A PRIMEIRA CÂMARA MUNICIPAL ELEITA PELO VOTO SECRETO EM OURINHOS




O ano de 1936 foi marcante para Ourinhos. Afinal, seria constituída  a primeira câmara de vereadores da cidade sob a égide da nova Constituição do Brasil, a de 1934.


A cidade contava então com quatro seções eleitorais.
Dois  partidos  concorreram: o Partido Republicano Paulista, sobrevivente da República Velha, e o Partido Constitucionalista, fundado pelo então interventor de São Paulo, Armando de Salles Oliveira, em 1934,  j congregando em suas fileiras uma parte do PRP e os remanescentes do Partido Democrático, que havia sido criado em São Paulo em 1926 para fazer oposição ao PRP.

Pelo Partido Constitucional concorriam:  
Vasco Fernandes Grillo, comerciante;
Rodopiano Leonis Pereira, industrial;
Olavo Ferreira de Sá, lavrador;
José Duarte de Medeiros, operário;
Hermínio Socci, ferroviário;
Benedito Monteiro, ferroviário;
Benedito Martins de Camargo, comerciante;
Antonio Carlos Mori; comerciante.
Os ferroviários eram já um grande contingente na cidade pela presença  de duas ferrovias: a Sorocabana e a São Paulo- Paraná, Os dois ferroviários candidatos eram da cúpula da São Paulo-Paraná. 
No final dos anos 1940, os ferroviários constituiriam a maior ala do Partido Trabalhista Brasileiro - PTB.
Pelo Partido Republicano Paulista, os candidatos eram:
Carlos Amaral, comerciante;
José Felipe do Amaral, cirurgião dentista;
Álvaro de Queiroz Marques, farmacêutico (Drogasil);
Narciso Nicolosi Filho, (Médici, Nicolosi & Cia) comerciante;
Antonio Lopes, ferroviário;
Telésforo Tupiná, comerciante;
Anuar Dabus, comerciante;
drº Ruy Coelho de Alverga; advogado.
Venceram as eleições:
PC 
Benedito Martins de Camargo - 191;
Rodopiano Leonis Pereira - 77;
Vasco Fernandes Grillo - 43;
Olavo Ferreira de Sá -  35;
Antonio Carlos Mori - 35;
Benedito Monteiro - 34
PRP
Carlos Augusto do Amaral - 136
Narciso Nicolosi Filho - 51
Álvaro Queiroz Marques - 32   
A eleição do prefeito se daria pelo voto secreto dos vereadores (maioria absoluta em primeiro escrutínio), o que assegurava a prefeitura ao Partido Constitucionalista, que tinha a maioria 6x3).
A posse da Câmara se deu em 24/7/1936. O primeiro ato da Câmara foi elaborar a Lei nº 1, o Regimento Interno da Casa. 
O prefeito eleito foi Benedito Martins de Camargo, comerciante bastante popular na cidade, proprietário da Casa Camargo, localizada na confluência das ruas Paraná e Souza Soutello, e que recebera a maior votação na eleição para vereador.  Camargão, como era conhecido, residia na Rua 9 de Julho, onde hoje se encontra o Colégio Anglo, sendo vizinho do meu avô, de quem era muito amigo. Foi um dos fundadores do Partido Democrático em Ourinhos,  e teve participação destacada na Revolução de 1932.





Benedito M. de Camargo e familiares em Petrópolis, 1934


Benedito M. de Camargo

Fez uma gestão atuante, destacando-se nela a reforma da  Praça Melo  Peixoto e a construção do prédio do novo Grupo Escolar, na Rua 9 de Julho.
Renunciou ao cargo em 1937, vindo a falecer em 1939 após ter sido submetido a uma operação de apendicite.
Na foto,  vemos Benedito Martins de Camargo com a esposa, Alzira Portela  e a filha caçula, Maria Helena, o padre Vitor Moreno, pároco local e o Bispo de Botucatu.



PARA BENEDITO MARTINS DE CAMARGO


Cerraste os olhos plácidos, serenos

Cerraste-os calmamente
Despreocupadamente
Como quem se cansou, na longa viagem,
De admirar a paisagem...
Dormes agora nas regiões incertas
Que já conheces e não conhecemos...
Dormes o sono eterno, impenetrável,
No leito do infinito,
Rodeado de estrelas luminosas...
A eternidade é tua alcova silenciosa,
Onde não chega o dolorido grito
Dos homens que inda choram cá na Terra.
Dorme sereno o teu sonho de justo,
Sono de quem lutou desesperado,
Em prol do bem,
Em prol da paz,
Em prol do amor...
Dorme... Hás de ouvir a doce sinfonia
Que os anjos, te embalando, vão cantar.
Sinfonia da paz, Sinfonia de glória...
Enquanto aqui, na Terra, A tua História humilde de um herói humilde,
Será contada e repetida sempre
Por cada coração que socorreste
Por cada olhar em que o pranto suspendeste!
Dorme... Descansa que tua alma,
Alma de santo, há de ficar na terra,
Coroada de louros, espalhando o bem!

Paulo Flanklin

Comentários

Cristina Souza disse…
Que foto maravilhosa, a casa era linda também. A presença do bispo de Botucatu confirma a importância do casal ao recebe-lo.
Sua foto com sua mãe, provavelmente na praça Mello Peixoto, ela sempre muito elegante e bem vestida e vc um garotinho cheio de pose e circunstância.
Gostei também dos cartazes de propaganda política.
Beijo
Cristina