30.1.11

ANTONIO PIMENTEL, AGENTE DA VASP, E A ATRIZ DE HOLLYWOOD RONDA FLEMING


Natural da Califórnia, a atriz Ronda Fleming completará 88 anos 10 de agosto.
Nunca foi numa "top star", mas tinha beleza e glamour. Foi denominada a "Rainha do thecnicolor" o melhor sistema de fotografia utilizado por Hollywood.
Iniciou no cinema em 1943, com  o filme "In old Oklahoma", no Brasil  denominado "Quando a mulher se atreve"
Em 1964, estrelou uma co-produção Brasil-EUA (Produções Cinematográficas Herbert Richers) ao lado Rossano Brazzi. 
Esse filme teve locações em uma fazenda de Jacarezinho, Pr.
Desse modo, os dois desembarcaram no Aeroporto de Ourinhos, transportados pela Vasp.
Foram recepcionados pelo casal de italianos radicado em Ourinhos, Rodolfo Pellegrino e Maria Pulcinelli. Há varias fotos dessa ocasião, feitas pelo fotógrafo José Machado Dias, proprietário do Foto Machado, na Praça Melo Peixoto. 
Meu pai, colaborador do senhor Machado, também fez algumas fotos dessa visita.
Imaginem Ourinhos, no início dos anos 1960, recebendo a visita de dois astros de Hollywood. Que sensação!
Antonio Pimentel, radicado em Ourinhos desde os anos 1940, era agente da  VASP na ocasião.
Ele e o irmão Benedito, jornalista, participaram da vida político-partidária da cidade. 
Antônio exerceu cargo público na gestão do prefeito Aldo Matachana.
Benedito foi vereador. Amante da fotografia, era amigo próximo de meu pai.
Tendo sido diretor da Rodoviária de Ourinhos, Antonio a ela se afeiçou, e lá pode ser visto diariamente ainda.
Nessa foto, Antonio, que foi vizinho de meus pais, é visto à direita no momento em que Ronda se despede de Ourinhos, no topo da escada de acesso ao avião da Vasp. Logo abaixo é visto Harry Stone, que foi vice-presidente da Motion Picture Association para a América Latina, falecido em 2000.  Foi casado com  a brasileira Lucia (Burle Marx de solteira). 
Foto por Francisco de Almeida Lopes.

23.1.11

O "GRANDE HOTEL"



"GRANDE HOTEL" é o nome de um filme clássico de 1932. Sob a direção de Edmund Goulding e tendo no elenco astros e estrelas famosos, foi o vencedor do Oscar daquele ano.
Também foi nome de uma revista de romances em quadrinhos muito bem desenhados, sendo a precursora das fotonovelas.  
 MInha tia Nim foi uma leitora regular da "Grande Hotel".




Era publicada pela  Editora Vecchi, pertencente a uma família italiana de mesmo nome. Começou a circular em 1947.


Grande Hotel do Porto
  
Igualmente, é uma denominação muito comum de estabelecimento hoteleiro.
Esse foi o nome de uma construção destinada a hospedagem edificada em Ourinhos,  nos finais dos anos 1950, situada na rua Cardoso Ribeiro. 



Na época, somente existiam dois hotéis   grandes que remontavam aos anos 1920: o Hotel Internacional, que foi da família Beltrami, (na Rua São Paulo) e o Hotel Comercial ( na Antônio Prado).
O novo estabelecimento hoteleiro, dispunha do que havia de mais moderno no gênero na época.
Nele morava dona Joaninha, professora de Desenho da Instituto de Educação Horácio Soares, nos anos 1960.
Mais tarde foi propriedade da família Golin.
Ainda está está em funcionamento, sendo pertencente hoje à família Monzillo.
Na foto, por Francisco de Almeida Lopes, ainda se vê a garagem da casa que abrigava o consultório do drº Diógenes, na Avenida Altino Arantes, seguida por outra residência. Ambas já foram derrubadas.

De Oswald de Andrade:

Balada do Esplanada (foi um dos hotéis mais famosos de São Paulo, nos anos 1920 e 1930)
"Ontem à noite
Eu procurei
Ver se aprendia
Como é que se fazia
Uma balada
Antes de ir
Pro meu hotel.
É que este
Coração
Já se cansou
De viver só
E quer então
Morar contigo
No Esplanada."

16.1.11

JOSÉ DA CRUZ THOMÉ E MARIQUINHA TOCALINO





José da Cruz Thomé e Maria Tocalino (Mariquinha) se conheceram e se casaram na velha Ourinhos do início dos anos 1930.
Ele e o irmão Mário vieram do longínquo Portugal. Em Ourinhos acabaram se estabelecendo e constituindo família.
Thomé foi o primeiro livreiro de Ourinhos, com livraria na Praça Melo Peixoto. Sempre com sua gravata de borboleta era visto diariamente naquele local que conheci na minha infância.´
Em 1931, Thomé e Mariquinha ficaram noivos.
 O noivo apaixonado quis levar a noiva para conhecer o mar que ele atravessara para chegar ao Brasil. Assim, tomaram o trem noturno da Sorocabana, dona Emília Tocalino, mãe da jovem Maria e o casal de namorados.
Em plena praia posaram apaixonados para uma uma foto.
Casaram-se em 1932 e tiveram apenas uma filha, a bela Neuza, já falecida.
AMOR INFINDO, por Dalva Maria Ferreira, autora do Blog "Poesias Soltas"
Amar,
assim, de um amor infindo,
como se vê nos livros,
que dure para sempre
embora seja chama, ou talvez só porque seja.

Amar,
olhando só pra frente,
guardando só o que é doce
e lembrando só o que é alegre
e querendo estar junto da pessoa amada.

Amar,
escalando montanhas,
contornando obstáculos,
caindo e tropeçando,
caindo e levantando, mas sempre de mãos dadas.

Amar,
superlativamente,
sem barreira ou limite,
sem linha de chegada,
até que a morte venha, e que nos leve junto.
Foto cedida pela neta Valéria Thomé de Oliveira