28.11.10

O FNM 180

Esta é uma foto curiosa.

 Há outras fotos na mesma ocasião, quando uma composição se dirigia para ITAIPU, creio.  Essa composição deve ter feito uma parada longa na estação de Ourinhos, e meu pai sabendo disso foi fotografá-la.
Após revelar este negativo em  um scanner,  fui à procura do tipo de FNM que estava sobre o vagão.
Trata-se  de um D-11.000 1958, primeira série -  cabine Brasinca, fabricada em São Caetano do Sul - SP .
Acredito que essa composição estava se dirigindo para ITAIPU, então em construção (1973). As primeiras máquinas chegaram ao canteiro de obras em 1974. Provavelmente tenham sido estas que estavam sobre a composição que fez uma parada em Ourinhos.
Foto por Francisco de Almeida Lopes.


21.11.10

A ORQUESTRA DE LINO FERRARI



Lino Ferrari é um dos filhos de Ítalo Ferrari. 
Desde jovem a veia musical se fez presente em sua vida.
 Integrou os vários grupos musicais que se constituíram nos anos 1940 para tocar nos bailes do  Ourinhense e do Grêmio Recreativo de Ourinhos.
Mais tarde, já nos anos 1950, constituiu sua própria orquestra da qual também fizeram parte os dois sobrinhos filhos de  sua irmã Alba.
Um primo de minha mãe, morador em Cambará, José Teixeira, integrou-se ao conjunto musical como crooner.  
A orquestra de Lino era presença indispensável nos carnavais do GRO.
Nesta foto vemos a orquestra tocando num baile carnavalesco do GRO. 
O primeiro à direita é o filho mais velho de Alba, já falecido. 
Ao centro, de calça e camisa brancas, tocando saxofone, vemos Lino; ao seu lado, o crooner José Teixeira.
Foto por Francisco de Almeida Lopes

18.11.10

A INAUGURAÇÃO DO "INSTITUTO DE EDUCAÇÃO HORÁCIO SOARES DE OURINHOS"

Este tema já foi abordado em 2008. A ele retornamos em função de outra foto desse acontecimento.
Ela foi feita na porta de entrada do novo estabelecimento, no momento em que discursava o prefeito Antônio Luiz Ferreira.
O "seu Antoninho", como era popularmente conhecido, contador, foi figura sempre presente numa série de empreendimentos da cidade desde os anos 1940. 
Realizou uma boa gestão,tendo morado em Ourinhos até uma idade avançada quando então, já viúvo, o filho levou-o para morar com ele. 
Todos os que passavam em frente à casa do "seu Antoninho", ao lado do antigo prédio da Drogasil (Rua Antônio Prado), viam-no sentado à porta observando  o movimento daquela artéria da cidade ao cair da tarde.
Na sua gestão, foi realizado um documentário sobre Ourinhos pelo cineasta Primo Carbonari, do qual há cópias em bom estado.
Já comentei aqui várias vezes, tendo também falado com o ex-prefeito Bortolocci sobre meu inconformismo de nem ao menos uma rua ter o nome dessa pessoa tão querida na cidade. Foi esquecido.
A cerimônia de inauguração ocorreu no dia 22/4/1961.
Na foto, discursa o prefeito, tendo ao lado, de perfil, o Secretário de estado da educação Luciano Carvalho de Vasconcelos e sua esposa.
Com o  microfone à mão, o professor Norival Vieira da Silva. 
A cerimônia estava sendo retransmitida pelas ondas da Rádio Clube de Ourinhos.
Foto por Francisco de Almeida Lopes 

7.11.10

ENTREVISTA A JOÃO VICTOR PONTES

Esta entrevista foi solicitada pelo jovem João Victor Pontes, de 13 anos de idade, aluno do ensino fundamental do Colégio Objetivo/Santo Antônio. A foto é uma edição para destacar a Igreja Velha. É de uma cerimônia realizada em 1938.
Quanto tempo demorou a construção da Igreja Matriz?
O templo começou a ser erguido na segunda metade dos anos 1940. No início dos anos 1950, já estava levantado e coberto. A comissão diretora da construção foi constituída em 1943, sob a presidência honorária do Bispo de Botucatu (Diocese a que a Paróquia de Ourinhos estava subordinada) e presidência do padre Eduardo Murante, vigário de Ourinhos. O lançamento da pedra fundamental foi em Julho de 1944, com a celebração de uma missa campal pelo bispo.
No início dos anos 1950, já estava consagrado o templo e se realizavam cerimônias e missas simultanealmente na "Igreja Velha" da Praça Melo Peixoto e na "Nova".
A derrubada da "Igreja Velha" deve ter sido em 1956 ou 1957, creio.
Quem foi o idealizador?
 Foi o Padre Eduardo Murante. O construtor foi Ezelino Zório; o mestre de obras Tomás Lopes
Qual foi a importância dela para os ourinhenses na época?
 Os paroquianos  ficaram muito felizes porque, afinal, o velho templo já não comportava o número de fiéis, devido ao  crescimento populacional. Não havia ainda outras paróquias.  Afinal era um templo monumental.
Desde sua inauguração até hoje, a igreja passou por reformas, ampliações ou manteve o projeto original?
 As torres e o revestimento externo somente foram concluídos nos anos 1960 (início), já sob o Padre Domingos Trivi, que substituiu o Padre Eduardo. Nessa ocasião já haviam sido instalados os três belos altares de mármore. Sob a  influência  do Concílio Vaticano II, as imagens foram quase todas retiradas e igualmente os três altares! Acredito ter sido durante o vicariato do Padre Arnaldo Beltrami. Os bancos que lá existem são os mesmos até hoje, igualmente o piso. A pintura interna e a  externa  são  bem mais recentes. Com a elevação da paróquia a sede de bispado muita coisa mudou no seu interior, sob a influência do bispo, é claro. Os belos vitrais são os originais.
Qual é sua opinião a respeito da demolição da antiga igreja e da construção da nova?
Como a maioria dos católicos que a conheceram, eu lamento. Ela devia ter sido mantida, até por ter sido o primeiro templo e era um patrimônio histórico. Veja você, o belo púlpito em madeira sobreviveu à demolição e encontra-se hoje no Museu local. Acho que ele deveria estar na Catedral, muito embora já não se utilizem púlpitos hoje em dia. Foi obra do marcineiro Augusto Fernandes Alonso.

A SAE - ORIGEM



A Superintendência de Água e Esgotos de Ourinhos foi criada pela Lei nº 808 de 13/4/1967, na gestão do prefeito Domingos Camerlingo Caló.
A captação de água que se fazia a partir do rio Turvo desde 1929, a partir de 1944 passou a ser feita no rio Pardo, com a construção de uma nova adutora que levaria  o líquido até um reservatório no cume da Altino Arantes, ponto mais elevado da cidade. Nesse local construiu-se, então, uma estação de tratamento de água; popularmente o local ficou conhecido por  "caixa d'água". Seus jardins tinham um belo roseiral. Aí instalou-se a sede da  SAE,  que reformou completamente o conjunto.
Essa foto é  dos anos 1940, quando a Avenida Altino Arantes ainda não tinha sido  pavimentada. Observe que o belo sobrado construído, na esquina com Souza Soutello, por Ibrahim Roberto Ribeiro Abujamra ainda não existia.
Esta outra foto foi tirada por meu pai no interior do complexo, no início dos anos 1950. São sobrinhos e primos, Devienne e Monteiro.