira professora. O Externato Rui Barbosa tinha uma espécie de "pré-primário", que frequentei aos 6 anos de idade. Aos 7, fui para o grupão, em 1948.

oel Cerqueira Gonça~lves disse...

Estudei na Artesanal - mais ou menos de forma compulsória, por ter
abandonado os estudos após o curso primário - lá pelos l3 anos de
idade. Lembro do professor Homero, do diretor Olavo ( Tatuiano, como
meu pai ! ) e ainda do bebel de nome Raul, homem de poucos amigos. As
instalações e urbanização ainda eram as mesmas exibidas pela foto, que
presumo seja da sua inauguração.Não retornei ao segundo ano - somente
voltei a estudar depois dos 20 anos, no Santa Inez, curso de madureza
existente na Praça Carlos Gomes, em São Paulo, onde fui aluno do
Kobaiachi e do Heródoto Barbeiro. Bons tempos !!!
Noel