26.2.11

O CANDIDATO JUAREZ TÁVORA E A MULTIDÃO


Juarez do Nascimento Fernandes Távora, nascido em Jaguaribemirim, atual Jaguaribe (CE), em 1898, morreu no Rio de Janeiro em 1975.
Tendo cursado a Escola Militar do Realengo (RJ), participou do levante militar de 1922. Preso na ocasião,  desertou e juntou-se ao grupo que preparava um levante em São Paulo (1924). Com  a retirada dos sublevados para o interior, integrou-se  à famosa Coluna Prestes.
Exilado na Argentina, juntou-se aos conspiradores que preparavam um movimento militar para depor o presidente Washington Luís e impedir a posse do presidente eleito, Julio Prestes. No início de 1930, foi para o Nordeste a fim de organizar o movimento nos estados daquela região do país.
Após a Revolução de 1930, exerceu diversos cargos no governo provisório que então se instalou. Em 1936, retomou sua carreira militar.
Em 1945, ingressou na recém criada União Democrática Nacional – UDN.
Em 1954 foi escolhido como candidato da UDN à presidência da República. Nessa condição é que esteve na cidade  em 1955.
Afinal, o então prefeito de Ourinhos  Domingos Camerlingo Caló havia sido eleito por uma coligação PRP-PTB-UDN. A UDN contava na ocasião com três vereadores: Duílio Sândano, Altamiro Pinheiro e Antonio Bertagnoli.
Francisco de Almeida Lopes fotografou o comício em que esteve presente  Juarez Távora. Ao lado do candidato,  à direita,  é visto o deputado Silvestre Ferraz Egreja, representante da região.

20.2.11

CINE PEDUTTI E CINE OURINHOS

E PENSAR QUE JÁ TIVEMOS DOIS CINEMAS !!!!!!

VOLUNTÁRIAS DO ROTARY CLUBE DE OURINHOS




Numa sociedade em que a prática da solidariedade é cada vez mais necessária, o trabalho voluntário tem que se fazer presente, pois ele supre a carência que a ação estatal deixa a deriva inúmeras vezes em diversos setores. 
Conheço de perto a ação das Voluntárias da Santa Casa de Misericórdia de Ourinhos, pois  minha mãe foi uma delas   por muitos e muitos anos, e  se orgulhava desse trabalho que ocupou os seus últimos dias de vida.
 O trabalho de voluntários (as) nas Santas Casas de Misericórdia é imprescindível para o bom funcionamento dessas instituições cuja existência   remonta ao século XVI, no Brasil.
Várias são as instituições e organismos que estimulam o trabalho voluntário entre os seus associados, uma delas é Rotary Clube.
O Rotary Clube de Ourinhos,  já septuagenário,  é uma delas.
No final dos anos 1940, segundo narra Renato Luz, a Maçonaria fundou em Ourinhos um Posto de Puericultura em frente ao prédio da Santa Casa de Misericórdia, hoje com a denominação de  Soprami -  Sociedade de Apoio à Maternidade e à Infância.
Esta foto nos mostra, da da esquerda para a direita,  um grupo de voluntárias rotarianas em ação na  Soprami, nos anos 1950:
1 - Vanda Penteado dos Santos (esposa do drª Júlio dos Santos, professor e advogado)
2 - Lúcia Pacheco Malheiros (professora do Grupão)
3 - Inaiê Trench de Medeiros (esposa do drº João Batista de Medeiros, professor e advogado
4 - Olga Moraes
5 - Ivone Duarte de Souza (esposa de José Fernandes de Souza, gerente da Sanbra)
6 - Irene D'Andrea (esposa de Armando D'Andrea, comerciante)
7 - Maria Dora (esposa de João Batista Dora
8 - Oduzinda Santos
Foto por José Fernandes de Souza.

13.2.11

AS PRIMEIRAS TURMAS DO GINÁSIO DE OURINHOS



A foto superior nos mostra os primeiros anos do Ginásio de Ourinhos, em 1941. 
Nela reconheço:
Inês S. Leal,  Edméia Braz, Carlos Cury, Herculano Neves, Antonio Vieira da Silva, José Luiz Médici, Nelson Cury, Selma Abuchan, Shigueo Kanda, Cândida Mano, Diva de Almeida, Sueli  Alves da Silva, Alice Teixeira, Anair Ferreira. Anésia Teixeira, Geraldina Vilchez, Lucia Prado, Hélio Migliari, Nilda Ferreira, Osvaldo Devienne,  Newton José Santos Soares. Lavínia Azevedo, Aparecida  Lourdes de Freitas , Elza Torres Galvão, Maria de Lourdes Mori, Alípio Braz, Abrahão Abujamra.
Em 1977, Aparecida Lourdes de Freitas reuniu em sua casa integrantes dessas turmas. Meu tio, Herculano Neves, bacharel em direito pela USP, fez a saudação aos colegas na ocasião.

VOCÊ MUDOU, por Dalva Maria Ferreira em http://poesiasecasos.blogspot.com



Você mudou...
Mudaram coisas
importantes
em você, que eu adorava.

O tom da voz,
a entonação,
e aquele jeito de sorrir fechando os olhos.

Você mudou,
envelheceu
e o cabelo começou a branquear.

Mas, porém, contudo e todavia...

Ficou o jeito
autoritário
e insuportável de olhar dentro da gente.

E aquela força
irresistível
que me arrasta para o centro. Essa ficou.

Fotos de autoria desconhecida.

12.2.11

AMIGOS

Vanderlei Silva e José Carlos - Formatura primário 1958

Luiz Gonzaga Tone, Estevam Artur Ribeiro Margutti, José Carlos Neves Lopes (1966)

Meu aniversário 9-10-1965
Marco Ribeiro Margutti,  Walter Brandimarte, João Coiradas, José Carlos Neves Lopes
Agachado : Estevam Artur Ribeiro Margutti
Sentado: Álvaro Ferrazolli

SANBRA 1965
José Carlos, Ademar, Dorival
Leonel, Brandimarte , João da balança
Colégio Santo Antanio, 1953
Del Ciel, Reinaldo Abucham, Nilson Costa, José Carlos Neves Lopes (o único com boné)
José Carlos |Neves Lopes e Luiz Gonzaga Tone (1958)

6.2.11

JOVENS INTERIORANAS NA GRANDE METRÓPOLE


Toninho Mantovani, hoje morando em Curitiba, descobriu recentemente meu blog Memórias Ourinhenses, enviando-me algumas fotos de seu tempo de escola em Ourinhos.
Todas são muito interessantes e nos remetem para o final dos anos 1950.
Esta é a primeira que publico. Trata-se de uma visita de estudantes do IEHS a São Paulo. 
Quando a vi no computador,  já digitalizada e restaurada, os rostos se mostraram familiares, mesmo os das nissei que nela aparecem. 
Algo nas feições da garota que está à esquerda fez-me pensar numa das filhas de dona Cida Freitas, essa grande batalhadora que já se encontra nos seus noventas anos bem vividos, e a quem  minha mãe muito  admirava e estimava.
Na tentativa de descobrir o nome das jovens, recorri a minha amiga Hiromi Shibata, que a remeteu a sua cunhada Maria Tanaka Seno. 
Finalmente, algumas revelações:
Eu estava correto, a jovem à esquerda é Maria Isna, a filha mais velha de dona Cida Freitas, a quem revi no velório de minha mãe em julho passado. Maria Isna havia enviuvado recentemente do dr Cláudio Mota. 
Duas das nissei também  foram identificadas, a de óculos é  Umeko Yamaguchi e a que está em pé é Yaeko Suzuki.
Uma bela foto.
Como escreveu a poetisa Dalva Maria Ferreira no seu blog "Poesias Soltas", em 5 de dezembro de 2010:

MUDANÇAS


Eu já mudei tanto, 
nesses tantos anos...

Eu mudei de casa,
mudei de cidade, 
mudei de estado, mudei de país.

E, nessas mudanças,
encaixotei tanto, perdi tanta coisa...

Aquela boneca da cara pintada,
o cabelo loiro, 
a boca vermelha,
os olhos azuis...

Perdi alguns livros.

Uns de poesia,
cheios de mensagens,
cheios de inocência,
com florzinhas secas e papéis de bala.

E fotografias. Cartas perfumadas.

Mas, pior que tudo: eu me perdi de mim.
Foto: autor desconhecido

2.2.11

OURINHOS, SONS E CHEIROS

ROBERTO PELLEGRINO ESCREVEU:




SONS E CHEIROS


"Tenho certeza de que o apito e o cheiro (em certa época do ano) da Sanbra ficaram gravados na memória de nós todos.  Reportam ao tempo em que éramos jovens , namorávamos no cinema e dançávamos no Grêmio Recreativo de Ourinhos.  Aliás, nos Carnavais do GRO, era em outro cheiro que nos engolfávamos: o do lança-perfume. Quanto aos sons, há os que são representativos de uma fase de nossas vidas que hoje, todas as vezes em que alguns de nós se reúnem, nos deliciamos em recordar. Por exemplo, o dos cascos dos cavalos que puxavam as numerosas charretes pelas ruas da cidade, e o da voz do Abrão (“Quende!”) ao vender seus deliciosos quibes. Há também o som das fanfarras do I.E.H.S.  e do Colégio Sto. Antônio, e o martelar das arapongas nas quentes e modorrentas tardes ourinhenses. Quanta saudade!  

Pelleberto Rogrino