26.6.11

O CINE OURINHOS

No início dos anos 1940, a população de Ourinhos, em franco crescimento, ansiava pela construção de uma nova casa de um novo cinema. O prédio do antigo Cine Teatro  Cassino, que havia, sido adquirido pelo empresário botucatuense Emílio Pedutti, já não oferecia mais condição de oferecer um bom espetáculo para os espectadores.
No dia 10 de agosto de 1942, estiveram  na cidade o empresário Pedutti, o engenheiro construtor Adolfo Dinucci e o mestre de obras Thomaz Lopes para darem início à construção de um novo prédio, com a colocação da primeira estaca no terreno para esse fim. Essa cerimônia teve início às 9  horas da manhã, contando com a presença dp prefeito drº Hermelino de Leão, Cândido Barbosa Filho, coletor federal, Waldomiro Eusébio de Camargo, coletor  estadual, João Mori, drº Jaime de Almeida Pinto, advogado da empresa Pedutti, Salvador Torres, acadêmico de direito. Silvano Chiaradia, gerente do Banco Frances e Italiano para a América do Sul e Romeu Silva, gerente do Cine Teatro Cassino.
Esse prédio, prestes a ser tornar septuagenário, foi adquirido pela prefeitura e nele instalado o Teatro Municipal de Ourinhos na gestão do prefeito Esperidião Cury, ato que simbolizava o cuidado com o patrimônio  histórico da cidade. 
Cabe destacar, ainda,  que o mestre de obras Thomas Lopes acabou se radicando em Ourinhos, tendo sido também o responsável pelas  obras de edificação da nova Igreja Matriz, hoje Catedral do Senhor Bom Jesus. Com isso  a cidade ganhou  um  grande mestre na sua arte e um tenor que encantou os ouvidos de  muitos ourinhenses ao longo de quase trinta anos ao lado de Carolina Mella Ribeiro, a saudosa dona Cali.  Coincidências da vida.
(Fonte das informações - "A Voz do Povo", 15/8/1942)
A foto, por Francisco de Almeida Lopes, nos mostra o prédio do Cine Ourinhos no final dos anos 1940. Um detalhe, podem ser vistas as antigas árvores existentes naquele trecho da rua 9 de Julho,naquela época, exemplares de jacarandá mimoso, creio.      

19.6.11

ROTARIANOS OURINHENSES


Clique sobre a foto.

O Rotary Clube de Ourinhos já é septuagenário, pois foi fundado em 24 de Outubro de 1940 . O inglês, engenheiro Wallace Morton, superintendente da Companhia Ferroviária São Paulo-Paraná foi um dos fundadores. 
A ação dessa instituição na cidade  ao longo do tempo se tem  desenvolvido nos aspectos social, educativo e assistencial.
Esta foto nos mostra um momento de evento rotariano em 1977. Nela vemos dois casais José Fernandes de Souza e Ivone Duarte de Souza, à esquerda, e o drº Antonio Luiz da Costa e Anita Beltrami Costa, à direita.
Souza foi gerente da Sanbra em Ourinhos por mais de 30 anos.
Antonio Luiz da Costa, dentista, proprietário rural, era filho de Joaquim Luiz da Costa, comerciante e proprietário rural. Foi também um dos próceres da União Democrática Nacional  - UDN - local.
Anita (Anitinha) era da família Beltrami, proprietária por muitos anos de um dos mais antigos hotéis da cidade, o Hotel Internacional. Foi muito amiga de minha mãe e a amizade com a família se estende até hoje por meio de sua filha Marilena, casada com Sussui Breve.
No centro da foto está Irene Bassi D'Andrea que foi esposa do rotariano mais antigo de Ourinhos, o srº Armando D'Andrea.
Foto: autoria desconhecida  

12.6.11

A FORMATURA DA PRIMEIRA TURMA DE NORMALISTAS


Clique sobre a foto

No dia 10 de dezembro de 1949, realizava-se a entrega de diplomas às primeiras normalistas de Ourinhos.  
O curso começara a funcionar em 1946, com um  pré-normal e mais três anos. O diretor do curso era o Professor Jõão Batista de Medeiros, que aparece na foto discursando.
Às 9h30 celebrou-se missa na Igreja Matriz.
Às 21 h teve início a cerimônia de colação de grau, realizada no Cine Ourinhos.
Às 22h30 iniciar-se-ia o Baile de Formatura no salão do Grêmio Recreativo de Ourinhos, na Rua São Paulo.
Eram seis formandas: Anair Ferreira, Anayde Telles, Anésia Teixeira, Araçy A. Freitas,Inês de Souza Leal, Ruth A. Foz e Vera Fiorillo.
 À esquerda estão sentados os professores (as) e à direita, em pé,acham-se  as formandas.

  

7.6.11

A VOZ DO POVO (1937)

 A construção do Grupo Escolar, que recebeu o nome de Jacinto Ferreira de Sá, um belo prédio que hoje tem nele instalada a Diretoria de Ensino da Região de Ourinhos, foi uma das grandes obras da gestão do prefeito Camargo. 
Meu avô e ele foram vizinhos na Rua 9 de Julho.
Ele é visto nas duas fotos abaixo. Na primeira (à esquerda), ao lado do irmão Joaquim Lino de Camargo, sentados na varada de sua residência.


Outra foto do prefeito Camargo.
 Esta foto da Praça é do início dos anos 1950, ainda mantendo os contornos que lhe fora dado na administração Camargo. 



João Simão Yared (João Chic) era amigo de meu pai, tendo sido seu padrinho no civil. Dono de  uma loja de tecidos na rua Paraná, esquina com Cardoso Ribeiro. Um dos amantes do carteado da Ourinhos  dos anos 1940 e 1950. 
Conheci Dona Angelina Zanotto, uma senhora muito bonita, meiga. Era da Irmandade do Sagrado Coração de Jesus, como minha avó.
 Minha mãe, Amélia, achava-se nesse grupo de alunos do Ginásio Ruy Barbosa. Constantino Molina, o proprietário era um intelectual espanhol radicado em Ourinhos. Essa escola ficava na Avenida Altino Arantes.

Vasco Fernandes era cunhado do Miguel Cury,. Foi  proprietário da Casa Vasco, a mais elegante dos anos 1930 (roupas, sapatos, chapéus).O prédio ainda existe na esquina da Paraná com 9 de Julho, em frente as Casas Pernambucanas. Era compadre de meu avô, tendo batizado minha tia Lourdes, em 1932. Um dos melhores jogadores do Clube Atlético Ourinhense, A família mudou-se para São Paulo, nos anos 1940.  

5.6.11

A VOZ DO POVO (1937)


Clique sobre as imagens.




"A Voz do Povo" lançou esses concursos em janeiro de 1937, os quais foram concluídos um mês depois.
O resultado quanto a mais bela senhorita deve ter sido fiel, pois me lembro de minha mãe dizer que Guiomar Vara foi uma moça muito bonita. Minha lembrança dela é de cerca de vinte e cinco anos depois desse certame e, mesmo com as vicissitudes da vida que lhe afligiam, era ainda uma bela mulher.Era, na ocasião,  funcionária do Ginásio. Filha do comerciante Francisco Vara, sobrinha de Miguel Cury e Adriano José Braz, todos casados com filhas do pioneiro José Fernandes Grilo:Elvira, Benedita e Elisa.
Daniel Leirião, de quem já falamos neste blog, ganhou estourado. Não cheguei a conhecê-lo nessa fase, mas sim anos depois quando tinha um bar famoso "Bar do Daniel", na esquina da Rua Paraná com Souza Soutello. Uma simpatia, pai do meu contemporâneo Danielzinho.
Oswaldo Milani foi casado com uma filha de  Júlio Mori, Anita. Foi proprietário de uma tipografia famosa na Rua 9 de Julho, em frente a Casa Alberto.
Orlando Azevedo era filho do proprietário do dono do jornal, Joaquim de Azevedo.
A coluna "Sociais" era concorrida. Notícias sobre noivado, casamento, nascimento,  batizado, formatura,  falecimento.