TOMÁS LOPES, O MESTRE DE OBRAS


Ao centro da foto, nos andaimes da nova matriz, anos 1940.
Na Capela do Asilo São Vicente de Paula, anos 1960: Humberto Rosa, Benedito Monteiro, Tomás Lopes, as Irmãs espanholas do Asilo .




Na Casa Paroquial, com missionário redentorista e Humberto Rosa, presidente da Congregação Mariana.









Em cerimônia na Matriz, ao lado do prefeito Rubens Bortolocci da Silva, Humberto Rosa e Mituo Minami.







Com a esposa e filhos















Na Matriz, missa das bodas de prata.


Alto, vasta cabeleira, olhos claros marcantes, uma figura que lembrava o ator Burt Lancaster. Assim era Tomás Lopes, de ascendência ítalo-alemã, nascido em Botucatu em 5 de abril de 1916 e falecido em Ourinhos em 22 de agosto de 1988. Quando o empresário Emílio Pedutti decidiu construir um novo cinema de Ourinhos, no início dos anos 1940, foi a Tomás Lopes que ele entregou o comando da obra. Foi dessa forma que Tomás veio para Ourinhos, e quando resolveu aqui fixar-se, trouxe a esposa Diana Dias.
Terminada a construção do prédio que abrigaria o Cine Ourinhos, Ezelino Zório, sobrinho de Henrique Tocalino, a quem fora entregue a responsabilidade da edificação do novo templo católico da cidade, chamou Tomás Lopes para ser o mestre de obras da empreitada. Era uma construção de vastas proporções, conforme a idealização do jovem pároco, Eduardo Murante que havia se lançado à concretização do sonho de sua vida. Quermesses, rendas de jogos esportivos, almoços, bilheteria de cinema, doações foram constituindo o capital necessário à empreitada.
Homem de profunda fé católica, Tomás também foi um dos primeiros vicentinos responsáveis pela construção do Asilo São Vicente de Paula, ao qual esteve dedicado até o final dos seus dias.
Amante de música, com a qual já se envolvera na cidade natal, era um dos membros do coro da Igreja Matriz, preparado e conduzido pelo maestro italiano Andolfo Galileu. Seu belo registro de tenor lançou-o a solos belamente executados em cerimônias religiosas e nos casamentos onde fazia duo com a soprano Carolina Mella Ribeiro, a Cali, muitas vezes também acompanhado pela dupla Ditinho e Liberto Resta ao violino. Tive a felicidade de testemunhar seus belos duos, no coro da nova Igreja Matriz.
Concluída a obra da Igreja Matriz, Tomás empregou-se na Oncinha, onde aposentou.
Merecidamente seu nome foi dado a uma das ruas da cidade, no Jardim Santos Dumont, bem próximo da rua que leva o nome de meu pai, falecido um ano antes.
Essas lembranças remetem-me para uma sugestão absolutamente necessária: a Catedral de Ourinhos necessita ter em suas paredes uma placa contendo os nomes dos responsáveis por sua construção e as datas respectivas. Não se concebe que uma obra desse vulto não tenha registrado historicamente esses dados. Apelo aqui a sua Eminência, Dom Salvador Paruzzo, Bispo da Diocese de Ourinhos, para que acate esta sugestão.

Comentários

Francis Carlos Soares escreve:

Confrade,

Gostei muito da primeira remessa de 2009. Trouxe o Tomaz Lopes, figura com quem conviví por muitos e muitos anos.Ele morava a 5O metros de minha casa, bem perto da Frei Antonio de Pádua, virando a quadra onde morava o Oswaldo Brizolla. Fui vicentino com o Tomaz. Nossas reuniões eram em uma casa numa rua
ao fundo da Catedral. Acompanhei toda a obra da igreja, sempre sob os cuidados do grande mestre de obras que ele foi. Gostava quando o via cantar, fosse em cerimônias relilgiosas, fosse na Rádio Clube de Ourinhos ou em outro local.

Outros nomes citados que me trazem boas lembranças: Jairo Diniz, Liberto Resta (grande violinista, Ezelino Zorio e Benedito Monteiro. Este era pai de vários filhos, dentre eles o Renato (meu colega de ginasio) e Airton (que formou-se em Medicina e foi para o Paraná, inicialmente Apucarana (depois não sei). O Renato também esteve no Paraná, em Nova Esperança, onde foi gerente de um banco. Quanto ao dr. Ezelino Zório Maulen, lembro-me muito bem, pois fui namorado de sua filha Edda, uma linda loira de muita classe. A mãe, dona Geraldina, era uma grande dama. Nascera em Jacarezinho, onde conheci dois irmãos. o Salviano Fortes e o Cândido Fortes. Este, veio para o Norte do Paraná e formou uma bela fazenda no município de Guairaçá. Tinha um filho, o Wilson, agrônomo, que cresceu em política, sendo deputado estadual por várias legislaturas, tendo sido, inclusive, presidente da Assembléia Legislativa, mérito por ter sido o deputado mais votado na legislatura, e também Secretário de Trabalho do Paraná. na gestão do Governador Paulo Pimentel. Gente muito simpática e bacana, com quem mantive estreita relação de amizade em todos os anos em que ele residiu aqui em Paranavaí. Parece-me que hoje ele está em Curitiba.

Bem, creio que por hoje é só

Grato e um abraço

Chicão
Wilson Monteiro disse…
Parabéns José Carlos,
Perfeitamente merecida esta homenagem ao Tomáz.
Pena ele não estar vivo hoje para ve-la.
Caso me autorize,gostaria de utilizar a foto da construção no meu Blog.
um grande abraço
Anônimo disse…
Oi José Carlos, sou fã confessa do blog e me foi muitissimo util as fotos que publicou sobre o Tomás Lopes.
Muito obrigada e um beijão.
Tuca Eloy
Paulo disse…
Eu ja havia lido essa matéria sobre meu querido e amado avô, e chorei muito, pois sei o tanto q ele era dedicado a tudo q fazia. Sinto hj ele nao estar aqui presente para ler essa homenagem.
Homem extremamente do bem, catolico fervoroso e como amava sua familia.
Acho tbm q precisam colocar uma placa com o nome d todos q ajudaram a fazer a Matriz ( Catedral), e meu pai (Roberto) e meu tio ( Thomaizinho) tbm estiveram junto com meu avô nessa empreitada d juntos construirem uma mega igreja para Ourinhos!
Obrigada pela homenagem, eu aqui agradeço por toda a minha familia, e em nome do meu avô, fica aqui o meu MUITO OBRIGADA!!!
Roberta Lopes
Roberta disse…
Esse nome de Paulo no comentário acima, foi um erro acho q apertei algum botão aqui...
Quem escreveu esse comentário sobre meu avô fui eu ROBERTA LOPES, neta de THOMAZ LOPES.
Anônimo disse…
O TOMAS ERA MUITO AMIGO , SOU O JOSE RUBENS , FILHO DO ZECA MILANI E YARA , ELE CONSERTOU MINHA CASA MUITAS VEZES , MORAVA EM FRENTE A IGREJA
ana maria disse…
EU tambem sou neta de TOMAZ LOPES,meu nome é ANA MARIA F.DIAS LOPES moro em PORTO FELIZ-SP meu pai chama-se TOMAZ DIAS LOPES,aROBERTA LOPES é minha prima,me procura no orkut BETA.
ana maria disse…
A propósito,meu email éAnafagundesgallo15@hotmail.com