27.2.16

JOAQUIM DE AZEVEDO, O FUNDADOR DE "A VOZ DO POVO"



A CIDADE DE OURINHOS COBRE-SE DE LUTO COM A PERDA DE UM DE SEUS GRANDES BATALHADORES.

Aos 68 anos de idade faleceu nesta cidade, dia 18 do corrente, ás 10 horas da manhã, o estimado cidadão Snr. Joaquim de Azevedo, fundador e Diretor de «A Voz do Povo». 
Essa foi a manchete do semanário (24-12-1945) fundado em 1927, "A Voz do Povo", noticiando o falecimento de seu fundador .
Antes de se fixar em Ourinhos, em 1910, Joaquim de Azevedo fora empregado da Estrada de Ferro Sorocabana, tendo sido chefe de estação.


(foto do acervo de Wilson Monteiro)

Tendo circulado vinte e quatro anos,  o semanário passou por várias fases nas quais Joaquim de Azevedo soube cercar-se de bons colaboradores que publicavam artigos assinados sobre os mais diversos assuntos.

Tendo lido toda a coleção, reputo como uma das melhores fases, aquela de finais dos anos 1930, quando atuou no jornal o jornalista Sansão Ferreira.
Com a morte de Joaquim de Azevedo, assumiu a direção do jornal,  a partir de 13-4-1946,  seu filho  Reinaldo de Azevedo, que desempenhou com muita eficiência o trabalho que tinha pela frente. A gerência estava a cargo de outro filho, Orlando de Azevedo.
Após encerramento do jornal, a família manteve por muitos anos a tipografia que mantinha na Rua Paraná, na qual Orlando e Edu Azevedo, principalmente atendiam aos fregueses, com muita simpatia. 

20.2.16

O CINE OURINHOS

Emílio Pedutti (1904-1963), nascido em Botucatu,   formou-se contador na conceituada Escola de Comércio Álvares Penteado. O jovem seguiu a carreira bancária, tendo chegado a gerente do Banco Francês e Italiano para a América do Sul. Do banco, passou à atividade empresarial no ramo de diversões, constituindo a Empresa Teatral Pedutti, responsável pela abertura de salas de cinema em inúmeras cidades do interior paulista.



Emilio Pedutti


Em Ourinhos, a empresa adquiriu o Cine Cassino, cuja gerência foi entregue ao jovem  Romeu Silva, também de Botucatu, recém casado.
Ele e sua esposa Glorinha integraram-se à cidade, aqui passaram a viver e morreram;  fizeram história à frente do Cine Ourinhos. Os que frequentaram o cinema jamais se esquecerão da famosa bala de café que saia das hábeis mãos de dona Glorinha. Em Ourinhos nasceram os dois filhos do casal. Merecia ter sido dado seu nome a uma das ruas da cidade.

,

Romeu Silva  e Alfeu, um dos lanterninhas.

Ourinhos crescia a olhos vistos e a antiga casa de cinema já não comportava a demanda. A população ansiava por uma nova casa de espetáculos. Este almejo da população concretizou-se com a inauguração do Cine Ourinhos em 2 de setembro de 1944.



O filme de estréia chamava-se "Fugitivos do Inferno", uma das várias produções de guerra que Hollywood fez nos anos da Segunda Guerra Mundial. O diretor era Raoul Walsh. Chegou a ser nominado para o Oscar de efeitos visuais em 1943. Era estrelado por Errol Flynn, então no auge de sua carreira. Tinha também no elenco o iniciante Ronald Reagan que começava a despontar em sua carreira.

Na foto, vemos ao centro, de terno branco, o prefeito Drº Hermelino Agnes de Leão e Emílio Pedutti  

Em 1949, o Cine Ourinhos já oferecia, aos sábados e domingos,  duas sessões noturnas às 19h30 e 21h30 e uma vesperal (domingo) às 14h15:


Na segunda metade dos anos 1960, a cidade em franco progresso já comportava duas salas de cinema. Inaugurou-se então, o moderno Cine Pedutti, ao lado da Praça Benedito Martins de Camargo, dotado dos mais modernos aparelhamentos. De início, Ourinhos passou a contar com dois cinemas. O avanço da televisão foi minando o número de frequentadores. Em 2002, 28-1, o Cine Pedutti apresentava a sua última sessão de cinema. No espaço por ele ocupado, há hoje um shopping center, já o Cine Ourinhos foi transformado em teatro municipal, na gestão do prefeito Esperidião Cury.
Fontes: Ourinhos Notícias, jornal A Voz do Povo, Blogdodelmanto


14.2.16

OS 90 ANOS DE ALZIRA MATACHANA GONZALES DE MOURA (ALZIRINHA)


Alzirinha é a caçula de uma família (Matachana) de oito  irmãos já falecidos.


Ao lado do pai, Arquipo Matachana.



Minha mãe dizia sempre que era um prazer cruzar com Alzirinha nas ruas e levar um pequeno papo sobre os velhos tempos. 
Alzira tem como marca registrada seu belo e franco sorriso, característicos da espontaneidade que ele irradia.
Foi colega de turma de meu tio Herculano Neves no Ginásio de Ourinhos, ocasião em que  a adolescente baliza, nos desfiles de Sete de Setembro,  foi  flagrada pela câmera fotográfica de meu pai. 


Alzira foi casada com o drº Raul Gonzales de Moura, com quem teve dois filhos, um deles também médico em Ourinhos, Ronaldo Matachana Gonzales de Moura.
Neste dia, 21 de fevereiro, Alzirinha completa 90 anos. Que continue por muito tempo irradiando simpatia e  seu belo sorriso.



Nesta foto, tem ao seu lado (direita) o marido drº Raul.




Com os colegas de ginásio numa confraternização.




  

Relembrando os velhos tempos do ginásio com o drº João Batista de Medeiros, um dos fundadores do Ginásio de Ourinhos. Ao fundo a professora Inês Leal.





Alzirinha, abraçada a Lourdes de Freitas,  conversa com o colega Herculano Neves




Saudando a chegada do novo prefeito, drº Hermelino A. de Leão, em 1941.



Com amigas numa foto feita na entrada da  Estação Ferroviária. Ela está com uma bolsa nas mãos. A última à direita é Anita Beltrami Costa, à esquerda de Alzirinha está Santa Ramos Brandimarte.





Alzirinha, receba os cumprimentos de Memórias Ourinhenses !


6.2.16

RELEMBRANDO OS CARNAVAIS DE 1931 E 1932

Ourinhos, desde os seus primórdios, sempre deu ênfase aos festejos carnavalescos: corso, bailes vesperais para crianças e noturnos para os adultos. 
Seguem abaixo duas publicações do semanário "A Voz do Povo" sobre a organização dos bailes de 1931 e 1932, no Grêmio Recreativo de Ourinhos.

FESTEJOS CARNAVALESCOS 
Com a presença de numerosa assistência, realisou-se no Theatro Casino, sob a presidência do Snr. Francisco Cocapieller, uma reunião com o fim de tratar dos festejos Carnavalescos no corrente anno. O enthusiasmo reinante era extraordinário e dizia bem da animação de todos os presentes. Foi eleita a seguinte commissão: Paulo Novaes de Carvalho Alberto Matachana Raphael Avallonc Pedro Migliari Mario Mori José Pedroso Manoel Liborio Carlos Amaral Essa commissão resolveu nomear uma com missão de senhoras e outra de senhoritas,que ficaram assim constituídas : Senhoras : Da. Zizi Coccapieler Da. Valentina M. Alonso Da. Mariquinhas A. Lanzoni Da. Mariquinhas Pedroso Senhoritas: Yolanda Milanesi Izaura Bugelli Cecilia Ferraz Luizita Matachana Ondina Amaral Maria Alonso Facto altamente significativo que vem demonstrar o que de brilhante e animador terá a passagem de Momo este anno por Ourinhos, é o gesto sympathico de todas as senhoras e senhoritas convidadas, que accederam gentilmente ao çonvite, não tendo nenhuma recusado.(A Voz do Povo, 8-2-1931)



Na foto foi possível identificar:
José Esteves de Mano Filho, no canto à esquerda, trajando um pijama como fantasia. Ele foi empregado da Cia Ferroviária São Paulo-Paraná, tendo sido também prefeito municipal, após a renúncia do prefeito Benedito Camargo, em 1936.
no Bloco das Malandras (ao centro) foram identificados:
- na primeira fileira (centro) - Mário Thomé, Bráulio Tocalino, que foi casado com Diva Milani e Ziza Milani;
- sentados no chão (à frente do bloco) - Diva Milani, Hercília Bugeli abraçada em Rafael Papa, que foi casado com Adalgisa Tocalino, em seguida Henriqueta Tocalino, que foi casada com Veridiano de Souza Filho.



Grêmio Recreativo 

A Directoria desta sociedade, abrilhantará os bailes carnavalescos que terão lugar nos dias 7 8 e 9, em homenagem ao deus Momo. A segunda-feira, ás 15 horas, serão premiados com tentadores brinquedos os meninos que se apresentarem com as mais bizarras phantasias. A’s senhoritas, será conferido um distincto prêmio áquella que se apresentar com a mais original phantasia. 
(A Voz do Povo, 7-2-1932)





















Carnaval de 1941 - Bloco - GRO
De cima para baixo fila 1 Mariquinha Matachana (1) Profª Maria Inês (5)
Fila 3 -  Anita Beltrami (5)