31.10.13

JOÃO ABUJAMRA - O JOÃOZINHO DA "NOSSA CASA"

Seu João partiu. Era dos comerciantes mais antigos de Ourinhos,  estabelecido no ramo de tecidos na Avenida Jacinto Sá com Antônio Prado - a NOSSA CASA.
Era filho de Ibrahim Abujamra.
Sua loja tinha um diferencial na qualidade dos tecidos. Minha mãe sempre que desejava algo diferenciado  em matéria de tecido  ia no"Joãozinho", seu colega de  escola.
Há alguns anos, já doente, fechou a loja.
Gostava de escrever contos e poesias que podem ser encontrados nas páginas do jornal "A Voz do Povo" de final dos anos 1930 e inícios dos anos 1940.
Transcrevo aqui, o início de um desses contos, denominado "A lenda das pedras verdes"que pode ser lido na edição de 27 de janeiro de 1940:

"Nem as leves brisas do norte, nem a face da terra, poderá dizer ao aventureiro heroico e audacioso que percorreu e percorre as imensas florestas chamadas com razão o mar verde do Brasil, o lugar onde existiu a famosa serra das esmeraldas, realidade de Azeredo e sonho fascinador de Fernão Dias.
Nada!...nada, senão a desolação e a morte nessas paragens cobertas de verdes palmares, que a tradição histórica cita com verdadeiro assombro e que a alma popular aceitou como verídica e passou-a de geração a geração.
".....".
Há uma página neste blog com o depoimento de João sobre Ourinhos;
http://ourinhos.blogspot.com.br/2012/04/depoimento-de-joao-abujamra.html

À família de João Abujamra nossos sentimentos.

30.10.13

ANTÔNIO CARLOS CORRÊA (1924-2013)


Foto: Nice e Antônio Carlos 

Antônio Carlos Corrêa partiu dia 6 de setembro de 2013.
Doente há alguns anos, já não estava presente como o Antônio Carlos que os amigos e familiares conheciam.
Nas visitas que eu  fazia a sua esposa Nice sempre que ia Ourinhos,  pude acompanhar de perto o desligamento paulatino  de  uma pessoa que fora sempre muito alegre e boa  prosa.
Nascido em Santa Cruz do Rio Pardo, fixou-se em Ourinhos  após o seu casamento com Nice Nicolosi.
Foi durante muitos anos gerente da Cargil onde se aposentou. 
Após a aposentadoria, exerceu a administração de imóveis e corretagem  sempre com a seriedade que foi uma marca constante em sua vida profissional.
Amante da pescaria, foi um dos melhores dessa prática em Ourinhos, tendo sido também presidente do Rotary Clube local e do Grupo de Amantes da Música.

26.10.13

O LANÇAMENTO DA PEDRA FUNDAMENTAL DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE OURINHOS

Era um dia chuvoso de março (23). O ano, 1941. O horário,  15 horas, ocasião em que ocorreria um acontecimento muito esperado - o lançamento da pedra fundamental da futura Santa Casa de Misericórdia. 
O início da cerimônia sofreu atraso devido ao mau tempo. Ela teve  início às 16h30, com a lavratura da ata, após o que o jovem pároco recém chegado a Ourinhos, Padre Eduardo Murante procedeu à benção da pedra inicial,  junto a qual foram colocadas uma cópia da ata, exemplares de "A Voz do Povo" e moedas em circulação. 
O repórter acusou a presença de cerca de 300 pessoas.
O fotógrafo presente, com certeza Frederico Hahn, registrou esse momento, como mostra  a foto abaixo.

Clique sobre a foto

Entre os presentes identifico: o garoto Carlos Nicolosi (à esquerda de calça branca) Hermínio Socci, Silvano Chiaradia,   dr. Hermelino de Leão, esposa e  filhas, Adalgisa Tocalino Papa, Alzira Tocalino Nicolosi e as filhas, Maria Lúcia, Nice e Nancy, Anette Papa, a garota Neuza Tocalino Thomé, o marceneiro Virgílio Varago (segurando guarda chuva), meu avô José das Neves Júnior (à direita de perfil) tendo ao lado o jovem Florindo Carrara, todos rodeados pelo cafezal do fazendeiro Álvaro Ferreira de Moraes, o doador do terreno. 

20.10.13

A PRIMEIRA ELEIÇÃO DE DOMINGOS CAMERLINGO CALÓ



Domingos Camerlingo Caló foi prefeito de Ourinhos por duas vezes. Na primeira vez (1952-1955) , foi apoiado por uma coligação que reunia opostos, aliança que ocorria muitas vezes nos pequenos colégios eleitorais. Apoiavam-no o Partido de Representação  Popular, - PRP, o já bastante forte Partido Trabalhista Brasileiro - PTB e a União Democrática Nacional - UDN. 

Camerlingo foi eleito com 2.257 votos, tendo como vice, o farmacêutico Álvaro Aranha. A outra coligação, formada pelo Partido Social Progressista - PSP e o Partido Social Democrático - PSD, tinha como candidatos Horácio Soares (teve 1.036 votos), que fora prefeito durante o Estado Novo e vereador na primeira legislatura da Câmara Municipal de Ourinhos e Antônio Luiz Ferreira (vice).
Essa eleição teve duas mulheres como candidatas a vereador, ambas da chapa da UDN, duas professoras por sinal: Helena Orsi Portugal de Souza, esposa do médico Ovídio Portugal de Souza e Maria Inês Pires Alves de Souza, que foi Bibliotecária do IEHS, durante os meus anos de ginásio. Era casada com Reinaldo Alves de Souza, um dos fundadores da UDN na cidade.
Os vereadores eleitos foram:
PRP
Mistugui Kanda
Aimoré Ferreira
Dimas Aguiar cintra
Fernando Cristoni

PSD
Mário Cury
Oriente Mori

PSP
Luis Ximenes
Tito Tibúrcio do Prado
Abrahão Abujamra

PTB
João Flauzino Gonçalves
Drº João Batista Medeiros
Benedito Pimentel

UDN
Duílio Sandano
Altamiro Pinheiro
Antonio Bertagnoli


Camerlingo foi eleito novamente na década de 1960 (1964-1968).
Vemos duas fotos da eleição de 1951. Na primeira está  Camerlingo, com óculos escuros, e o vereador eleito drº João Batista de Medeiros (último à direita)
Na outra, duas mulheres que eram torcedoras "roxas" de Camerlingo, à esquerda Lourdes Souza Dantas e à direita Maria Neves, minha tia, ambas telefonistas.
Fotos por Francisco de Almeida Lopes

 

13.10.13

SHUKI SAKAI, O FOTÓGRAFO


Não é esta a primeira vez que me reporto a Shuki Sakai nesta coluna.
Faço-o agora para lhe dar o destaque que merece pelo trabalho que desenvolveu nos quase vinte anos em que exerceu a profissão de fotógrafo em Ourinhos.
Conheci-o de perto porque foi um grande amigo de meu pai.  
Ele se estabeleceu em Ourinhos no ano de 1948, tendo adquirido de Frederico Hahn a razão social do "Foto Vitória".
Alugou um imóvel numa localização estratégica, em frente ao Cine Ourinhos e ao lado do Bar e Sorveteria Cinelândia, portanto bem no coração da cidade.
Em pouco tempo amealhou uma boa freguesia para o seu estúdio fotográfico. 
A poucos metros dali, na Praça Melo Peixoto, havia outro estúdio, o de José Machado Dias, estabelecido também a pouco tempo em Ourinhos.
Havia freguesia suficiente para os dois estúdios.
A foto que vemos nesta página é de autoria de um amante da fotografia, José Fernandes de Souza, que fez uma foto especial do amigo Sakai, com seu instrumento de trabalho. Bela foto que mostra o talento do fotógrafo amador que foi o gerente da Sanbra em Ourinhos.
Num detalhe,  edição de uma foto feita por meu pai, vemos Sakai por ocasião da inauguração da piscina do Clube Atlético Ourinhense.


Atraído pela miragem da recém instalada nova capital federal, Brasília, Sakai deixou Ourinhos e se mudou para lá com a família. 

6.10.13

O MARCO ZERO DE OURINHOS

Clique sobre a foto


O marco zero de uma cidade é o ponto que se estabelece como sendo o seu centro geográfico, a partir do qual se estabelecem as medições de distância.
Quase sempre se escolhe o local onde a cidade teve o seu início para a edificação de um monumento que represente o marco zero. Na capital, esse monumento está localizado na Praça da Sé.
Ourinhos passou a ter o seu marco zero na gestão do prefeito Cândido Barbosa Filho, graças a uma iniciativa do Rotary Clube local.
O local escolhido foi a Praça Melo Peixoto,  ponto referencial da cidade desde o início dos anos 1920. 
O local da praça escolhido foi o que dava frente para a velha Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus (onde hoje se encontra o prédio da Telefônica). Ou seja, o monumento ficava voltado para aquele templo religioso.


Era um belo monumento em granito,  tendo um corpo central mais elevado e dois laterais um pouco menores sobre uma base de dois degraus. No corpo central havia a placa indicativo do marco zero.  
Sua inauguração deu-se no dia 23-10-1949, às 10 horas, data em que se comemorava o nono aniversário do Rotary Clube local.    Plantou-se também uma muda de pau-brasil.
Discursou na ocasião o drº Júlio dos Santos (advogado e professor), presidente do Rotary. Agradecendo em nome da municipalidade discursou o drº Salém Abujamra (advogado).
As fotos da ocasião foram feitas por Shuki Sakai, fotógrafo recém-estabelecido  na cidade.
Fonte: "A Voz do Povo"
Na foto da inauguração vemos o  prefeito, muitos membros do Rotary e esposa, vereadores da 1ª legislatura da Câmara Municipal (os dois últimos à esquerda são o profº Dalton Morato Villas-Boas e Benedito Monteiro).
Creio que os únicos sobreviventes dessa foto são o srº Armando D'Andrea, comerciante local e as crianças, sendo uma delas a minha amiga desde a infância, Marilena Beltrami Costa Breve que está no colo do pai o dentista Antônio Luiz da Costa, tendo ao lado a mãe Anita Beltrami. 
A foto do monumento, tendo ao fundo a praça,  é de autoria de Francisco de Almeida Lopes.
O monumento foi desmontado numa das reformas posteriores da praça, restando somente o bloco central que foi colocado em outro local. Na reforma recente da praça , o que restou do marco zero passou a ocupar novamente um lugar central na praça restaurada. 
  


Marco Zero restaurado e recolocado no centro da Praça (Foto por José Carlos Neves Lopes)