Pular para o conteúdo principal

ECOS DA REVOLUÇÃO DE 1930-II



Nos movimentos revolucionários é comum a existência de várias correntes. Esses grupos disputam o controle do poder, o que provoca uma grande rotatividade nos cargos públicos após a tomada do poder.Em Ourinhos, com a Revolução de 1930, não foi diferente. O drº. Hermelino, nomeado em dezembro de 1930, foi substituído em fevereiro de 1931, por Rodopiano Leonis Pereira, presidente local do Partido Democrático, agremiação política que integrou Aliança Liberal.


O Partido Democrático, que fazia oposição ao PRP, tentou manter o poder no Estado. A aliança entre tenentistas e democráticos foi curta. Os “tenentes” se achavam os autênticos revolucionários, não desejando um mero revezamento de oligarquias no poder. Esse posicionamento acabou por resultar na nomeação do tenente pernambucano João Alberto Lins de Barros, ex-integrante da Coluna Prestes, para a interventoria paulista.

Como conseqüência desse clima político instável Ourinhos teve, em 1931, quatro prefeitos:

 drº Hermelino Agnes Leão;

 Rodopiano Leonis Pereira

 drºTeodureto Ferreira Gomes

 drº. José Felipe do Amaral

No ínicio de 1931, uma nova diretoria era eleita para o Grêmio Recreativo de Ourinhos:

“Willian Reid – presidente
Henrique Tocalino – vice
Guaraciaba Trench – 1º secretário
Osvaldo Pareto Torres – 2º secretário
Francisco Ciffoni – 1º tesoureiro
drº Wallace H. Morton. – 2º tesoureiro
 Arquipo Matachana, Rafael Papa e Ormuz Cordeiro – conselho fiscal”

 “A Voz do Povo” anunciava, em fevereiro, a realização de bailes carnavalescos no Cine Teatro Cassino, com orquestra de São Paulo, e no Hotel Adelino com o “jazz do Américo”.

O médico Drº Theodureto Ferreira Gomes era muito estimado na cidade onde morava já há alguns anos. Afinado com o movimento tenentista, chegou a ser governador militar da cidade durante a “Revolução de 1924”, (cf. “A Cidade de Ourinhos, 15/3/1931).



Com o tenentista, João Alberto no comando do estado de São Paulo, Theodureto assumiu a prefeitura.



Em março, o maestro Américo de Carvalho declarava que iria reorganizar a nova banda por conta própria, e que a prefeitura doaria os instrumentos musicais.



Em maio, deixava Paróquia do Senhor Bom Jesus o vigário Francisco de La Torre Lucena, sendo substituído pelo padre Vitor Moreno.





Theodureto era o médico do meu avô, José das Neves Júnior, que tinha por ele um grande apreço.

José das Neves, que tinha fazenda no município de São Pedro do Turvo, havia fixado residência em Ourinhos (outubro de 1930), onde construíra uma casa na rua Minas Gerais. Amigo de Theodureto, saiu em sua defesa fazendo publicar na Seção Livre de “A Voz do Povo” (31/5), um manifesto defendo o prefeito, e atirando contra “perrepistas e democráticos”.



Em agosto houve uma manifestação popular de apoio ao prefeito Theodureto.

Em 31 de julho, tinham início as festas do padroeiro da cidade, o Senhor Bom Jesus, com a realização de uma novena.


No dia do padroeiro, 6 de agosto, às 10 horas, foi realizada uma missa cantada acompanhada pela “Schola Cantorum”, composta por um “seleto grupo de senhorinhas da nossa sociedade”, sob a regência do maestro Andolfo Galileu, seguida de uma procissão, às 16 horas.Nesse mesmo dia, era inaugurada a luz elétrica no bairro da Vila Nova.

Sob o título “DATILÓGRAFO” publicava "A Voz do Povo”:


“Diplomou-se em datilografia no Externato Rui Barbosa, o aluno João Neves, que recebeu o diploma da “Escola Remington”, anexa ao mesmo Externato.O primeiro laureado completou brilhantemente o curso em 5 meses, atingindo as 150 palavras no espaço de 5 minutos, exigência necessária para a habilitação em datilografia.”


Em setembro, era constituída a Associação dos Lavradores com cerimônia no salão do Cine Teatro Cassino, tendo como diretoria provisória: Cel. Antônio A Leite, Olavo Ferreira de Sá, Antônio da Silva Nogueira, Antônio Corrêa de Souza, Bento Pereira, Manoel Rodrigues Martins e Domingos Perino.


Ainda nesse mês, sob o título “NASCIMENTO”, publicava o mesmo jornal:


“O lar do Sr. Narciso Nicolosi, sócio da importante firma Teixeira, Médici & Nicolosi, acha-se engalanado com o nascimento de uma graciosa menina, que, na pia batismal, recebeu o nome de Nice.”


Antes do final do ano1931, o drº Theodureto deixou a prefeitura sendo substituído pelo dentista drº José Felipe do Amaral, integrante da comissão diretora do Partido ´Democrático local.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O CINQUENTENÁRIO DA TURMA DE DEBUTANTES DE 1966 DO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS

A edição de 3 de setembro de 1966 do jornal O Progresso de Ourinhos saiu com a capa em cores, sendo praticamente dedicada a reportagens sobre as debutantes de 1966 do Grêmio Recreativo de Ourinhos. Na capa, a manchete foi:


Alice Chiarato, Ana Cristina Paula Lima, Aparecida de Oliveira, Cleide Prioli Gaudêncio, Cleonice das Graças Teixeira, Déa Maria dos Reis, Eloisa de Azevedo, Guacyra Maria Ferrari, Mariângela Baccili Zanoto, Mariângela Cury, Maria Ângela Pinheiro, Maria Dilza de Freitas Faria, Maria Silvia Bueno de Campos, Sílvia Nicolosi Correia, Silza Saccheli Santos







Nas páginas seguintes, as debutantes de 1966 foram entrevistadas sobre algumas de suas preferências e aspirações. Cada uma das debutantes tiveram sua foto publicada no topo da entrevista





O ator  preferido das adolescentes foi, de longe,  Rock Hudson, seguido por Alain Delon; já quanto ao cantor a preferência foi por Agnaldo Rayol.
Rock Hudson
À pergunta sobre a vocação foram citadas: engenharia química, psicologia, música, …

LIBERTO RESTA (1914-1984), O CHEFE DO ESCRITÓRIO DA SANBRA

Nessa foto de autoria de meu pai,vemos Liberto e Ditinho acompanhados por Arlindo (trabalhava na seção pessoal da Sanbra) no acordeão e Robertinho (trabalhava na Coletoria Estadual), por ocasião de uma homenagem a Ourinhos no programa televisivo de Homero Silva, no final dos anos 1960.

Nesta foto vemos o casal Liberto e Ynira, a filha Rosa Maria, Ivone Duarte de Souza, esposa do gerente da Sanbra José Fernandes de Souza e a filha Cristina por volta de finais dos anos 1950.

Os dois anos e meio em que trabalhei na Sanbra foram marcantes para mim Muitos dos empregados da fábrica e do escritório tornaram-se um paradigma para minha vida profissional ao longo de 50 anos. Um deles foi Liberto Resta. Ingressei com 15 anos no escritório, na condição de aprendiz. Liberto era o chefe do escritório.
Foi o responsável pla formação da primeira equipe do escritório da Sabra em Ourinhos.
Na foto abaixo vemos Liberto juntamente com alguns empregados do escritório e da fábrica, no ínicio dos anos 1950.
Aga…

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…