18.3.17

A PEDRA FUNDAMENTAL DA SANTA CASA DE OURINHOS 23-3-1941


Clique sobre a foto 


O momento do lançamento da pedra fundamental, foto por Frederico Hahn.
Eu identifico na foto: Carlos Nicolosi, Silvano Chiaradia, Hermínio Soci, Rodopiano Leonis, Álvaro de Queiroz Marques, drº Hermelino Leão e esposa Tata, as duas filhas do casal, Alzira Tocalino Nicolosi, as meninas Maria Lucia, Nice e Nancy Nicolosi, Annete Papa, o  jovem padre Eduardo Murante, nos seus primeiros dias como pároco de Ourinhos, Virgílio Varago, José das Neves Júnior e Florindo Carrara



Conforme o anunciado no convite em forma de folheto dirigido à população ourinhense, às 15 horas de um domingo chuvoso, em terreno ao lado do recém construído Ginásio de Ourinhos, foi dado o ponto de partida para a edificação da tão sonhada Santa Casa de Ourinhos (23-3-1941), com um costume daqueles tempos, o qual não sei dizer se ainda existe: o lançamento da pedra fundamental. 
No que consistia isso? Abria-se no chão de terra    um buraco quadrado que era  revestido de cimento, no qual   se depositava a ata dessa cerimônia, moedas da época, etc, fechando-o em seguida. Esse ato simbolizava o início da obra. 
Sobre a pedra fundamental erguia-se o edifício. 
Foi um domingo chuvoso aquele do dia 23 de março de 1941, o que não animou os habitantes da cidade a deixarem  suas casas e se dirigirem a um dos pontos limítrofes para assistir à cerimônia.
Mesmo assim, calculou-se em 300 os presentes, o que é um número razoável, convenhamos:

(A Voz do Povo, 30-3-1941, in Tertuliana on line)







11.3.17

UM OLHAR SOBRE OS PROBLEMAS DE OURINHOS PELO ENGENHEIRO WALLACE HEPBURN MORTON, SUPERINTENDENTE DA COMPANHIA FERROVIÁRIA SÃO PAULO-PARANÁ

Logo após a fundação do Rotary Clube de Ourinhos, era comum o semanário A Voz do Povo publicar a transcrição de palestras de membros dessa entidade.
Assim foi com a palestra proferida pelo Engenheiro Wallace Hepburn Morton, superintendente da Companhia Ferroviária São Paulo-Paraná. Tendo assumido essa posição na ferrovia inglesa em 1931, Morton permaneceu em Ourinhos até o ano de 1944, quando a ferrovia foi encampada pelo governo federal. Retornou à cidade em finais dos anos 1940 para uma visita a amigos.  Foi um incentivador do esporte na empresa que administrava, ao criar  as condições para a prática do tênis, do basquete e do futebol, cedendo espaço nos terrenos da ferrovia para tanto. Participou da criação do Rotary Clube local e das tratativas para a construção da Santa Casa de Misericórdia. 
Na palestra em foco, ele tratou de três  questões cruciais para o progresso da cidade : esgoto, o abastecimento de água e o calçamento. A segunda foi resolvida na gestão municipal seguinte a do médico Hermelino Agnes de Leão (1941-1945), a segunda no governo do professor Cândido Barbosa Filho (1948-1951)







4.3.17

OS 60 ANOS DA FORMATURA DE NORMALISTAS OURINHENSES


Neste ano de 2017, duas turmas de normalistas ourinhenses comemorarão 60 anos de formatura. 


Fonte: Acervo digital Tertuliana


A turma do Colégio Estadual e Escola Normal Horácio Soares, uma das primeiras do Curso Normal estadual instalados em finais dos anos 1940.


Fonte: Acervo digital Tertuliana

A outra da Escola Normal Livre Imaculada Conceição, do Educandário Santo Antônio, das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, talvez a primeira turma.



Fonte: Acervo digital Tertuliana


Da turma do colégio estadual destaco quatro integrantes:  Ana Dora de Almeida, Antonia Dupas, Emery Farah, e Luciano Correia da Silva. Ana Dora foi minha professora na quarta série do curso primário;  com Antonia Dupas  convivi no período de instalação da biblioteca do Grêmio Recreativo de Ourinhos, obra de Mário de Oliveira Branco; Emery Farah, é hoje  uma das responsáveis pelo jornal Folha de Ourinhos, do qual sou colaborador há mais de 15 anos; Luciano Correia da Silva foi meu professor de Língua Portuguesa no curso ginasial e no curso téccnico de contabilidade.
Com certeza a maioria dos  integrantes dessas duas  turmas dedicaram-se ao magistério,  sendo responsáveis pela alfabetização  de inúmeros ourinhenses e de crianças de outros municípios vizinhos.
Na foto abaixo, se veem alunos do Colégio Estadual e Escola Normal Horácio Soares desfilando em 7 de setembro de 1957
(na confluência da Avenida Altino Arantes com a Rua Antonio Carlos Mori). Destaque para o aluno Luciano Correia da Silva que vem à frente portando a bandeira.