17.10.10

PROFESSOR LUIZ CORDONI



Amanhecer de segunda-fei 11 de outubro. Manhã fria e com chuvisco.
Leio o e-mail de Luiz Cordoni Junior, no qual faz,  a meu pedido, um breve relato sobre seu pai, o professor Luiz Cordoni, falecido em  21 de dezembro de 2009.
Revejo uma foto de 1958 na qual está o professor Cordoni,  e as lembranças, qual imagens cinematográficas, desfilam à minha frente.
Lembranças do vetusto prédio do “Grupão” (Grupo Escolar “Jacinto Ferreira de Sá”, na Rua Nove de Julho, dos seus corredores, das salas de aula, do seu pátio. Lembranças dos professores (as), dos serventes, dos colegas e do diretor do estabelecimento, Luiz Cordoni.
Luizito devia se orgulhar, naquele ano de 1958, de ter naquela escola pública, a mãe, dona Cida, como uma das melhores e queridas professoras e o pai como diretor.
Não me lembro se estivemos, eu e Luizito, na mesma sala do quarto ano. Recordo que nossa aproximação deu-se, no mesmo ano, no preparatório ao ginásio, curso particular dado à tarde pelos professores Osvaldo e Aparecido Pasqualini.
Por força dessa aproximação, estive muitas vezes na casa do professor Cordoni, onde fazíamos (Luizito, Luiz Gonzaga Tone e eu) sessões de estudo acompanhadas de um bom lanche preparado por dona Cida.
Impressionava-me o gabinete de trabalho do professor Cordoni, com uma bela mesa de trabalho tendo atrás estantes onde estavam os seus livros.
A lembrança de um homem sisudo, mas que sabia emitir um belo e raro sorriso é confirmada pela descrição breve do filho:

“Era sisudo, falava pouco, mas muito gentil e cavalheiro.”
Em seguida, detalhes que eu desconhecia:
“Gostava de dançar. Ia com minha mãe aos bailes no Grêmio Recreativo de Londrina. E dançavam bem. Era bom de garfo, comia bem. Adorava massas, como bom descendente de italianos.”
O casal, com o avançar da idade, mudou-se para Londrina (Pr) onde morava o filho já formado e seguindo uma bela carreira universitária que o levou ao secretariado no governo do Paraná, fatos do quais muito se orgulhavam certamente.
“Formou-se professor em Botucatu. Muito do que aprendi em meu curso de Medicina já estava lá em seus livros da Escola Normal. Muito sério e dedicado à educação. Pouco trabalhou como professor. Bom dirigente, sabia ouvir, característica importante na função. Organizado, sempre atualizado. Tinha uma pasta enorme de recortes do Diário Oficial.”
Essa descrição aponta para a excelente formação que a antiga Escola Normal paulista, a partir do final do século XIX, dava aos seus alunos, o que resultava na base sólida que estes, já então professores, ministravam nos grupos escolares. Infelizmente, tudo isso se perdeu a partir de finais dos anos 1970, ocasionando a baixa qualidade do ensino das primeiras séries do ensino fundamental, com as conseqüências que todos conhecemos.
Como pai de família, muito dedicado. Sempre planejando e executando o que planejara.
Faleceu aos 97 anos. Estava muito forte ainda (a memória dava alguns sinais de enfraquecimento) e teimava em dirigir o seu carro na cidade (com CNH válida).

A foto, por Francisco de Almeida Lopes, mostra o momento em que eu recebia meu diploma do curso ginasial das mãos do drº Salem Abujamra, Inspetor Federal de Ensino À esquerda estão o professor Norival Vieira da Silva, diretor interino na ocasião, o professor Mário, de Matemática no noturno, a saudosa Irmã Celestina, representando o Colégio Santo Antônio e o padre Felipe Dimants, professor de inglês, aqui ostentando um belo sorriso. Á direita, vemos o professor Luiz Cordoni, que entregaria o diploma a seu filho Luizito.
Foto por Francisco de Almeida Lopes

10.10.10

A ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL "JACINTO FERREIRA DE SÁ"


A Escola Técnica Estadual “Jacinto Ferreira de Sá” completou  40 anos. Foi criada em 1970, com a denominação de Colégio Técnico Estadual de Ourinhos. O prefeito na ocasião era Mithuo Minami (1969-1972). Como não havia prédio próprio, o então vereador Rubens Bortolocci da Silva, por intermédio de seu irmão,  que na ocasião era reitor da Congregação dos Oblatos de São José, conseguiu a cessão de dependências do Seminário Josefino para a instalação da escola. As primeiras habilitações oferecidas foram Economia Doméstica, Edificações, Eletromecânica e Mecânica.
É importante também relembrar que o ensino profissionalizante   em Ourinhos remonta ao final dos anos 1940, quando foi criada na Vila Margarida a chamada “Escola Profissional”
Um novo prédio foi  construído pelo executivo estadual na gestão do governador  Paulo Egydio Martins (1975-1979). O prefeito de Ourinhos era  Rubens Bortolocci da Silva (1973-1977). O prédio foi inaugurado no dia 31/1/1977, último dia da gestão do prefeito Bortolocci (Rubinho)
A foto, por Francisco de Almeida Lopes, foi tirada por ocasião da visita do governador Paulo Egydio Martins ao novo prédio da ETEE “Jacinto Ferreira de Sá”.  Ao seu lado está o deputado federal pela região, Silvestre Ferraz Egreja. À esquerda vê-se Mituo Minami. Identifico à esquerda, com os braços cruzados, Moacir de Melo Sá.

3.10.10

A ELEIÇÃO DE 195O


Hoje, 3/10/2010,  temos uma eleição presidencial como há 60 anos.
Getúlio Vargas, derrubado em 1945, tentava retornar à presidência pelo voto popular.
Uma marchinha carnavalesca desse ano cantava:
"Bota o retrato do velho outra vez, bota no mesmo lugar, o sorriso do velhinho faz a gente trabalhar."
Getúlio foi o vencedor, tendo obtido 48,7 % do votos contra 29,7 % dados ao segundo colocado, Brigadeiro Eduardo Gomes, da União Democrática Nacional -  UDN.
Ademar de Barros, governador de São Paulo (Partido Social Progressista (PSP), tentava fazer o sucessor, na pessoa  do seu   Secretário de Estado de Viação e Obras Públicas,  Lucas Nogueira Garcez. Obteve sucesso, Garcez foi eleito. O PSP também conseguiu eleger seu candidato a senador, César Lacerda Vergueiro (1886-1957) 
A foto, por Francisco de Almeida Lopes, nos  mostra o palanque montado para receber os candidatos do PSP. À esquerda, Ademar de Barros, ao centro Horácio Soares, ex-prefeito e  vereador na ocasião,  e Pedro Férez Mattar, presidente do Diretório Municipal do PSP. 
Compunham o diretório ainda:
1º Vice – Tito Tibúrcio do Prado
2º Vice – Jeanduy Perino
3º Vice – drº Durval da Gama Filho
4º Vice – Mario Ribeiro da Silva
Sec. Geral – Evaristo Saraiva
Subsecretário – Ormuz Pereira Cordeiro
Sec. Assistente – João Rodrigues Martins
Tesoureiro – Ciro Silva
1º Tesoureiro – José Garcia de Oliveira
2º Tesoureiro – Antonio Carlos Mori