29.10.06

OS CARDEAIS DO OURINHENSE




Ourinhos teve dois grandes times de futebol de atuação memorável: o Esporte Clube Operário e o Clube Atlético Ourinhense. O primeiro remonta à década de 1920, e tinha na sua direção em 1930: presidente, Hermenegildo Zanotto; vice-presidente, Hermínio Socci; 1º secretário, Edison Leonis; 2º secretário, Ítalo Fioravanti; 3º secretário. Aurélio Sachelli; 1º tesoureiro, Joaquim Miguel Leal; 2º tesoureiro, Ernesto Gonçalves; orador, professor José Galvão, diretor geral, Francisco Ciffone Filho; Conselho Fiscal, Oswaldo Paretto, Américo Cera, Chede Jorge.
Já o Ourinhense parece ter sido fundado em 1931.
Esta foto nos mostra a sua diretoria em algum momento da década de 1930. Nela vemos:
Da esquerda para a direita: João Batista Crivelari , Aristisdes Viana, não identificado, um dos Mori, Benedito Monteiro, Edison Leonis, Carlos Eduardo Deviene e Vasco Fernandes Grilo. Sentados, da esquerda para direita: um dos Mori, Miguel Cury, Julio Mori, Italo Ferrari, não identificado, Antonio Saladini e Antonio Dias Ferraz (genro de Italo Ferrari).

21.10.06

PASCHOALICK E O NOVO CORETO



A foto é de alguma cerimônia na gestão do prefeito José Maria Paschoalick (1956-1959). Pelo número de autoridades presentes pode ser até a da inauguração da nova praça Melo Peixoto, completamente remodelada na sua gestão.
Um novo coreto, de linhas modernas, substituiu o anterior , de 1927. Agora havia um amplo espaço à frente do coreto para abrigar concentrações cívicas. Nesse novo coreto, o marechal Lott fez o seu discurso durante a campanha presidencial de 1960.
A maior parte das árvores da praça fora cortada, removidos para outras praças os bancos com encosto (ainda lá se encontram hoje) Também os belos postes de ferro trabalhado foram substituídos por outros de linhas retas. Como era moda naqueles anos, foi instalada uma fonte luminosa que oferecia espetáculos de água e luz à noite.
O "footing" ainda subsistiu nos anos 1960 e espaço para isso havia bastante na nova praça.
Paschoalick, que teve uma gestão bastante conturbada, pois a UDN não lhe deu trégua, havia sido professor do Grupo Escolar Jacinto Ferreira de Sá. É a figura em destaque na extremidade direita da foto, entre o juiz Windor e o promotor Bastos. No palanque estavam também Antônio Luiz Ferreira, Esperidião Cury, Domingos Camerlingo Caló, profº Jorge Herkrath e José Del Ciel Filho.
Foto por Francisco de Almeida Lopes

O COTIDIANO DE UMA PEQUENA CIDADE DO INTERIOR














Esta foto é de meados dos anos 1930.
A tomada foi a partir da Praça Mello Peixoto, vendo-se a principal artéria comercial da cidade - a Rua Paraná,  a perder de vista. Ao fundo, vê-se um cavaleiro. Pessoas circulam pelas ruas. Um cartaz colocado em frente a loja de Vasco Fernandes Grillo, a Casa Vasco, anuncia a programação do Cine Teatro Cassino. 

Na mesma calçada (direita), vemos o armazém do Chico Vara, o salão do Ico (Crivelari),  o prédio do primeiro Grupo Escolar e uma carroça. À esquerda, um cão atravessa a rua, em frente ao majestoso prédio do Banco Commercial do Estado de São Paulo.
Foto por Francisco de Almeida Lopes





7.10.06

SARAU NO GRÊMIO RECREATIVO DE OURINHOS


A foto é dos anos 1930. Os saraus eram comuns na agremiação ourinhense, portanto creio ser essa foto de uma dessas ocasiões.
Por ela podemos ter uma idéia de como era o salão de baile, com as paredes decoradas como era costume na época. Ao fundo o palco, com o nome da associação no topo.
Sentados identifico, da esquerda para a direita: o casal Horácio Soares, o casal Hermelino de Leão; atrás no mesmo sentido: Ezelino Zório, Bráulio Tocalino, Miguel Cury. No palco, Alberto Matachana.