O GAROTO E SUA BICICLETA, A BANCA DE JORNAIS E REVISTAS E A SIBIPIRUNA

Durante muitos anos estive à procura desta fotografia de cuja existência eu tinha certeza. Uma busca apurada em negativos de meu pai me fez encontrá-la.
Por que o interesse nela? Não pela minha presença no centro dela, e sim pela banca de revistas que aparece atrás.
Ela foi a primeira banca de revistas e jornais de Ourinhos. Localizava-se entre o Bar e Café Paulista, dos irmãos Zaki, e a velha Igreja Matriz na Praça Melo Peixoto, portanto, numa posição estratégica.
Quem teria sido o dono? Segundo o ourinhense João Previdelli era um baiano de aproximadamente 60 anos chamado Bandeira.
O ano? Deve ser 1956 ou 1957. Nela também se vê uma das jovens mudas de sibipirunas plantadas pelo prefeito Domingos Camerlingo Caló em sua primeira gestão (1952-1955).
Segundo relato da jornalista Vera Brandt http://www.verabrant.com.br/principal.htm era desejo do presidente Juscelino ser enterrado à sombra de uma sibipiruna:
"Certa vez em que o Juscelino, Carlos Murilo, Déa e eu fomos ao cemitério visitar a sepultura do Bernardo Sayão, o Juscelino foi para debaixo de uma árvore e disse: “Eu vou querer ficar à sombra desta sibipiruna. Quando eu morrer vocês me enterrem aqui”.

Muitas sibipirunas ainda são vistas nas ruas de Ourinhos, estão florescendo no mês de setembro.

"Originária do Brasil, especificamente da Mata Atlântica, a sibipiruna é uma espécie da Família das Leguminosas e atinge altura máxima em torno de 18 metros. Esta espécie de árvore, que costuma viver por mais de um século, é muito confundida com o pau-brasil e o pau-ferro, pela semelhança da folhagem. A sibipiruna perde parcialmente suas folhas no inverno e a floração ocorre de setembro a novembro, com as flores amarelas dispostas em cachos cônicos e eretos. (...) A floração da espécie ocorre geralmente 8 anos após o plantio e cada exemplar, cultivado em condições adequadas, pode viver por mais de 100 anos."(fonte: ttp://www.jardimdeflores.com.br/floresefolhas/A21sibipiruna.htm

Comentários

Sidney Abucham disse…
Caro Jose Carlos,
são boas as lembranças para mim tambem.
O bar era na verdade o Café Paulista, vizinho a antiga Igreja Matriz,de meu pai Julio Zaki Abucham.
Abraços, Sidney Abucham
Lu Radaic disse…
Caro José Carlos,o dono da Banca de jornais era o Sr.Bandeira,um homem baixinho,que tinha na época mais ou menos 60 anos de idade.Eu frequentava muito esta banca,assim como o saudoso e querido Chiquito,na esquina do Bar Paratodos,Lembra-se?
Um grande abraço de um Ourinhense de coração,
João Prevideli
JOÃO PREVIDELI disse…
Caro José Carlos,o dono da Banca de jornais era o Sr.Bandeira,um homem baixinho,que tinha na época mais ou menos 60 anos de idade.Eu frequentava muito esta banca,assim como o saudoso e querido Chiquito,na esquina do Bar Paratodos,Lembra-se?
Um grande abraço de um Ourinhense de coração,
João Prevideli
Anônimo disse…
Caro José Carlos, se o Sr. João Prevideli, está certo não sei mas conversando com o Sr.Jairo locutor,me esqueço o sobrenome dele,no Banco do Brasil,ele me disse que se tratava de um Sr. baixinho e gordinho e que o nome estava na pinta da lingua mas não conseguiu se lembrar na hora mas que ele tinha o nome da pessoa em casa.Álvaro C. Corrêa
alvaro.correa@ig.com.br disse…
Meu comentário saiu como anonimo por erro e onde se lê pinta leia-se ponta e completando o comentário eu fiquei de ir a casa dele para saber o nome da pessoa em questão. Assim que conversar com ele passarei o nome por aqui.
Caro Álvaro, creio que o Jairo Diniz deve estar certo. Essa descrição dele fez me lembrar de uma certa fisionomia parecida.
Abs.
José Carlos
heliarte disse…
Sou um pouco mais novo mas vendo agora me trás uma leve lembrança desta banca nos anos 60 que se não fosse a foto, jamais saberia da sua existencia.
PARABÉNS!