Pular para o conteúdo principal

A PRIMEIRA CÂMARA MUNICIPAL ELEITA PELO VOTO SECRETO EM OURINHOS




O ano de 1936 foi marcante para Ourinhos. Afinal, seria constituída  a primeira câmara de vereadores da cidade sob a égide da nova Constituição do Brasil, a de 1934.


A cidade contava então com quatro seções eleitorais.


Dois  partidos  concorreram: o Partido Republicano Paulista, sobrevivente da República Velha, e o Partido Constitucionalista, fundado pelo então interventor de São Paulo, Armando de Salles Oliveira, em 1934, então já governador do estado, congregando em suas fileiras uma parte do PRP e os remanescentes do Partido Democrático, que havia sido criado em São Paulo em 1926 para fazer oposição ao PRP.



Pelo Partido Constitucional concorriam:  
Vasco Fernandes Grillo, comerciante;
Rodopiano Leonis Pereira, industrial;
Olavo Ferreira de Sá, lavrador;
José Duarte de Medeiros, operário;
Hermínio Socci, ferroviário;
Benedito Monteiro, ferroviário;
Benedito Martins de Camargo, comerciante;
Antonio Carlos Mori; comerciante.
Os ferroviários eram já um grande contingente na cidade pela presença  de duas ferrovias: a Sorocabana e a São Paulo- Paraná, Os dois ferroviários candidatos eram da cúpula da São Paulo-Paraná. 
No final dos anos 1940, os ferroviários constituiriam a maior ala do Partido Trabalhista Brasileiro - PTB.
Pelo Partido Republicano Paulista, os candidatos eram:
Carlos Amaral, comerciante;
José Felipe do Amaral, cirurgião dentista;
Álvaro de Queiroz Marques, farmacêutico (Drogasil);
Narciso Nicolosi Filho, (Médici, Nicolosi & Cia) comerciante;
Antonio Lopes, ferroviário;
Telésforo Tupiná, comerciário;
Anuar Dabus, comerciante;
drº Ruy Coelho de Alverga; advogado.
Venceram as eleições:
PC 
Benedito Martins de Camargo - 191;
Rodopiano Leonis Pereira - 77;
Vasco Fernandes Grillo - 43;
Olavo Ferreira de Sá -  35;
Antonio Carlos Mori - 35;
Benedito Monteiro - 34
PRP
Carlos Augusto do Amaral - 136
Narciso Nicolosi Filho - 51
Álvaro Queiroz Marques - 32   
A eleição do prefeito se daria pelo voto secreto dos vereadores (maioria absoluta em primeiro escrutínio), o que assegurava a prefeitura ao Partido Constitucionalista, que tinha a maioria 6x3).
A posse da Câmara se deu em 24/7/1936, a qual elaborou o  primeiro ato a Lei nº 1, o Regimento Interno da Casa. 
O prefeito eleito foi Benedito Martins de Camargo, comerciante bastante popular na cidade, proprietário da Casa Camargo, localizada na confluência das ruas Paraná e Souza Soutello, e que recebera a maior votação na eleição para vereador.  Camargão, como era conhecido, residia na Rua 9 de Julho, onde hoje se encontra o Colégio Anglo, sendo vizinho do meu avô, de quem era muito amigo. Foi fundador do Partido Democrático em Ourinhos e teve participação destacada na Revolução de 1932.




Benedito M. de Camargo e familiares em Petrópolis, 1934


Benedito M. de Camargo

Fez uma gestão atuante, destacando-se nela a reforma da  Praça Melo  Peixoto e a construção do novo Grupo Escolar, na Rua 9 de Julho.
Renunciou ao cargo em 1937, vindo a falecer em 1939 após ter sido submetido a uma operação de apendicite.
Na foto,  vemos Benedito Martins de Camargo com a esposa, Alzira Portela  e a filha caçula, Maria Helena, o padre Vitor Moreno, pároco local e o Bispo de Botucatu.



PARA BENEDITO MARTINS DE CAMARGO


Cerraste os olhos plácidos, serenos

Cerraste-os calmamente
Despreocupadamente
Como quem se cansou, na longa viagem,
De admirar a paisagem...
Dormes agora nas regiões incertas
Que já conheces e não conhecemos...
Dormes o sono eterno, impenetrável,
No leito do infinito,
Rodeado de estrelas luminosas...
A eternidade é tua alcova silenciosa,
Onde não chega o dolorido grito
Dos homens que inda choram cá na Terra.
Dorme sereno o teu sonho de justo,
Sono de quem lutou desesperado,
Em prol do bem,
Em prol da paz,
Em prol do amor...
Dorme... Hás de ouvir a doce sinfonia
Que os anjos, te embalando, vão cantar.
Sinfonia da paz, Sinfonia de glória...
Enquanto aqui, na Terra, A tua História humilde de um herói humilde,
Será contada e repetida sempre
Por cada coração que socorreste
Por cada olhar em que o pranto suspendeste!
Dorme... Descansa que tua alma,
Alma de santo, há de ficar na terra,
Coroada de louros, espalhando o bem!

Paulo Flanklin

Comentários

Cristina Souza disse…
Que foto maravilhosa, a casa era linda também. A presença do bispo de Botucatu confirma a importância do casal ao recebe-lo.
Sua foto com sua mãe, provavelmente na praça Mello Peixoto, ela sempre muito elegante e bem vestida e vc um garotinho cheio de pose e circunstância.
Gostei também dos cartazes de propaganda política.
Beijo
Cristina

Postagens mais visitadas deste blog

O CINQUENTENÁRIO DA TURMA DE DEBUTANTES DE 1966 DO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS

A edição de 3 de setembro de 1966 do jornal O Progresso de Ourinhos saiu com a capa em cores, sendo praticamente dedicada a reportagens sobre as debutantes de 1966 do Grêmio Recreativo de Ourinhos. Na capa, a manchete foi:


Alice Chiarato, Ana Cristina Paula Lima, Aparecida de Oliveira, Cleide Prioli Gaudêncio, Cleonice das Graças Teixeira, Déa Maria dos Reis, Eloisa de Azevedo, Guacyra Maria Ferrari, Mariângela Baccili Zanoto, Mariângela Cury, Maria Ângela Pinheiro, Maria Dilza de Freitas Faria, Maria Silvia Bueno de Campos, Sílvia Nicolosi Correia, Silza Saccheli Santos







Nas páginas seguintes, as debutantes de 1966 foram entrevistadas sobre algumas de suas preferências e aspirações. Cada uma das debutantes tiveram sua foto publicada no topo da entrevista





O ator  preferido das adolescentes foi, de longe,  Rock Hudson, seguido por Alain Delon; já quanto ao cantor a preferência foi por Agnaldo Rayol.
Rock Hudson
À pergunta sobre a vocação foram citadas: engenharia química, psicologia, música, …

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…

LIBERTO RESTA (1914-1984), O CHEFE DO ESCRITÓRIO DA SANBRA

Nessa foto de autoria de meu pai,vemos Liberto e Ditinho acompanhados por Arlindo (trabalhava na seção pessoal da Sanbra) no acordeão e Robertinho (trabalhava na Coletoria Estadual), por ocasião de uma homenagem a Ourinhos no programa televisivo de Homero Silva, no final dos anos 1960.

Nesta foto vemos o casal Liberto e Ynira, a filha Rosa Maria, Ivone Duarte de Souza, esposa do gerente da Sanbra José Fernandes de Souza e a filha Cristina por volta de finais dos anos 1950.

Os dois anos e meio em que trabalhei na Sanbra foram marcantes para mim Muitos dos empregados da fábrica e do escritório tornaram-se um paradigma para minha vida profissional ao longo de 50 anos. Um deles foi Liberto Resta. Ingressei com 15 anos no escritório, na condição de aprendiz. Liberto era o chefe do escritório.
Foi o responsável pla formação da primeira equipe do escritório da Sabra em Ourinhos.
Na foto abaixo vemos Liberto juntamente com alguns empregados do escritório e da fábrica, no ínicio dos anos 1950.
Aga…