Pular para o conteúdo principal

OURINHOS RUMO AO CENTENÁRIO - A VISITA DO PRESIDENTE DO ESTADO, MANUEL DE ALBUQUERQUE LINS, EM 1909



Em minhas pesquisas realizadas no arquivo "Tertuliana", que abriga a digitação de vários jornais antigos de Ourinhos, encontrei uma página inteira da edição de 29 de dezembro de 1968, contendo um artigo que historia o nascimento de Ourinhos, dando ênfase a uma visita que o presidente do Estado, Manuel de Albuquerque Lins,  fez à região para para inaugurar o trecho da linha que iria de Ipaussu a Salto Grande, no dia 12 de outubro de 1909.
Posso estar enganado, mas a partir dessa reportagem sou levado a crer que a foto que temos como a da inauguração da estação, na verdade seja a da saudação dos habitantes do povoado, à parada  da autoridade máxima do Estado e comitiva na Estação de Ourinho, em 1909.
Trata-se de artigo muito bem escrito, contendo muitas informações interessantes, algumas  já fornecidas após pesquisa exaustiva a diversos arquivos  pelo jornalista Jefferson Del Rios Vieira Neves em seu livro "Ourinhos - memórias de uma cidade paulista".
A página traz a reprodução de uma foto das autoridades, que eu desconhecia. Existirá a foto original?
Infelizmente, o artigo não está assinado. Quem o teria escrito? Ouso apontar dois possíveis autores: o professor Norival Vieira da Silva e o jornalista Benedito Pimentel.
Pela importância do narrado no artigo, transcrevi-o na parte que narra as origens do povoado e a cerimônia de 1909.



(Cabeçalho de artigo publicado no jornal "Diário da Sorocabana", de 29 de dezembro de 1968


A SEMENTE
 A Estrada de Ferro Sorocabana foi a primeira semente de progresso lançada ao solo ourinhense. Por volta de 1900, a ferrovia chegava até Bernardino de Campos e as picadas rasgavam a mata e iam em direção a Salto Grande do Paranapanema. Na agua do Ourinho, fez-se o grande acampamento de trabalhadores, que foram os primeiros habitantes da cidade. Com eles estavam tambem os primeiros artifices do nosso progresso, entre os quais se contavam os nossos primeiros ferreiros, pedreiros, carpinteiros. Talvez tenha sido a fertilidade da terra, fartura de agua, ou por ser o meio do trajeto para a Ilha do Salto Grande, ponto final do trecho de linha em construção - "Ourinho " foi o ponto escolhido como ideal para acampamento dos trabalhadores.


(O trem comboio rumo a Salto Grande, em 1909)

É A HISTÓRIA

Os trabalhadores da Sorocabana ajudaram a escrever o primeiro capitulo da historia de Ourinhos. Nessa epoca, as terras estavam envolvidas por terrivel demanda entre dois poderosos coronéis. Jacinto Ferreira de Sá e Tonico Lista. Jacinto era mineiro e residia em Santa Cruz do Rio Pardo. E Tonico, chefe politico do antigo Partido Republicano Paulista, homem de confiança de Ataliba Leonel, era senhor poderoso, estendendo a sua influencia a todas as atividades do Estado. Jacinto adquirira por aqui a Fazenda das Furnas, denominada tambem Salto do Turvo, a Escolastica Melrchert da Fonseca. Tonico não gostou da tentativa do mineiro em fincar pé em seus pagos. Contestou a transação. E a demanda foi parar nos tribunais, discutida por grandes advogados da epoca. Altino Arantes foi um deles. A luta no judiciário foi ilustrada por lances de colorido diverso. Ora era os homens de Tonico, o temido coronel da região, que atiravam sobre a turma de Jacinto, ora os golpes deste sobre o celebre "homem de confiança" de Ataliba Leonel. O processo volumoso mostra que as testemunhas de defesa de Jacinto pertenciam ao acampamento que abrira as picadas, implantara o leito ferroviário da Sorocabana cujos depoimentos permitiram que o Juiz Cardoso Ribeiro lhe desse ganho de causa. Os trabalhadores da primeira turma da ferrovia ligaram-se tanto a causa do Jacinto,  que acabaram adquirindo pequenas glebas de terra em Agua do Ourinho. As nossas familias de origem portuguesa, espanhola e italiana sairam desse acampamento. Como tambem dele saiu a primeira forja que Ourinhos possuiu.

FESTA DE INAUGURAÇÃO


 No dia 12 de Outubro de 1909, o presidente do Estado, Dr Albuquerque Lins chegava a Ourinhos no primeiro trem especial, para inaugurar o trecho da linha que iria de Ipaussu a Salto Grande. Com ele estavam Fernando Prestes, vice-presidente, José Gonçalves Barbosa, representando o ministro da Viação (Francisco Sá), Olavo Egidio de Souza Aranha, Secretario da Fazenda, Carlos Guimarães, Secretario do Interior, o macaense Washington Luiz Pereira de Souza, Secretario da Justiça e Segurança Pública Senador Jorge Tibiriçá, Frank Egan, Diretor Superintendente da Sorocabana e Huet Bacellar. engenheiro que chefiava a equipe de estudos e projetos para o desenvolvimento da Sorocabana. O trecho de linha inaugurado nesse dia, entre Ipaussu e Salto Grande, tinha 49 quilometros.

VÁRIAS PARADAS

O trem especial do presidente  Albuquerque Lins fez varias paradas no trecho para receber homenagens das populações locais e participou de um programa maior em “Ourinho" e “Salto Grande do Paranapanema". onde foi redigida a Ata de inauguração em uma grande folha de pergaminho e assinada pelas autoridades presentes. A estação de Ourinhos. com os seus pateos e desvios ocupou um area de 78.500 m2 que foram adquiridos a Jacinto Ferreira de Sá A aquisição foi precedida de uma ação movida pelo sr. Jacinto Ferreira de Sá contra a Fazenda do Estado  avaliada em 84 contos. A recepção ao presidente Albuquerque Lins em Ourinhos contou com a presença dos fazendeiros da epoca (poucos), dos trabalhadores da ferrovia e da pequena população, que na sua maioria eram as familias dos proprios trabalhadores da ferrovia que já se haviam  mudado para aqui. Em Salto Grande a festa contou com um programa mais variado, presentes todos os chefes perrepistas da região.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O CINQUENTENÁRIO DA TURMA DE DEBUTANTES DE 1966 DO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS

A edição de 3 de setembro de 1966 do jornal O Progresso de Ourinhos saiu com a capa em cores, sendo praticamente dedicada a reportagens sobre as debutantes de 1966 do Grêmio Recreativo de Ourinhos. Na capa, a manchete foi:


Alice Chiarato, Ana Cristina Paula Lima, Aparecida de Oliveira, Cleide Prioli Gaudêncio, Cleonice das Graças Teixeira, Déa Maria dos Reis, Eloisa de Azevedo, Guacyra Maria Ferrari, Mariângela Baccili Zanoto, Mariângela Cury, Maria Ângela Pinheiro, Maria Dilza de Freitas Faria, Maria Silvia Bueno de Campos, Sílvia Nicolosi Correia, Silza Saccheli Santos







Nas páginas seguintes, as debutantes de 1966 foram entrevistadas sobre algumas de suas preferências e aspirações. Cada uma das debutantes tiveram sua foto publicada no topo da entrevista





O ator  preferido das adolescentes foi, de longe,  Rock Hudson, seguido por Alain Delon; já quanto ao cantor a preferência foi por Agnaldo Rayol.
Rock Hudson
À pergunta sobre a vocação foram citadas: engenharia química, psicologia, música, …

DE VOLTA PARA O PASSADO: 1961, AS TORRES DA IGREJA MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS

À esquerda padre Domingos Trivi, à direita padre Eduardo Murante

Nesta edição comemorativa dos sessenta nos do mais antigo jornal de Ourinhos, a "Folha de Ourinhos", nada melhor do que um assunto próximo às origens do semanário veterano. Numa das últimas visitas que fiz ao nosso  saudoso  amigo drº Antonio Ferreira Batista, que foi gerente do Banco do Estado de São Paulo - Banespa entre os anos de 1950 e 1960, quando comentei algo sobre o Padre Domingos Trivi, o srº Ferreira contou-me que havia sugerido a esse pároco uma grande ação para que a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus tivesse finalmente suas torres concluídas. Desde os finais dos anos 1940, quermesses, leilões de prendas e outras ações por parte dos paroquianos tornaram possível a edificação da nova Igreja Matriz.  
Concluída na parte interna, embora ainda sem um acabamento mais fino,  já nos primeiros anos da década de 1950, cerimônias foram sendo realizadas no novo templo. 
Era necessário, então, a finalização de sua f…

LIBERTO RESTA (1914-1984), O CHEFE DO ESCRITÓRIO DA SANBRA

Nessa foto de autoria de meu pai,vemos Liberto e Ditinho acompanhados por Arlindo (trabalhava na seção pessoal da Sanbra) no acordeão e Robertinho (trabalhava na Coletoria Estadual), por ocasião de uma homenagem a Ourinhos no programa televisivo de Homero Silva, no final dos anos 1960.

Nesta foto vemos o casal Liberto e Ynira, a filha Rosa Maria, Ivone Duarte de Souza, esposa do gerente da Sanbra José Fernandes de Souza e a filha Cristina por volta de finais dos anos 1950.

Os dois anos e meio em que trabalhei na Sanbra foram marcantes para mim Muitos dos empregados da fábrica e do escritório tornaram-se um paradigma para minha vida profissional ao longo de 50 anos. Um deles foi Liberto Resta. Ingressei com 15 anos no escritório, na condição de aprendiz. Liberto era o chefe do escritório.
Foi o responsável pla formação da primeira equipe do escritório da Sabra em Ourinhos.
Na foto abaixo vemos Liberto juntamente com alguns empregados do escritório e da fábrica, no ínicio dos anos 1950.
Aga…