24.12.16

XVII JOGOS REGIONAIS DA SOROCABANA - 50 ANOS

Chegamos ao final do ano de 2016,  no qual pudemos comemorar aniversários  importantes. Não poderíamos encerrar esta coluna  de "Memórias Ourinhenses" sem nos lembrarmos  dos 50 anos do XVII Jogos Regionais da Sorocabana, realizados na cidade de Ourinhos em 1966.
A equipe ourinhense de bola ao cesto sagrou-se campeã na modalidade:


Ranilson, Michel, Miguelzinho, Paulo Ailton, Renato, Clélio e Paulo Santos. Agachados: Américo, Cavour e Renato Mori, Celso e Moreto.

O jornal "O Progresso de Ourinhos" publicou em sua primeira página uma homenagem da municipalidade a esse importante evento:







10.12.16

O GUAPURUVU DE HORÁCIO SOARES

Clique sobre a foto.


Este é um postal dos anos 1960 que nos  a praça Melo Peixoto logo após a remodelação empreendida pelo prefeito Paschoalick. A maior parte das árvores fora posta abaixo, principalmente as "figueira-benjamin" que haviam sido tomadas por uma praga denominada na época de "lacerdinha".
A velha paineira, tida como a mais antiga da praça, ainda estava em todo o seu esplendor. Destacam-se também as belas Andá-Açu. 
O novo coreto, ao qual uma passarela dava acesso, tinha a sua frente o "Espaço Cívico"
Na praça anterior, onde havia um banco de areia para as crianças brincarem,  fora edificado um aviário.
No entanto,  o que me chamou a atenção num retorno a este cartão, é que  em seu canto esquerdo são vistas as altaneiras árvores que rodeavam a casa de Horácio Soares, na Arlindo Luz. Na ocasião dessa foto, lá morava o casal Alberto Santos Soares (Bertico) e Nancy Nicolosi. 
Uma delas é um Guapuruvu. "O guapuruvu (Schizolobium parahyba, Vell.), também conhecido como ficheira, garapuvu (ou guarapuvu), bacurubu, badarra, bacuruva, birosca, faveira, pau-de-vintém, pataqueira ou ainda "pau-de-tamanco", é uma árvore da família das fabáceas, sub-família Caesalpinioideae.
Árvore de 20 a 30 metros de altura, 60 a 80 centímetros de diâmetro na altura do peito. Flores grandes, vistosas, amarelas. Tronco elegante, majestoso, reto, alto e cilíndrico, casca quase lisa, de cor cinzenta muito característica. Floresce durante os meses de outubro, novembro e dezembro.
madeira do guapuruvu é pouco resistente, mas presta-se à confecção de embarcações tipo canoas exatamente pela leveza e facilidade de entalhe. É a árvore símbolo da cidade de Florianópolis, capital do Estado de Santa CatarinaBrasil. Suas sementes são usadas contra os efeitos lesivos de acidentes ofídicos na região do Triângulo Mineiro (MG- Brasil). É tambem objeto de estudo de um grupo de pesquisas da Universidade Federal de Uberlândia, em especial da pesquisadora MSc. Mirian Machado Mendes que busca descobrir princípios ativos nesta planta potencialmente úteis à saúde humana. (Fonte: Wikipedia)
 As sementes dessa árvore assemelham-se às fichas que se usam em jogos de roleta. Eu, que morava em frente a essa casa, costumava colecioná-las.
A espécie deve ter sido plantada nos anos 1940, quando Horácio a fez construir. Hoje, há nesse local um prédio de apartamentos, não sei se a Guapuruvu foi conservada
A igreja matriz, finalmente, estava tendo o seu acabamento externo, após a edificação das belas torres.
Ourinhos era uma cidade ainda bucólica, vivendo seus últimos anos de tranqüilidade.
Nas fotos abaixo, uma bela Guapuruvú e suas sementes:
cplantar.com

A espécie abaixo é do Jardim Botanico de Hong Kong

https://pt.wikipedia.org/wiki/Guapuruvu#/media/File:Schizolobium_parahybum.jpg

As sementes.
tocadoverde.com.br

Foto de Ourinhos - Foto Postal Colombo, do acervo de Francisco de Almeida Lopes

3.12.16

O REPÓRTER FOTOGRÁFICO AMADOR E O DESASTRE NA LINHA FÉRREA - 1937

Francisco de Almeida Lopes, meu pai, foi também repórter fotográfico talentoso. Estas fotos, de  um desastre ocorrido na cidade  em 1937,  são as primeiras  com essa característica:



Se houvesse em A Voz do Povo a prática de ilustrar as reportagens jornalísticas, essas fotos teriam acompanhado o texto abaixo:




A Rua Piauí era a atual Expedicionário.
Fonte: http://www.tertulianadocs.com.br/AVOZDOPOVO_04.09.1937